Segredo: novo Chevrolet Cruze é flagrado em São Paulo

Sedã e hatch reestilizados terão mudanças discretas e vão manter motor 1.4 turbo

A camuflagem pesada esconde os para-choques e grade do radiador redesenhados

A camuflagem pesada esconde os para-choques e grade do radiador redesenhados (Iuri Pitta/Quatro Rodas)

O novo Chevrolet Cruze mal foi revelado nos Estados Unidos e já foi flagrado em testes no Brasil.

O registro foi feito pelo jornalista Iuri Pitta, que fotografou o sedã circulando na zona oeste de São Paulo.

O recorte na camuflagem do para-choque traseiro indica que o sistema de estacionamento automático será mantido

O recorte na camuflagem do para-choque traseiro indica que o sistema de estacionamento automático será mantido (Iuri Pitta/Quatro Rodas)

Apesar da camuflagem ainda pesada, é possível ver parte da nova grade do radiador, que ficou maior, e os para-choque frontais reformulados.

A principal mudança do interior está na adoção de um sistema multimídia mais moderno

A principal mudança do interior está na adoção de um sistema multimídia mais moderno (Iuri Pitta/Quatro Rodas)

A traseira também passou por mudanças e agora usa, nas versões topo de linha, lanternas com LEDs.

A Chevrolet ainda não revelou o interior, mas confirmou que o sistema multimídia MyLink passou por atualizações e incluirá – nos Estados Unidos – acesso à internet 4G.

Mudanças no mercado norte-americano não foram confirmadas para o Brasil

Mudanças no mercado norte-americano não foram confirmadas para o Brasil (Divulgação/Chevrolet)

Questionada por QUATRO RODAS, a Chevrolet afirmou que a unidade flagrada está passando por testes voltados para o mercado norteamericano.

A fabricante ressaltou que não há planos de mudanças para o Cruze hatch e sedã vendidos no Brasil. A dupla oferecida localmente é fabricada na Argentina.

A chegada do modelo por aqui, no entanto, é natural e deve ocorrer ainda no início de 2019. O novo Cruze também deverá ganhar a nova versão topo de linha Premier, atualmente oferecida no Equinox e Tracker.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Carlos Minkap

    O CRUZE E DERIVADOS CADA VEZ VAI VENDER MENOS ENQUANTO NÃO COLOCAREM AQUELA ¨TECLINHA¨ NO PAINEL PARA DESLIGAR AQUELE FAMIGERADO START/STOP

  2. Pablo Sanchez

    Ou seja, quem Comprar um Cruze Novinho 2018, na verdade estará levando para sua Garagem um “Cruze modelo antigo”….É hora de esperar ou comprar sedan/hatch de outra marca, ou ainda , pedir um Belo desconto.

  3. EDSON DIRCEU MEISTERLIN

    A Chevrolet fica fazendo propaganda do que o Cruze é muito bom. Nesta parte está certa. É ótimo. Pois tenho o Sport6 da segunda geração
    O problema é qdo acontece um acidente e tem que reparar o veículo. Estou esperando já faz mais de um mês para vir o para choque traseiro e nada. Dizem que tem que aguardar. Do que adianta tanta propaganda sobre o veículo se não tem peças de reposição. Vou vender o carro assim mesmo e comprar outro de outra marca.
    Cruze nunca mais.

  4. Juarez Veras

    Carlos se você fala do desconforto que pode causar o startop + arcondicionado, o cruze detecta se a temperatura externa/interna e o ar ligado. E neste caso ele não desliga o motor. No mais eu concordo que ter um recurso sob o qual você não tem controle é bem chato, especialmente um que desliga o motor e certamente reduz a vida útil da bateria. Mas essa será a regra daqui para a frente, e para todos os fabricantes para atender as normas de redução de emissões. Quanto ao tapinha do no visual resolverá a parte mais fraca que é a dianteira. A atual é inexpressiva e com muita informação visual, confusa. O que deixa o carro sem personalidade. Mais ou menos como o Jetta atual e o da geração anterior.