Clique e assine com até 75% de desconto

Longa Duração: barulheira na suspensão do Jeep Compass continua

Com necessidade de reaperto a cada 10.000 km, o Compass decepciona quem busca um SUV justamente pela robustez da suspensão

Por Péricles Malheiros 14 Maio 2018, 14h21
Piso irregular e suspensão frouxa: dupla do barulho Silvio Gioia/Quatro Rodas

Qual a razão do sucesso avassalador dos SUVs?

Ao menos aqui no Brasil, o país das ruas e estradas esburacadas, a robustez da suspensão e a capacidade de transpor obstáculos urbanos (como valetas e lombadas) certamente estão entre as explicações mais prováveis.

Talvez isso explique a indignação de boa parte dos usuários do Compass nos últimos tempos.

O sentimento é de frustração: “Diferentemente do Renegade, mais compacto e, portanto, com perfil mais estético e aplicação mais urbana, o Compass não combina com uma suspensão tão ruidosa. E olha que ela passa por reaperto toda vez que visita a rede Jeep, a cada 10.000 km”, diz Péricles Malheiros, editor de Longa Duração.

Cabine: elogiada pelo espaço e acabamento Silvio Gioia/Quatro Rodas

Pior é lembrar que um ciclo parecido de afrouxamentos e reapertos também acometeu o Renegade, desmontado em 2016.

“Como o uso dos carros de Longa Duração é muito parecido (os motoristas, as viagens e até os postos de combustível visitados são basicamente os mesmos), a comparabilidade é possível e justa”, diz Péricles.

Continua após a publicidade

O piloto de teste Eduardo Campilongo também registrou suas queixas no diário de bordo: “De todas as vezes, esta é a que a suspensão está mais barulhenta”.

Como não há nenhum prejuízo perceptível à dirigibilidade, vamos novamente aguardar uma passagem pela rede Jeep para solicitar uma solução.

Ou seja, quando o SUV for submetido à quarta revisão, que já se aproxima.

Apesar da fragilidade da suspensão se juntar a outros problemas (apagões repentinos do painel, alavanca que lampeja o farol alto involuntariamente e trancos no câmbio), a lista de elogios ao Compass ainda é maior, com destaque para a força do powertrain, o nível de conforto a bordo, o bom pacote de equipamentos, o acabamento interno caprichado e a boa oferta de espaço na cabine.

  • Jeep Compass –  34.802 km

    Consumo

    • No mês: 13 km/l com 14,9% de rodagem na cidade
    • Desde out/17: 12,2 km/l com 18,7% de rodagem na cidade
    • Combustível: diesel S-10

    Gastos no mês

    • Combustível: R$ 1.234

    Ficha técnica

    • Versão: Longitude 2.0 16V turbodiesel
    • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.956 cm3, 16V, 170 cv a 3.750 rpm, 35,7 mkgf a 1.750 rpm
    • Câmbio: automático, 9 marchas, 4×4
    • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 5.889
    • Revisões (até 60.000 km): R$ 3.920
    Continua após a publicidade
    Publicidade