Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: Jeep Compass não conta com sistema de reboque

Sabe as tampinhas no para-choque que abrigam o engate do terminal de reboque? No Compass, elas não servem para nada

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 2 abr 2018, 16h29 - Publicado em 31 jan 2018, 16h05
Longa Duração: Jeep Compass
Compass: que falta faz um sistema simples de reboque Christian Castanho/Quatro Rodas

Depois de fazer algumas incursões fora do asfalto com o Compass, o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros, foi consultar o que o SUV oferece para a vida off-road, além, é claro, da tração 4×4 e do seletor de terrenos.

Na mecânica, se familiarizou com o auxílio de descida de rampa e com o sistema de reduzida (na verdade, um recurso que utiliza a primeira marcha de relação ultracurta).

“Ainda assim, fui olhar no porta-malas o que o carro oferece para casos de emergência. Estava lá o adaptador para retirada dos parafusos antifurto, chave de fenda e chave philips, mas não encontrei o terminal roscável de reboque”, conta o editor.

Intrigado, Péricles continuou sua investigação, abrindo as tampinhas plásticas de ambos os para-choques. Foi então que veio a decepção: a dianteira não tinha sequer a rosca para receber o terminal.

Continua após a publicidade
Longa Duração: Jeep Compass
No para-choque dianteiro não há rosca para receber o terminal Christian Castanho/Quatro Rodas

Na traseira, a rosca até está lá, mas, como dito, o terminal roscável não está entre os equipamentos fornecidos com o carro. Pior, não está disponível nem no departamento de acessórios das concessionárias Jeep, como pudemos constatar ao ligar para cinco lojas.

O uso de uma rosca fêmea na estrutura do carro é comum, pois não compromete a integridade do veículo e não interfere no visual externo. Assim, causou ainda mais estranheza sua ausência num SUV de uma marca com forte DNA de off-road.

Vale lembrar que o equipamento também facilita o reboque na cidade. Por isso, ele está disponível em modelos urbanos, como Volkswagen Up!, Ford Fusion e Honda Fit.

Uma busca sobre o tema na internet rendeu boas descobertas. No site de suporte ao consumidor Reclame Aqui, há ao menos duas queixas de donos de Compass, ambos revoltados com a falta de um sistema simples de reboque.

Continua após a publicidade

Pior: um deles até se dispôs a ir a uma loja independente para confeccionar o terminal, mas o estabelecimento se negou, alegando que a rosca traseira, de alumínio, poderia não ter a resistência necessária para um eventual reboque.

Já o segundo reclamante disse que se deparou com a falta da peça da pior maneira: numa situação real de emergência, com seu Compass atolado em um areal. No manual do proprietário, não há nenhuma menção ao ponto correto de ancoragem em caso de necessidade de remoção.

A Jeep foi contatada para comentar o caso, mas não deu retorno até a publicação desta matéria. Mas a empresa se pronunciou sobre uma publicação anterior, de uma informação dada pela autorizada Dahruj, que nos vendeu o Compass.

A marca salientou que o único combustível tolerado é o diesel S-10. Qualquer outro tipo pode causar danos ao motor, comprometendo, inclusive, a garantia.

Continua após a publicidade

Jeep Compass –  15.373 km

Consumo

  • No mês: 11,7 km/l com 19,8% de rodagem na cidade
  • Desde out/17: 11,8 km/l com 22,7% de rodagem na cidade
  • Combustível: diesel S-10

Gastos no mês

  • Combustível: R$ 1.264

Ficha técnica

  • Versão: Longitude 2.0 16V turbodiesel
  • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.956 cm3, 16V, 170 cv a 3.750 rpm, 35,7 mkgf a 1.750 rpm
  • Câmbio: automático, 9 marchas, 4×4
  • Combustível: diesel
  • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 6.017
  • Revisões (até 60.000 km): R$ 3.920
Publicidade