Clique e assine por apenas 5,90/mês

Dacia Spring é Renault Kwid elétrico melhorado para ser vendido na Europa

Versão europeia tem seis airbags, controles de estabilidade e tração e até frenagem autônoma de emergência

Por Henrique Rodriguez - 15 out 2020, 16h03
Dacia/Divulgação

Carros da Dacia serem transformados em Renault em países emergentes é algo comum. Mas ver um Renault desenvolvido para mercados emergentes sendo transformado em Dacia para ser vendido na Europa é inédito.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.90

Pois foi isso que aconteceu com o Renault Kwid. O pequeno hatch foi criado na Índia pela Renault, ganhou versão elétrica na China (onde, inclusive, dirigimos ele) e agora foi transformado no Dacia Spring para ser o carro elétrico mais simples, eficiente e barato da Europa.

Dacia/Divulgação

Será, também, o primeiro carro elétrico da Dacia, que nem sequer tem um híbrido à venda. Mas além dos detalhes laranja espalhados pela carroceria (opcionais) e da grade exclusiva, o carro é, basicamente, igual ao Renault K-ZE vendido na China, com direito a faróis divididos em duas peças à moda da Fiat Toro.

Dacia/Divulgação

Também por isso o interior não surpreende. É como o das versões a gasolina, mas o quadro de instrumentos com velocímetro digital ao centro é próprio dele e também exibe informações úteis de autonomia e carga. A central MediaNav de 7 polegadas com Android Auto e Apple Carplay é o principal equipamento.

Continua após a publicidade

O “gostinho” de carro europeu aparece na lista de equipamentos de segurança completa, com direito a seis airbags, controles de estabilidade e tração, chamada de emergência e frenagem autônoma de emergência. Também tem piloto automático e faróis com acendimento automático.

Dacia/Divulgação

Basta ver pelos detalhes mecânicos, porém, que se trata de um carro de pretensão urbana que realmente está empenhado em se tornar acessível. O motor elétrico entrega 44 cv e 12,7 kgfm, o que justifica a velocidade máxima de 125 km/h.

Dacia/Divulgação

É pouco para um carro elétrico mas que permite que a pequena bateria de 26,8 kWh garanta autonomia para 225 km em ciclo WLTP. Mas, de acordo com a Dacia, em ciclo urbano a autonomia sobe para 295 km. Com o uso do modo ECO, que limita a potência do motor a 31 cv, ainda é possível estender a carga em 10%.

O tempo de recarga completa varia entre menos de 14h, em uma tomada doméstica, e apenas 1h para alcançar os 80% em um carregador rápido de 30W.

Dacia/Divulgação

A Dacia só vai divulgar os preços para o Sping na Europa no segundo trimestre de 2021, mas já adiantou que o carro terá garantia de 3 anos ou 100.000 km, enquanto a garantia da bateria é de 8 anos ou 120.000 km.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade