Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Nova Chevrolet Montana 2023 será mais que um Tracker com caçamba

Terceira geração da picape terá apenas cabine dupla e motores turbo, mas quer brigar com a Fiat Toro em preço

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 2 set 2021, 10h43 - Publicado em 2 set 2021, 10h42
Picape terá faróis divididos, como a rival Fiat Toro
Picape terá faróis divididos, como a rival Fiat Toro Renato Aspromonte/Chevrolet

Ao divulgar a linha de perfil de sua inédita picape intermediária com cabine dupla, a Chevrolet fez questão de deixar claro duas coisas: ela será chamada de Nova Montana e será completamente diferente das duas gerações anteriores da picape. 

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

A apresentação do carro está programada para acontecer no segundo semestre de 2022, mas o lançamento comercial tende a ficar para o ano seguinte.

Na prática, só restará o nome lançado em 2003. Plataforma, conjunto mecânico e até seu posicionamento no mercado serão completamente distintos. A base virá da plataforma global GEM, a mesma de Onix e Tracker – que também é fabricado em São Caetano do Sul (SP) –, e seu motor será o 1.2 turbo da família CSS Prime, hoje usado apenas pelo Tracker Premier de quase R$ 140.000.

Chevrolet Montana
Traseira reta terá marca em relevo na tampa Renato Aspromonte/Quatro Rodas

Continua após a publicidade
Motor Chevrolet 1.3 Ecotec turbo
Motor Chevrolet 1.3 Ecotec turbo Divulgação/Chevrolet

Na picape, potência e torque do motor podem superar os atuais 133 cv e 21,4 kgfm, e as versões de entrada terão câmbio manual de seis marchas. Ainda assim, versões mais caras serão vendidas apenas com câmbio automático de seis marchas.

Continua após a publicidade

Mas este não seria o único motor. A General Motors trabalha em um motor inédito para a picape, que segundo o site Mobiauto seria o 1.3 turbo com injeção direta que, na China (onde equipa o Onix Plus) rende 163 cv. Seria uma forma de se aproximar dos números do 1.3 turbo da Fiat Toro (185 cv) e do novo 1.3 turbo de 170 cv que equipará a Oroch no ano que vem.

Porte de SUV e linhas mais retas, que passam sensação de solidez, darão o tom no estilo da nova Montana. Faróis em dois andares, com leds diurnos e setas acima do bloco dos faróis, serão novidade na linha Chevrolet brasileira, mas comuns a Fiat Toro e Hyundai Santa Cruz.

  • O entre-eixos vai superar os 2,83 metros da Oroch, o que renderá um bom espaço na cabine, de quatro portas, e na caçamba, favorecida pela suspensão convencional, por eixo de torção. Será um meio de manter o preço abaixo do da Toro (que parte dos R$ 115.000). Ainda assim, versões mais caras terão monitor de pontos cegos, Wi-Fi 4G e frenagem de emergência.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade