Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: Jeep Compass faz última revisão antes do desmonte

Depois de um exame de rotina, o retorno para tratamento já está programado

Por Péricles Malheiros - 23 jul 2018, 15h26
Compass: à espera de um par de novos amortecedores Fabio Fukuda/Quatro Rodas

Por conta do motor turbodiesel, o plano de manutenção do Compass prevê paradas a cada 20.000 km.

Para que esses longos intervalos não prejudicassem uma parte importante da missão do Longa Duração – a avaliação da rede autorizada –, desde a sua estreia na frota, estipulamos que faríamos uma parada extra entre as revisões, nas quais pediríamos os serviços de alinhamento, balanceamento e rodízio e correções para eventuais problemas que surgissem.

E desse modo vem sendo feito. Sendo assim, com os atuais 40.000 km, passamos pela segunda e última revisão do SUV na rede Jeep.

Ao deixar o Compass na concessionária Amazonas, pedimos uma solução para três problemas que nos acompanham desde o início do teste: trancos no câmbio em velocidade baixa e decrescente, alavanca de seta mole a ponto de lampejar o farol alto e apagão súbito do painel (em momentos de desaceleração, por volta de 100 km/h).

Continua após a publicidade

Essas três reclamações – feitas em todas as paradas do Compass na rede Jeep até agora –, ganharam a companhia de outras duas: excesso de ruído na suspensão dianteira e odor forte vindo do ar-condicionado.

Nosso Compass em breve terá um par de amortecedores novos e de graça Christian Castanho/Quatro Rodas

Carro liberado, ouvimos o mesmo discurso de sempre: “A alavanca de seta é assim mesmo. Quanto ao câmbio e ao painel, fizemos uma atualização dos softwares de gerenciamento”, disse o consultor da Amazonas.

Sobre o ruído na dianteira, surpresa. Em vez de ouvirmos, como sempre, que eles foram eliminados com um reaperto da suspensão, desta vez, o consultor disse: “O problema está no mecanismo interno dos amortecedores dianteiros.

Como não há sinais de vazamento ou de mau uso na suspensão como um todo, vamos trocar o par em garantia. Já coloquei o pedido junto à fábrica e, quando chegar, entro em contato para agendarmos a substituição.

Continua após a publicidade

Se a solução encontrada para a barulheira da suspensão causou uma impressão positiva, o mesmo não dá para dizer sobre o mau cheiro do ar-condicionado.

“Se eu abrir a caixa do filtro de ar para fazer uma verificação, terei que trocar o elemento e fazer uma higienização do sistema, que sai por R$ 200”, disse o técnico. Detalhe: no plano de manutenção da Jeep, a revisão dos 40.000 km inclui a inspeção do filtro de cabine.

Vamos voltar à Amazonas para trocar os amortecedores, mas buscaremos outra autorizada para substituir o filtro. 

Jeep Compass – 40.045 km

    Consumo

    • No mês: 12,2 km/l com 21,8% de rodagem na cidade
    • Desde out/17: 12,2 km/l com 19,1% de rodagem na cidade
    • Combustível: disel S-10
    • Gastos no mês: R$ 1.538
    • Combustível: R$ 1.538
    • Revisão: R$1.360

    Ficha técnica

    • Versão: Longitude 2.0 16V turbodiesel
    • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.956 cm3, 16V 170 cv a 3.750 rpm, 35,7 mkgf a 1.750 rpm
    • Câmbio: automático, 9 marchas, 4×4
    • Combustível: flex (gasolina)
    • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 5.889
    • Revisões (até 60.000 Km): R$ 3.920
    Publicidade