Chevrolet Cruze LT: é a versão de entrada, mas não parece

O preço de R$ 93 mil ajuda a disfarçar o fato, junto com o mesmo motor e câmbio dos ainda mais caros

Versão de entrada tem todos itens de conforto fundamentais para um sedã médio

Versão de entrada tem todos itens de conforto fundamentais para um sedã médio (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O Chevrolet Cruze sempre aparece por aqui. Já venceu comparativos e até está em nossa frota do Longa Duração. Mas a versão do sedã que sempre dá as caras é a LTZ, mais completa. Agora é a vez de saber se a versão de entrada é igualmente competente.

Trata-se do Cruze LT, que por R$ 92.990 passa longe de ser barato. Mas, aparentemente, também tem tudo que o consumidor quer.

Principal mudança no design em comparação com a versão LTZ está nas rodas, que são prateadas e não pretas

Principal mudança no design em comparação com a versão LTZ está nas rodas, que são prateadas e não pretas (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O comprador de sedãs médios procura por bons motor, espaço interno e porta-malas, claro. Mas fazem questão de central multimídia e bancos com revestimento tipo couro. O Chevrolet Cruze LT é dos poucos sedãs médios de entrada que conseguem cumprir todas essas exigências.

A mecânica, por exemplo, não sofre mudanças. O motor é o 1.4 Ecotec, turbo com injeção direta, que gera 153 cv e 24,5 mkgf de torque máximo a 2.000 rpm. E nada de câmbio manual: o câmbio automático GF6, de seis marchas, é exatamente o mesmo da versão LTZ.

Sedã tem entre-eixos de 2,70 m

Sedã tem entre-eixos de 2,70 m (Fernando Pires/Quatro Rodas)

É um bom conjunto. Este 1.4 é dos poucos motores turbo que não parecem ser turbo. A força surge com progressividade, sem golpes ou atraso nas respostas. As trocas do câmbio são suaves e as repostas ao acelerador não são das mais rápidas, mas são corretas. Trocas sequenciais são feitas apenas pela alavanca de câmbio.

Mas você percebe que há algo diferente por aqui ao entrar no carro. O acabamento interno é todo preto, enquanto a versão LTZ tem plásticos e couro sintético em tom bastante claro de cinza.

Além disso, o quadro de instrumentos tem computador de bordo monocromático e não colorido.

Cruze LT tem interior todo escuro

Cruze LT tem interior todo escuro (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A central multimídia também muda. Em vez da tela de 8″ com navegador GPS nativo, o Cruze LT tem o mesmo aparelho de Onix, Spin e Cobalt.

É a versão de 7″ da central MyLink, que depende da compatibilidade Android Auto e Apple CarPlay para ter navegador e tem menos botões físicos. A câmera de ré, porém, está mantida.

Central da versão LT tem tela menor, mas mantém Android Auto e Apple CarPlay

Central da versão LT tem tela menor, mas mantém Android Auto e Apple CarPlay (Divulgação/Chevrolet)

Em geral, o Cruze LT fica devendo alguns equipamentos mas não permite que isso fique tão evidente.

Há luzes diurnas, mas não são de leds. Também há sensores de estacionamento, mas só na traseira (para você continuar exercitando sua capacidade de planejamento espacial ao aproximar a dianteira nos obstáculos).

As rodas são exatamente as mesmas, de liga leve aro 17″, mas tem pintura prateada em vez de cinza escura. 

Versão de entrada tem faróis mais simples, sem leds

Versão de entrada tem faróis mais simples, sem leds (Divulgação/Chevrolet)

Não faltam airbags dianteiros e laterais, mas os de cortina estão restritos ao LTZ, tal como retrovisor interno eletrocrômico, sensores de chuva e luminosidade, partida sem chave e os retrovisores externos rebatíveis eletricamente.

A boa notícia é que repetidores de seta nos retrovisores e ajuste elétrico de altura dos faróis se tornaram itens de série na linha 2018.

Repetidor de seta nos retrovisores passou a ser de série na linha 2018 do Cruze

Repetidor de seta nos retrovisores passou a ser de série na linha 2018 do Cruze (Divulgação/Chevrolet)

Em outras palavras, o Cruze LT tem equipamentos suficientes para satisfazer grande dos compradores de sedãs médios. Principalmente considerando que R$ 12 mil separam  o Cruze LT do LTZ, que custa R$ 104.990.

E só olhos treinados perceberão que este Chevrolet Cruze é da versão de entrada.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 9 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 30,1 s – 178 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 3,8 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 4,9 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 6 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 14,7 / 26,7 / 64,1 m
  • Consumo urbano: 11,8 km/l
  • Consumo rodoviário: 15,9 km/l

Ficha técnica – Chevrolet Cruze 1.4 LT 2018

  • Preço: R$ 92.990
  • Motor: flex, dianteiro, transversal, 4 cilindros, 1.399 cm3, 16V, 74,0 x 81,3 mm, 10,0:1, 150 cv a 5.600 rpm (G) / 153 cv a 5.200 rpm (E), 24,0 mkgf a 2.100 rpm (G) / 24,5 mkgf a 2.000 rpm (E)
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: 215/50 R17
  • Dimensões: comprimento, 466,5 cm; largura, 180,7 cm; altura, 148,4 cm;
    entre-eixos, 270 cm; porta-malas, 440 l, tanque de combustível, 52 l
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Seria interessante que a GM disponibilizasse o câmbio manual para o Cruze de entrada. Tenho a curiosidade de como ficaria o desempenho e o consumo.

  2. Georges Costaridis

    Tudo muito lindo e maravilhoso. Mas cobrar 93 mil por um carro que não vale 60 é só para esse pais de 1º mundo (salário de políticos como referência). Para o mundo real é kwid e mille mesmo.

  3. Alex Moreira

    Georges você falou tudo.