Quanto vai custar o Volkswagen Virtus com todos os opcionais?

Valor pode chegar a R$ 87.040 com todos os opcionais e pintura metálica

Virtus Highline TSI Valores no Virtus vão de R$ 59.990 até R$ 79.990, mas chegam a R$ 87.040 com todos os opcionais

Valores no Virtus vão de R$ 59.990 até R$ 79.990, mas chegam a R$ 87.040 com todos os opcionais (Divulgação/Volkswagen)

Apresentado ontem (22) pela Volkswagen, o Virtus chega às lojas custando entre R$ 59.990 e R$ 79.990. Mas com os principais opcionais, até onde esses valores chegam?

Sem a opção do motor 1.0 aspirado de três cilindros do hatch (estratégia parecida com a da Fiat para o Cronos), a versão inicial 1.6 MSI, parte dos R$ 59.990 – R$ 5 mil a mais que o Polo 1.6.

De série, ela conta com ar-condicionado, direção elétrica, vidros dianteiros e traseiros elétricos, travas elétricas, rádio 2 din com Bluetooth, quatro airbags, Isofix, computador de bordo, regulagem de altura do banco do motorista e chave tipo canivete.

Virtus Highline TSI Sedã é derivado do Polo

Sedã é derivado do Polo (Divulgação/Volkswagen)

Entre os opcionais, são dois pacotes. O Safety Pack, por R$ 1.050, oferece controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e computador de bordo mais completo.

A segunda opção é o Connect Pack, que custa R$ 2.950 e além dos mesmos equipamentos da Safety Pack, traz sensores de estacionamento, rodas de liga leve aro 15″, central multimídia Composition Touch com App-connect e volante multifuncional.

Completo, o Polo 1.6 MSI custa R$ 62.940. Por esse preço, o modelo ainda não terá retrovisores externos com ajuste elétrico, nem regulagem de altura da coluna de direção ou faróis de neblina – itens de série no Virtus topo de linha.

Virtus Highline TSI Porta-malas do Virtus é um dos maiores da categoria: 521 litros

Porta-malas do Virtus é um dos maiores da categoria: 521 litros (Divulgação/Volkswagen)

Por R$ 73.490, aparece a versão intermediária Comfortline 200 TSI. Nesta configuração, o sedã conta com controle de estabilidade e tração com bloqueio eletrônico do diferencial, coluna de direção com ajustes de altura e profundidade, faróis de neblina com auxílio em curvas, central multimídia Composition Touch, rodas de liga leve aro 15, retrovisores elétricos, sensores de estacionamento traseiros, descansa braço dianteiro e volante multifuncional.

O primeiro pacote de opcionais, Tech 1, custa R$ 2.200 (será R$ 2.990 após a fase de lançamento) e soma sistema Kessy (acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partída do motor), retrovisor interno eletrocrômico, sensores de estacionamento dianteiros, aletas para troca de marchas atrás do volante, farol com ajuste automático de intensidade, rodas de 16 polegadas, sensor de chuva e piloto automático.

O segundo pacote, Tech 2, de R$ 3.500, conta com os mesmos equipamentos do primeiro e ainda soma ar-condicionado digital (de apenas uma zona), câmera de ré, detector de fadiga, indicador de pressão dos pneus, porta-malas com sistema de ajuste e rede e porta-luvas refrigerado.

Equipado com o pacote mais completo, o Virtus Comfortline 200 TSI custa R$ 76.990.

Virtus Highline TSI Painel digital é opcional exclusivo da versão Highline

Painel digital é opcional exclusivo da versão Highline (Divulgação/Volkswagen)

A versão topo de linha Highline parte de R$ 79.990 e, além dos equipamentos da versão Comfortline, traz de série piloto automático, partida por botão, banco traseiro com encosto rebatível, luzes diurnas em led, duas portas USB, revestimento em couro na manopla do câmbio e do freio de mão. 

Nesta configuração há o pacote Tech High, de R$ 3.300 e que conta com sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, porta-malas com ajuste de espaço, comandos de voz, câmera de ré, detector de fadiga, retrovisor interno eletrocrômico, faróis automáticos, indicação de pressão dos pneus, rede no porta-malas e central multimídia Discover Media com tela sensível ao toque de 8″, GPS, sensor de aproximação, USB, Bluetooth e conexão com Android Auto, Apple CarPlay e Mirror Link.

Também está incluso nesse pacote o painel de instrumentos digital, chamado pela VW de Active Info Display, o mesmo oferecido no novo Polo.

Virtus Highline TSI Central Discover Media é a mais sofisticada

Central Discover Media é a mais sofisticada (Divulgação/Volkswagen)

É possível ainda adicionar banco dianteiro do passageiro rebatível por R$ 300, bancos forrados de couro sintético por mais R$ 800 e rodas de liga leve de 17 polegadas por R$ 1.200.

Com todos os opcionais disponíveis, o preço da versão topo de linha do Virtus chega a R$ 85.590. A marca alemã ainda cobra R$ 450 pelas cores sólidas branco e vermelho, e R$ 1.450 nas cores metálicas azul, cinza e prata – a única opção de cor não cobrada à parte é o preto sólido.

Ou seja: com todos os equipamentos mais pintura metálica (como a Azul Night, destaque no lançamento), o Virtus pode chegar a R$ 87.040.

Volkswagen Virtus Detector de fadiga do motorista faz parte do pacote Tech High

Detector de fadiga do motorista faz parte do pacote Tech High (Divulgação/Volkswagen)

O valor fica pouco mais de sete mil reais abaixo dos R$ 94.190 cobrado pelo Jetta Comfortline 1.4 TSI – maior, mais potente e com quase todos os equipamentos, com exceção do painel digital.

Há outros sedãs médios em versões de entrada vendidos por valores mais próximos, como o Focus Fastback SE 2.0 AT (R$ 84.120), Honda Civic 2.0 Sport (R$ 87.900, mas com câmbio manual) e Citroën C4 Lounge S 1.6 THP (R$ 89.990) – o Chevrolet Cruze e o Toyota Corolla já começam acima dos R$ 90.000.

Dentro do segmento de sedãs compactos premium, a briga será com Honda City, Ford New Fiesta sedã e Fiat Cronos (este último ainda sem preços revelados).

O Honda City DX 1.5 com câmbio manual (o mais simples da linha) parte de R$ 60.900. Já o mais completo EXL com câmbio CVT chega a R$ 81.400 – a Honda não trabalha com opcionais. Na lista de equipamentos do City, há uma lacuna importante em relação às versões intermediária e topo de linha do Virtus: a falta de controle de estabilidade e tração.

 

O Ford Fiesta sedã importado do México parte de um patamar mais caro: são R$ 67.260 pela versão SEL 1.6 com câmbio manual. A lista de equipamentos, porém, é superior ao dos modelos de entrada da Volks e Honda.

A versão Titanium Plus 1.6 com câmbio automatizado de dupla embreagem (sim, o Fiesta manteve o Powershift, ao contrário do que houve no novo EcoSport) chega a R$ 81.760 em pacote fechado – a Ford também não trabalha com opcionais.

Apesar do preço um pouco maior que o do Virtus Highline (sem opcionais), seu diferencial na lista de equipamentos é positivo: são sete airbags, contra quatro do VW, e teto solar elétrico de série.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Rodrigo Cherigatto

    87 MIL??????prefiro um sedan médio!

  2. Valmir Gomes

    Só otário pra comprar um volks nesse preço absurdo!! É naquele ditado que diz: “Se colar, colou…”

  3. Bruno Andrade

    87 mil eu ando de BMW seminova.

  4. Leonel Knijnik

    87 mil num Virtus? Nem a pau, Juvenal! O carro é show de bola, mas não vale 87 mil. Pago 75 mil num Civic EXR 2016 e ainda sobram 12 mil pra pagar o seguro por 4 anos.

  5. William Alexandre

    pra ter retrovisor elétrico e farol de milha só desembolsando 73.5… piada neh

  6. Nicelio Melo do Nascimento

    Gostei do Nome “Virtus” Bem Criativo!!

  7. Putz, 85.000,00 vc compra um Cruze LT. 1.4 turbo, carro de categoria acima e cá entre nos, um excelente carro! na minha opniao o melhor custo beneficio dos sedans médios! esta ai logo ao lado o desmonte de longa duração.

  8. Jose Ribeiro

    Se tivesse sido lançado um pouco antes eu teria comprado, eu deixaria de comprar o Creta, não que eu não gostei do SUV só bebe muito, eu pago tranquilo os 87.040 no tope de linha, sai mais barato por exemplo que um Corolla GLI que custa acima dos 90.000 mil e não oferece toda essa tecnologia e nem equipamentos