Clique e assine por apenas 8,90/mês

À espera do Virtus, Volkswagen declara a morte do Jetta Trendline 

Versão de entrada do sedã sai de linha, decretando o fim da oferta de sedãs médios com motor turbo e câmbio manual no Brasil

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 22 nov 2017, 18h33 - Publicado em 22 nov 2017, 18h29
Volkswagen Novo Jetta
Versão de entrada não tinha faróis de neblina, mas motor turbo era padrão divulgação

Durante a apresentação do Virtus, na última semana, a Volkswagen não teve pudor de dizer que seu novo sedã compacto tem quase as mesmas dimensões do Jetta, seu sedã médio.

São 4,66 m de comprimento no Jetta, contra 4,48 m no Virtus. Mas o sedã derivado do Polo tem os mesmos 2,65 m de entre-eixos e é apenas 2 cm mais estreito, com 1,75 m de largura. Também é 1 cm mais baixo, com 1,46 m. No porta-malas, são 521 l do Virtus contra 510 l do Jetta.

VW Jetta
Volante do Jetta Trendline era compartilhado com compactos de entrada da VW Marco de Bari

Prevendo alguma canibalização, a Volkswagen já tirou de cena o Jetta Trendline, versão de entrada. Por R$ 88.225, vinha com câmbio manual. Ou R$ 93.915 com câmbio automático Tiptronic.

Desta forma, o Jetta Comfortline, de R$ 94.190, passa a ser a opção mais em conta da linha. Combina o motor 1.4 TSI a gasolina com o câmbio automático Tiptronic. Não há opção de câmbio manual.

Continua após a publicidade
Quer um sedã médio com motor turbo e câmbio manual? Agora, só comprando um usado Divulgação/Volkswagen

Um minuto de silêncio, por favor: os sedãs médios com motor turbo e câmbio manual estão oficialmente mortos. Com motor aspirado resta apenas um, o Honda Civic Sport.

O Jetta Highline, com motor 2.0 TSI de 211 cv e câmbio DSG de seis marchas continua à venda. Custa a partir de R$ 108.600.

Virtus será mais barato

O motor 1.4 TSI de 150cv e torque máximo de 25,5 mkgf era o principal argumento do Jetta. Por outro lado, a versão Trendline carecia de mimos: tinha rodas de liga leve aro 16″, direção elétrica, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, volante com ajustes de altura e distância e freios ABS com EBD, quatro airbags e controles eletrônicos de tração e estabilidade. 

Volkswagen Virtus Highline 200 TSI
Virtus tem frente do Polo e dimensões do Jetta Divulgação/Volkswagen

É o Jetta Comfortline que tem volante multifuncional revestido de couro e com borboletas para troca de marcha, bancos de couro sintético e controle automático de velocidade de cruzeiro. 

Continua após a publicidade

Por aproximadamente R$ 75 mil, o Virtus Highline (topo de linha) terá tudo isso e um pouco mais.

Se seguir a lista de equipamentos de série do Polo, o sedã terá ainda partida sem chave, ar-condicionado automático, luzes diurnas de leds e central multimídia.

Volkswagen Virtus Highline 200 TSI
Porta-malas do Virtus tem capacidade de 521 l, 11l a mais que o Jetta Divulgação/Volkswagen

Por outro lado, bancos de couro sintético e sensores de estacionamento dianteiros são vendidos como opcionais com itens que o Jetta não tem, como quadro de instrumentos digital, câmera de ré, detector de fadiga e sensores de luz e de chuva. 

O Virtus só não será capaz de se igualar ao Jetta em desempenho.

Continua após a publicidade
Volkswagen Virtus Highline 200 TSI
Virtus tem painel de plástico duro: no Jetta toda a superfície do painel é emborrachada Divulgação/Volkswagen

A Volkswagen divulgava 0 a 100 km/h de 8,6 segundos para o Jetta 1.4 TSI com gasolina, independente da transmissão. O Virtus 1.6 manual, com 117 cv, faz o mesmo em 10,2 s. Já o 1.0 TSI com 128 cv e câmbio automático precisa de 10,4 s para alcançar os 1oo km/h. 

O Jetta também tem suspensão traseira independente do tipo multilink. Em situações de maior estresse, como relevos em curvas, ela se comporta melhor do que o conjunto de eixo de torção empregado no Polo – e também no Golf nacional.

Publicidade