Clique e assine por apenas 5,90/mês

Lexus LS 460L

Poucos meses depois de lançado no Brasil, modelo é renovado e mostra poderio para disputar território dos europeus

Por Por Fernando Valeika de Barros | Fotos: divulgação - Atualizado em 24 nov 2016, 10h28 - Publicado em 5 out 2012, 14h14

impressoes

No fim do primeiro semestre deste ano, quando a Lexus apresentou sua linha de modelos para a nova ofensiva a fim de conquistar o mercado brasileiro, um dos destaques era o LS 460 L. O sedã topo de linha é um dos símbolos da marca, nascido em 1989 para falar de igual para igual com Mercedes Classe S e BMW Série 7. Mas, poucas semanas depois, a marca anunciou que um novo LS 460 L chegaria em novembro, com presença confirmada no Salão do Automóvel de São Paulo. Ao contrário do que parece, a marca diz que isso não foi um problema para seus clientes, que pagavam 615 000 reais pelo modelo. “Como parte da estratégia de lançamento da Lexus no Brasil, nós precisávamos apresentar a versão então disponível do nosso sedã mais luxuoso. Mas todos os interessados foram avisados de que logo chegaria a nova versão”, diz Paulo Manzano, gerente da Lexus no país. A julgar pela evolução do carro, quem esperou se deu bem.

Nas versões redesenhadas do sedã que avaliamos pelas estradas ao sul de São Francisco (EUA), chama atenção logo à primeira vista o alinhamento de estilo com novos Lexus. Seus traços mais marcantes são a imponente grade, que perdeu o ar clássico para ficar esportiva, e os faróis com o “L” (de Lexus) delineado por leds, novo padrão nos carros da marca.

Embora não seja ainda a quinta geração, cerca de 50% das cerca de 6 000 peças mudaram em relação ao modelo de 2006. Infelizmente, a renovação não chegou ao motor. Sob o capô está praticamente o mesmoV8 de alumínio de 4,6 litros e 347 cv de antes, assim como o câmbio automático de oito marchas. Mas ele ainda dá conta do recado com sobra. Segundo a fábrica, o sedã atinge 250 km/h e vai de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos, apesar dos seus 2 130 kg.

As medidas também não se alteraram: o LS 460 L continua com 5,18 metros de comprimento e 3,09 de entre-eixos (há nos EUA o LS 460, 12 cm menor, que não é exportado para o Brasil). A suspensão, porém, foi retrabalhada e a rigidez estrutural, aprimorada. Há agora quatro modos de condução: um econômico, um confortável e dois esportivos. Uma vez definido o ajuste, a central eletrônica altera comportamento da suspensão, rigidez da direção e programação de troca das marchas. Também houve melhoria na aerodinâmica (para deixar o veículo menos vulnerável às turbulências), no isolamento acústico e na maciez ao rodar – o miolo das rodas de liga leve foi redesenhado com pequenas câmaras de ar no interior, para ajudar a filtrar as irregularidades do piso.

O LS 460L é recheado de eletrônica. Sensores indicam carros nos pontos cegos ou detectam pedestres à frente e são capazes de agir de dia ou à noite. Os faróis comutam automaticamente para não ofuscar os olhos de quem vem do lado oposto. Em caso de risco de colisão iminente, um alarme soa e um aviso pede para o motorista frear. Se a velocidade até o obstáculo à frente estiver acima dos 40 km/h, o próprio sistema entra em ação, freando o carro sozinho.

Na cabine, painel e volante revestidos de madeira nobre escura são montados com peças de uma mesma árvore. “Elas são numeradas, uma a uma, tratadas e voltam a ser reunidas no mesmo carro, garantindo construção mais homogênea”, afirma o engenheiro-chefe do novo Lexus, HidekiWatanabe.

Neste modelo renovado, os assentos dianteiros de couro de alta qualidade foram redesenhados para acomodar melhor as pernas – ganharam 2 cm de recheio e ficaram mais aconchegantes. A um toque de botão, o banco pode se aquecer ou refrigerar ao gosto de cada um dos passageiros, assim como o ar-condicionado. No painel, também remodelado, agora destaca-se uma enorme tela de 12,3 polegadas.

Shiatsu nas costas

Num LS 460, mais importante que dirigir é usufruir os mimos no banco traseiro, onde o espaço é digno de uma classe executiva de avião. Dá para cruzar as pernas com folga e, se o passageiro quiser, pode acomodá-las num apoio elevado e reclinar o encosto em 45 graus, tudo eletricamente. A mordomia inclui mesas retráteis para adiantar o trabalho a caminho do escritório, dois monitores traseiros de 9 polegadas, conectados ao DVD player ou ao som com 19 alto-falantes, e um massageador embutido nos bancos, com opção shiatsu.

O LS deve custar por aqui 619 000 reais, 150 000 mais que o BMW 750i. A Lexus diz que ainda negocia com a matriz para que o valor caia para 590 000 reais. Apesar de suas inegáveis qualidades, o preço pode fazer a diferença num segmento no qual imagem, carisma e tradição são tão importantes quanto sofisticação e tecnologia. E aí, especialmente no Brasil, para a Lexus, há um bom trabalho de marca pela frente.

VEREDICTO

O luxo e o conforto do LS 460 L não fazem feio frente aos mais caros Mercedes e BMW, mas ele ainda perde em preço e prestígio quando comparado aos rivais alemães.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade