Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Renault Mégane eVision antecipa transformação do hatch médio em crossover

Apostando em tecnologia de vanguarda, Renault entrega à linha Mégane tarefa de fazer bonito com os elétricos

Por Eduardo Passos
16 out 2020, 11h14
Mégane eVision foi apresentado nesta quinta-feira (15) (Divulgação/Renault)

A Renault apresentou o Mégane eVision, conceito que antecipa a nova geração de seu longevo hatch médio. Ou quase isso. Além de antecipar uma novíssima plataforma para carros elétricos, ele parece estar caminhando para se transformar em crossover. 

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.

O design altamente tecnológico é inspirado no carro-conceito MORPHOZ e foi concebido sobre a plataforma modular CMF-EV, fabricada pela Nissan, o que aponta para toda uma família Mégane elétrica.

(Divulgação/Renault)

Por fora, o Mégane eVision logo chama atenção pelos os faróis full-led adaptativos, capazes de projetar luz em formas e intensidade variável. Dispostos em esquema tridimensional, assim como as lanternas traseiras, eles se assemelham à silhueta de diamantes, gerando uma paralaxe conforme o ângulo de visão.

De frente, os diodos parecem apenas uma série de linhas verticais paralelas, tal como o esquema da grade dianteira, adornada por para-choques dourados. Em ângulo, há o efeito de triângulos inclinados.

Faróis do Mégane eVision têm no efeito 3D seu charme (Divulgação/Renault)

A assinatura luminosa do carro também se destaca nos emblemas da marca, envoltos por leds — brancos na frente e vermelhos atrás — cuja intensidade varia conforme a carga da bateria. Além disso, faixas luminosas contornam as laterais do teto e reforçam as linhas do habitáculo.

Continua após a publicidade

Um dos destaques do Mégane eVision é a ausência de coluna central e o suposto uso de portas suicidas, a fim de otimizar o espaço interno. Além disso, a falta de maçanetas aparentes nas portas traseiras sugerem o uso de mecanismos retráteis.

Vista lateral do novo Mégane eVision (Divulgação/Renault)

Outra ausência notável é a de retrovisores, que serão substituídos por pequenas câmeras em forma de aletas. Suas imagens deverão ser projetadas em telas internas e, via inteligência artificial, unidas a outros sensores externos.

Bicolor, o Mégane apresenta uma pintura cinza-chumbo predominante e detalhes em tons de cobre e ouro. O teto flutuante, entretanto, é completamente em dourado metálico, com a mudança cromática começando ainda nas colunas do para-brisa, em degradê.

Teto dourado contrasta com a pintura cinza-chumbo (Divulgação/Renault)

Um pouco de cada

Com 4,21 m de comprimento e 2,70 m de entre-eixos, o Mégane eVision é ligeiramente mais comprido que um Sandero, por exemplo, o que reforça sua vocação urbana.

Continua após a publicidade

A Renault optou, porém, por rodas de liga leve de aro 20 dignas de SUV e pneus de perfil baixo (245/40), que limitam perturbações aerodinâmicas. Esse conjunto se destaca ainda mais em um carro curto e de poucas saliências. Homenageando o passado, o design das rodas lembra bastante o logo usado pela fabricante entre 1972 e 1992.

Desenho das rodas remete ao logo clássico da Renault (Divulgação/Renault)

Tudo isso somado a uma altura de 1,50 m e largura de 1,80 m resulta um centro de gravidade mais baixo, favorecendo a dirigibilidade em maiores velocidades e até mesmo dando pistas sobre variantes mais esportivas da família.

Interior misterioso

Ainda que a Renault não tenha liberado muitas informações sobre o interior do Mégane, suas semelhanças com o MORPHOZ permitem supor uso amplo do sistema LIVINGTECH, focado em atender às necessidades de condutor e passageiros. As informações já disponíveis do sistema dão conta de uma grande tela com 80 cm de largura e visor OLED, localizada no console central.

Ilustração conceitual do sistema LIVINGSCREEN embarcado no Renault MORPHOZ (Divulgação/Renault)

Vale lembrar que o projeto do MORPHOZ prevê compatibilidade com o sistema 5G e até mesmo a opção de girar em 180º os bancos dianteiros, ao estilo da primeira geração da minivan Espace. Essas características combinadas podem sugerir modos de direção autônoma em futuro próximo.

Continua após a publicidade

A plataforma CMF-EV prevê também interior modular e assoalho plano, favorecendo a ergonomia e habitabilidade do veículo. Ela “otimiza a eficiência energética do veículo, enquanto a maior distância entre eixos, o assoalho plano e as rodas posicionadas nos quatro cantos oferecem novas possibilidades”, comentou recentemente o diretor da Divisão de Veículos Elétricos e Serviços de Mobilidade do Grupo Renault , Gilles Normand.

A plataforma CMF-EV é resultado da Aliança Renault-Nissan (Divulgação/Renault)

Motor e desempenho

O motor elétrico do Mégane eVision deverá ser um dos mais potentes de toda a linha Renault. Com 160 kW de potência (equivalente a 217 cv), ele entregará 30,6 kgfm de torque — desempenho equivalente, por exemplo, ao 2.0 TFSI da Audi. A Renault informou que o novo carro deverá fazer de 0 a 100 km/h em menos de 8 segundos.

Baterias finas são aposta da francesa para bom desempenho do Mégane (Divulgação/Renault)

A bateria ultrafina tem capacidade de 60 kWh e suporta carregamento via corrente contínua (até 130 kW) ou alternada (22 kW). Haverá suporte ao sistema V2G, que permite devolver energia elétrica à rede.

Isso pode ser útil em sistemas dinâmicos com tarifação horária. Desse modo, o proprietário pode “vender” energia ociosa do seu veículo em horários de pico e recomprá-la mais barata, carregando as baterias em momentos como as madrugadas.

Continua após a publicidade

De acordo com o CEO da Renault, Luca de Meo, a autonomia deverá ser de aproximadamente 500 km. Haverá, também, possibilidade de incluir dispositivos que estendam esse alcance. De Meo ressaltou, também, que o design apresentado hoje corresponde a cerca de “95% do produto final”. O novo Mégane eVision deverá ser fabricado a partir do fim de 2021, chegando ao público europeu na virada para 2022.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.