Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Fiat Pulse: SUV terá porte do Argo e motor1.0 turbo mais potente do Brasil

Novo motor 1.0 GSE T3 do Fiat Pulse terá até 131 cv e mais de 21 kgfm de torque, superando o motor 1.0 TSI dos VW Polo, Nivus e T-Cross

Por Henrique Rodriguez, Eduardo Passos Atualizado em 21 ago 2021, 17h45 - Publicado em 19 ago 2021, 18h00
Fiat Pulse 2022_frontal
Novas imagens revelam o SUV em ângulos mais naturais Divulgação/Fiat

Existe uma grande expectativa pelo lançamento do Pulse, o novo SUV da Fiat (cujo lançamento será ainda em 2021). Antes chamado de Progetto 363 – por ser tratado internamente como “projeto 363” –, o Fiat Pulse é promissor também pelo seu motor. O modelo, que será o grande rival do VW Nivus, será responsável por lançar o novo motor 1.0 GSE Turbo flex (T3) no Brasil.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Esse três-cilindros 1.0 com turbo e injeção direta da família Firefly terá praticamente as mesmas tecnologias do 1.3 GSE Turbo (T4) de 185 já anunciado pela Stellantis e em uso na Fiat Toro e no Jeep Compass 2022. Sua missão é substituir o 1.8 E.TorQ Evo de 139 cv, um motor usado pela Fiat há 10 anos mas que foi desenvolvido há 22 pela extinta Tritec – uma joint-venture entre a BMW e a Chrysler.

Fiat Pulse 2022__traseira-large
Fiat faz de tudo para que o Pulse não seja associado ao Argo Divulgação/Fiat

Motor do Fiat Pulse

O novo motor também ficará marcado por ser o 1.0 mais potente do Brasil: QUATRO RODAS apurou via diferentes fontes que o motor 1.0 GSE Turbo nacional terá 131 cv com álcool e 128 cv com gasolina. Já o torque ficará acima dos 21 kgfm com etanol, com pico ao redor dos 1.750 rpm. Ele será combinado a um câmbio automático do tipo CVT também inédito na Fiat.

Motor-GSE-T3-1.0-Turbo 2
Três vistas do novo motor 1.0 GSE Turbo, chamado de T3 Divulgação/Fiat

 

Fiat_Firefly_T3_100_1
Divulgação/Fiat

Desbanca, pelo menos nos números, o motor 1.0 TSI da Volkswagen, que gera 128 cv com etanol e 116 cv com gasolina, e 20,4 kgfm com os dois combustíveis com pico a 2.000 rpm.

Na Europa, a versão o motor T3 a gasolina entrega 120 cv a 5.750 rpm e 19,3 kgfm a 1.750 rpm. No Jeep Renegade, é sempre combinado a câmbio manual de seis marchas. Uma outra configuração entrega 100 cv e os mesmos 19,3 kgfm a 1.500 rpm.

As versões mais baratas, porém, terão faróis halógenos e receberão o motor 1.3 8V Firefly de 109 cv e 14,2 kgfm combinado ou ao câmbio manual de cinco marchas.

  • Para referência, estes motores têm apenas 93 kg e na Europa a promessa foi de redução no consumo na ordem dos 20% na comparação com o 1.6 E.torQ que ainda era usado por lá.

    Os segredos por trás da potência do Fiat Pulse

    Motor-GSE-T3-1.0-Turbo INTERCOOLER
    O intercooler resfria o ar admitido pelo turbo Divulgação/Fiat

    Assim como o motor 1.3, o o 1.0 GSE Turbo terá cabeçote completamente diferente da versão aspirada, que entrega 77 cv. Além de ter quatro válvulas por cilindro (12 no total), terá o sistema MultiAir de terceira geração comandando o comando de válvulas (único e não duplo) variável.

    Motor-GSE-T3-1.0-Turbo CÂMARA DE COMBUSTÃO
    Corte mostra a câmara de combustão do motor 1.0 GSE Turbo Divulgação/Fiat

    Com atuação eletro-hidráulica, ele pode controlar totalmente o tempo de abertura das válvulas e também a elevação das válvulas de admissão. Todo esse controle permite entregar desempenho e eficiência no momento certo, e reduzir emissões de poluentes.

    Motor-GSE-T3-1.0-Turbo INJEÇÃO DIRETA
    Posição do injetor de combustível Divulgação/Fiat

    Ainda há injeção direta com injetores que otimizam o spray de combustível na câmara de combustão e turbo de baixa inércia, com o compressor (caixa fria) mais próximo do coletor de admissão, garantindo resposta rápida do motor. O ar ainda passa por um intercooler.

    Motor-GSE-T3-1.0-Turbo COMANDO DE VÁLVULAS MULTIAIR
    Recorte mostra o comando de válvulas único, mas com o sistema MultiAir III comandando a abertura das válvulas de admissão e escape de forma independente Divulgação/Fiat

    Já o coletor de escape é integrado ao cabeçote, o que reduz o turbo lag e o tempo de aquecimento do motor e do catalisador. E o turbo tem wastegate eletrônica, o que dá maior controle, também, da sua pressão.

    O que é o Fiat Pulse?

    Fiat Pulse 2022
    Fiat Pulse 2022 Divulgação/Fiat

    A Fiat vinha falando sobre o desenvolvimento do seu novo SUV compacto antes mesmo de ter definido o nome definitivo do carro. O Fiat Pulse será fabricado em Betim (MG) e seu lançamento é iminente: será no último trimestre do ano.

    As imagens divulgadas pela Fiat ainda são geradas por computador, mas flagras mais recentes ajudam a ter uma ideia melhor do porte e dos volumes do Fiat Pulse.

    O que é inegável é que o SUV compacto da Fiat tem muitas peças da carroceria em comum com o Fiat Argo. Reaproveita portas e mantém a mesma ordem de grandeza em suas dimensões. Para diferenciá-los, entretanto, o Fiat Pulse ganhou dianteira e traseira exclusivas além de maior vão livre, entre outros detalhes.

    Fiat Pulse 2022
    Divulgação/Fiat

    Na dianteira, destaque para os faróis de neblina de leds, como nos VW Polo mais caros, e para os faróis full-led que são interligados por uma barra cromada que vai de ponta a ponta da frente do SUV compacto. Também é possível notar sensores de estacionamento dianteiros.

    Na traseira, as lanternas e o volume acima dela lembram bastante a traseira do sedã Cronos. Também é possível ver melhor a base do para-choque traseiro, com duas saídas de escape cromadas e, aparentemente, falsas.

    Plataforma evoluída, mas carroceria conhecida

    View this post on Instagram

     

    A post shared by Quatro Rodas (@quatro_rodas)

    A despeito das semelhanças com o Argo, a Fiat diz que o Pulse tem uma nova plataforma, batizada MLA. A nova plataforma produzida em Betim (MG), aumentaria os níveis de performance, robustez e conforto e também os resultados de segurança dos novos produtos, e permite a adoção de novos sistemas eletrônicos e de segurança.

    Continua após a publicidade

    Grande parte das mudanças mostradas pela fabricante estão na parte inferior do monobloco, o chamado underbody, e foram feitas para aumentar a segurança e melhorar a qualidade da rodagem do modelo, reduzindo is índices de NVH (sigla em inglês para ruído, vibração e aspereza).

    Fiat Progetto 363
    Eis o novo SUV da Fiat, o Pulse Divulgação/Fiat

    Ainda que algumas chapas do assoalho tenham sido mantidas, a chamada linha de força, que é a parte da carroceria que precisa lidar com as “pressões” estruturais, da suspensão e também lidar com impactos, é toda nova.

    As longarinas dianteiras têm maior inércia e maior carga de colapso, por serem 50% mais largos, o que favorece a segurança em colisões. Na região da parede corta-fogo, entre o cofre do motor e a cabine, novas travessas prometem maior conforto acústico e vibracional. Ainda tem uma nova estrutura para suportar impactos laterais.

    Visão traseira do novo Fiat Progetto 363
    Visão traseira do novo Fiat Progetto 363 Divulgação/Fiat

    No fim, 66% da parte estrutural do SUV da Fiat (não confundir com a carroceria inteira) é de aço de alta resistência, 20% de aços de alta resistência avançados, 7% de aços prensados a quente (localizados na seção sob os bancos dianteiros) e 7% de baixa resistência.

    A suspensão vai além de mudanças na geometria dos elementos móveis, como era praxe nos Adventure antigamente. A suspensão dianteira McPherson é toda nova, com subchassi próprio, plano, e, claro, uma nova geometria proporcionada pelas bandejas com buchas verticais. A barra estabilizadora é “mais eficiente” segundo a Fiat, por conta da sua geometria.

    PlataformaMLA
    Underbody do Fiat 363/Pulse Divulgação/Fiat

    O conjunto traseiro é por eixo de torção convencional, mas o componente está mais rígido e tem centro de rolagem mais baixo. Tanto o conjunto dianteiro como o traseiro tem novos amortecedores e molas, e prometem menor rolagem da carroceria mesmo com a altura em relação ao solo elevada, própria de um SUV.

    A Fiat fala em melhora de cerca de 11% nos índices de subesterço, deriva e rolagem, mas na comparação com a média da concorrência, não na comparação com o Argo.

  • Além disso, a caixa de direção também é diferente, com relação mais direta e pontos de fixação com coxins. A Fiat ainda adiantou que terá ajuste de altura e profundidade (um opcional do Argo), além de estar habilitada para assistência de permanência em faixa e de ter compensação do desvio de direção (que pode ser proporcionado até pela entrega de força do motor).

    PlataformaMLA
    Underbody com conjunto mecânico e a estrutura dos bancos Divulgação/Fiat

    Mesmo assim, é a geometria do conjunto da suspensão a responsável pelo aumento do entre-eixos no SUV da Fiat. Enquanto o Argo tem 252,1 cm, o SUV terá 253,2 – 1,1 cm a mais. A estrutura do carro em si não mudou de forma que proporcione algum aumento no espaço interno.

    A medida ainda é menor que os 2,56 m do VW Nivus e que os 2,55 m do Honda WR-V, que também têm conjuntos de suspensões diferentes na comparação com os carros dos quais derivam.

    Interior e painel do Fiat Pulse

    Após vazamentos, a marca finalmente divulgou o painel da versão topo-de-linha do modelo, que aposta em detalhes para ser ousado e atraente. Como adiantado desde o início do ano por QUATRO RODAS, o utilitário apostará em tecnologia para se destacar. Desse modo, o interior de Compass e Commander surge em versão mais simples, com central multimídia flutuante e painel de instrumentos digital.

    Painel da versão de topo do novo SUV da Fiat, Pulse

    O quadro de instrumentos, por outro lado, é o mesmo da Fiat Toro, com tela TFT de 7’’ polegadas que não dá show mas que atende bem ao propósito e se disfarça melhor ainda em meio aos marcadores de combustível e temperatura do óleo, idênticos aos da picape.

    Para aproveitar o visor colorido, a Fiat apostará em animações caprichadas, que entregam informações do carro ao condutor via interface intuitiva e agradável. É uma experiência comercial válida, que a fabricante também explorou sem constrangimento com um chamativo botão vermelho no volante esportivo aproveitado do Cronos S-Design que urge ser notado.

    Volante esbelto é acompanhado de partida por botão (ausente nos modelos 1.3) e ar-condicionado digital
    Volante esbelto é acompanhado de partida por botão (ausente nos modelos 1.3) e ar-condicionado digital Divulgação/Fiat

    Trata-se do modo Sport, que por mais que pareça algo digno de fazer o Pulse voar, basicamente aproveita a transmissão CVT e bloqueio eletrônico do diferencial dianteiro para oferecer relações mais curtas e obedientes ao excelente (e inédito) motor 1.0 turbo, que promete ser o mais potente de sua categoria no Brasil.

    Se à esquerda há alma de Toro, o restante do painel, na verdade, é uma versão simplificada mas ainda visualmente elegante dos Jeep Compass e Commander, com grande seção horizontal em cor distinta e central flutuante de 8,4’’ nas versões mais baratas ou 10,1’’, na gama premium do carro.

    Quadro digital é o mesmo da Fiat Toro, mas com grafismos novos e estética mais urbana
    Quadro digital é o mesmo da Fiat Toro, mas com grafismos novos e estética mais urbana Divulgação/Fiat

    A central utiliza o novo software Uconnect 5, que apresenta respostas mais rápidas e, principalmente, recursos além-carro, baseados em parcerias com Tim, Amazon, McDonald’s e até Google Assistente. Desse modo, graças ao chip 4G embarcado no Pulse é possível acessar a internet e, como um cartão de crédito flex, pagar idas ao drive-thru, pedágios, abastecimento e mais através do Fiat Cart. 

  • A modernidade também se aplica ao controle de cruzeiro, assistente de frenagem de emergência e assistente de permanência de faixa, de série no Pulse mais caro. As versões mais básicas não trarão as assistências, entretanto.

    Central Multimidia Uconnect 5
    Central Multimidia Uconnect 5 Divulgação/Fiat

    Para predominar sobre forte concorrência, o Pulse quer ter apelo jovem e tecnológico, de modo que centrais multimídias e alta conectividade serão oferecidas desde variantes mais baratas. O motor das versões manual e Drive, entretanto, será o 1.3 do Argo.

    Preços do Fiat Pulse

    A Fiat ainda não confirma, mas o lançamento do Pulse está previsto para setembro ou outubro. As versões mais baratas do Pulse terão preço inicial na faixa dos R$ 85.000, superando os R$ 100.000 mas sem adentrar o terreno do SUV cupê que a Fiat prepara 2022, provisoriamente chamado de projeto 376.

    pULSE 2022 1.0 TURBO
    Divulgação/Fiat

    O que também vale destacar é que o Fiat Cronos não terá motor 1.0 Turbo, o que leva a crer que o Pulse herdará do sedã a faixa de preço até os R$ 103.000 praticados pelo Cronos HGT. 

    A estratégia será o inverso da adotada pela VW com Nivus e T-Cross: em vez de o SUV cupê ser mais barato, ele será mais caro na linha Fiat. O 376 terá preço ao redor dos R$ 120.000. Também será maior: espere entre-eixos ao redor dos 2,60 m (o 363 mantém os 2,52 m do Argo), pois não pode se aproximar tanto dos 2,64 m do Jeep Compass.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Capa quatro rodas 748 agosto 2021
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade