Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Sem nova geração, Renault Sandero e Logan têm data para morrer no Brasil

A nova geração dos Sandero e Logan já lançada na Europa não será fabricada no Brasil; modelos antigos têm mais dois anos de vida

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 13 fev 2023, 19h59 - Publicado em 12 nov 2021, 13h14

Sandero e Logan mudaram radicalmente a imagem (e o tamanho) da Renault no Brasil. Juntos, hatch e sedã, tiveram mais de 1,26 milhão de carros vendidos no Brasil entre 2010 e 2020. Mas a fabricante francesa já definiu uma data para o fim dos seus carros de maior sucesso no Brasil.

Em passagem no Brasil, o CEO global da Renault, Luca de Meo, sinalizou que os Sandero e Logan apenas cumprirão seu ciclo de vida já traçado e sairão de linha no Brasil daqui a dois anos, no final de 2024.

Renault Logan Zen 1.6
Renault Logan Zen 1.6 (Divulgação/Renault)

“Sandero e Logan têm seu ciclo… Queremos estruturar a marca em um patamar de preço acima do atual. (…) Assim, será mais fácil depois a empresa voltar a atacar carros de grande volume se houver demanda”, disse o executivo a um pequeno grupo de jornalistas.

QUATRO RODAS antecipou, em setembro, o cancelamento dos projetos XJF – a nova geração de Logan, Sandero e Stepway no Brasil. O projeto de nacionalização dos novos carros, agora baseados na plataforma CMF-B, vinha sendo trabalhado no Brasil há um ano.

Continua após a publicidade

Àquela altura, pessoas próximas ao projeto adiantavam que eles estavam avançados, mas não aprovados pela matriz. Depois, o projeto acabou cancelado por Luca de Meo. Pelo menos nos próximos três anos esse projeto não será retomado.

Um futuro sem Sandero e Logan

As decisões mais recentes da Renault parecem fazer sentido agora. Ao longo de 2021 a fabricante acabou com as versões mais completas de Sandero e Logan, com motor 1.6, câmbio CVT e itens mais sofisticados. Também elevou significativamente o preço dos seus compactos. O recém-lançado Sandero S Edition tem motor 1.0 de 82 cv e custa R$ 76.790.

sandero
Projeção da nova geração do Sandero para o Brasil (Renato Aspromonte/Quatro Rodas)

Este é um movimento em busca de uma rentabilidade global de 5% até 2025, e que Luca de Meo diz estar bem encaminhado e alinhado com as operações na América do Sul.

O foco da Renault a partir de agora será se posicionar no mercado em segmentos de carros mais caros, com maior valor agregado, mas sem que isso represente uma mudança no seu posicionamento no país.

k-ze
Renault Kwid E-Tech chega em meados de 2022 para ser o carro elétrico mais barato do Brasil (Divulgação/Renault)

O Renault Kwid, que será reestilizado em janeiro, seguirá por mais tempo como carro de entrada da marca francesa por aqui. Ainda reforçará sua presença com o lançamento da versão elétrica E-Tech no meio de 2022.

Continua após a publicidade

A picape Renault Oroch será reestilizada ainda no primeiro semestre de 2022, quando receberá visual semelhante ao do Duster indiano e motor 1.3 TCe flex com 170 cv e câmbio automático CVT com simulação de oito marchas. O Renault Duster também ganhará essa opção mecânica em 2022.

Renault Duster Oroch
Dianteira segue o estilo do Duster vendido na Índia (Renato Aspromonte/Quatro Rodas)

O lançamento de carros inéditos e fabricados no Brasil, baseados em um plano de investimentos que só deverá ser anunciado no segundo semestre de 2022, só começará a mostrar seus frutos daqui a pelo menos dois anos.

Para completar sua gama de SUVs, o Projeto HJF, dará origem a um SUV compacto (B-SUV) com uma opção abaixo do Duster. Este carro, sim, será baseado na nova plataforma CMF-B, mas terá carroceria e estilo completamente diferentes do novo Dacia Sandero. Por sinal, seria o substituto natural para o Stepway.

Continua após a publicidade
Renault HJF SUV compacto brasil
Renault HJF será SUV compacto exclusivo para a América do Sul (Renato Aspromonte/Quatro Rodas)

A intenção da Renault é clara: preparar uma resposta para o Fiat Pulse que será lançado até o fim de 2021, e para o possível novo SUV de entrada da VW.

Vale reforçar que o B-SUV não é o Kiger, o SUV derivado do Kwid, ou o Triber, sua minivan. Esses carros são exclusivos para a Índia e não estão previstos para o Brasil. Nem sequer há projeto deles por aqui.

Continua após a publicidade

Não à toa, caberá ao Renault B-SUV estrear o conjunto mecânico formado pelo novo motor 1.0 turbo flex e pelo câmbio automático CVT. Este motor, inclusive, será fabricado no Brasil. O mesmo acontecerá com o motor 1.3 TCe de 170 cv que estreou no Captur 2022. Atualmente este motor é importado da Espanha.

Dacia Bigster
Dacia Bigster (Divulgação/Renault)

O outro carro é o Projeto X1312, o C-SUV. Trata-se de um SUV médio com sete lugares. Será, basicamente, uma versão Renault do Dacia Bigster. O novo SUV médio tem 4,6 m de comprimento (quase 17 cm a menos que o Jeep Commander) também será baseado na plataforma CMF-B, da Aliança Renault-Nissan

bigster
(Dacia/Divulgação)

 O protótipo apresentado pela fabricante também insinua como será a próxima geração do Duster, que está prevista para 2024.

Um dos destaques do Bigster, pelo menos na Europa, será a oferta de mecânica híbrida. Seria a combinação do motor 1.2 TCe de três cilindros funcionando em ciclo Atkinson, em diversos níveis de potências e tipos de hibridização, com direito ao sistema E-TECH, para melhorar a eficiência do SUV de 4,6 metros de comprimento.

Luca de Meo confirmou a estreia de carros híbridos no Brasil para os próximos anos. “A Renault está muito, muito bem posicionada no mercado de híbridos, por também ter carros plug-in e híbridos leves”, conta. “Vamos ver se seremos capazes de fabricar híbridos no Brasil ou decidir se importaremos estas versões”, completou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.