Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ford Ranger XLS 2.0 é simples sem ser básica e tem preço de Rampage

Versão XLS une novo motor 2.0 a câmbio automático e tem equipamentos que rivais completas não têm

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 17 out 2023, 17h04 - Publicado em 17 out 2023, 17h00

O mercado de picapes terminará o ano bem diferente de como começou. Agora existe a nova Chevrolet Montana com porte entre as Fiat Strada e Toro, há Chevrolet Silverado e Ford F-150 para dividir as atenções com as Ram 1500 e a Ram Rampage pôs em xeque a necessidade de alguns consumidores comprarem picapes médias – agora com descontos generosos na tentativa de manter as vendas. As versões básicas da nova Ford Ranger estreiam em meio a um pequeno caos.

Na verdade, a Ranger XLS pode contribuir para as movimentações no segmento. É o que se espera quando um carro estreia uma geração à frente dos seus rivais, com evoluções em diversos aspectos. Neste caso em específico, a Ford surpreendeu por não ter deixado os avanços apenas para as versões mais caras.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

Enquanto as versões mais caras avançaram do cinco cilindros 3.2 de 200 cv para um V6 3.0 de 250 cv nas versões mais caras, as versões de entrada trocaram o antigo motor 2.2 Duratorq por um menor. O novo 2.0 Ecoblue é o mesmo da Transit, mas em versão com 170 cv e 41,3 kgfm, o que representa um ganho de 10 cv e 2 kgfm frente ao antigo motor.

Esse motor mais moderno já usa soluções como turbo de geometria variável (TGV), pistões de alumínio com seu centro defasado em 10 mm do centro do virabrequim para reduzir o atrito e trabalha com correia imersa em óleo. É um motor Euro 6 que já era usado pela Ranger em outros continentes, mas estreia agora por aqui por cumprir novas regras de emissões, usando injeção de Arla 32 no escape.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Motor 2.0 é o mesmo da Transit (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Se a Transit tem opção de câmbio automático de 10 marchas (o mesmo da Ranger V6), nas Ranger 2.0 o principal câmbio é o automático de seis marchas é o mesmo da Ranger antiga, mas com novo módulo de gerenciamento e quatro modos de funcionamento. Só há uma versão manual de seis marchas, a XL 4×4, com rodas de aço aro 16 e para-choque sem pintura, destinada ao mercado de frotas por R$ 239.990.

Continua após a publicidade
Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

Mesmo essa versão mais simples tem sete airbags, quadro de instrumentos digital de 8 polegadas, central multimídia SYNC 4 com tela de 10 polegadas e conexão sem fio com Android Auto e Apple CarPlay, faróis com acendimento automático e ajuste elétrico de altura e piloto automático.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Todas as Ranger XLS têm faróis de led (Fernando Pires/Quatro Rodas)

As Ranger XLS, espera a Ford, terão uso misto entre lazer e trabalho, o que justifica uma maior preocupação estética vista na presença de para-choques pintados, dos mesmos faróis de led das XLT e Limited, de faróis de neblina halógenos e das rodas de liga leve aro 17.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Caçamba pode levar até 1.037 kg de carga (Fernando Pires/Quatro Rodas)

No uso, a câmera de ré, os sensores de estacionamento traseiros, o carregador sem fio para smartphones, as saídas de ar-condicionado para a segunda fila, junto com duas portas USB, além da partida remota com acionamento do ar-condicionado podem ajudar no dia a dia de alguns. Tudo isso é padrão a partir da Ranger XLS 4×2, que custa R$ 234.990. A versão 4×4, como a testada, ainda tem bloqueio do diferencial traseiro e custa R$ 259.990.

Ainda tem uma versão XLS V6, com o visual franciscano e a mecânica das versões mais caras, por R$ 279.990 – ou R$ 10.000 a menos que uma Ranger XLT.

Restrições disfarçadas

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

Por fora a falta de cromados e de rack no teto servem como indícios de esta ser uma versão mais simples. Por dentro, porém, desavisados ficam impressionados.

Continua após a publicidade
Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Quadro de instrumentos digital tem 8 polegadas (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Quem vê o quadro de instrumentos digital de 8 polegadas ou a central multimídia vertical de 10 polegadas não imagina que nas XLT e Limited essas telas teriam 12 polegadas e menos moldura. Mesma coisa para a faixa horizontal do painel que combina plástico texturizado e um plástico cinza brilhante, que dão lugar à combinação de plástico macio e prateado nas versões mais caras.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Alavanca de câmbio é convencional, mas versão tem carregamento por indução (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O console, porém, é completamente diferente pois o seletor do câmbio automático de seis marchas é convencional, não do tipo joystick como o usado com o câmbio de 10 marchas. À frente dele está o porta-objetos com carregador sem fio, as portas USB, o seletor giratório da tração e os botões dos modos de funcionamento do câmbio, do bloqueio do diferencial e do assistente de descida em rampa. Pelo menos assim não dá a impressão de que falta alguma coisa nesta versão.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Saída de ar-condicionado traseira é luxo inesperado para uma versão básica (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Na verdade, falta sim. Bancos de couro (ou de material que o imite) são uma exigência comum entre os usuários de picape por facilitar a limpeza, mas a forração poderia chegar ao apoio de braços central, que é de plástico. Mas, em se tratando de uma picape média, o resultado está de bom tamanho.

Como anda a Ranger 2.0?

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

Dá para adiar, mas não dá para deixar de falar sobre esse novo motor 2.0 turbodiesel, o menor já usado pela Ford Ranger no Brasil. Talvez por isso fique a sensação de que entrega mais do que nós esperávamos.

Chama a atenção como o motor é responsivo ao pedal, reagindo rápido e com força consistente, e como o câmbio automático passou a executar as trocas de forma mais rápida e suave. A diferença para o motor V6 é enorme como se imaginava (afinal, tem 20 kgfm de torque a mais), mas ele está bem acima da média do segmento. O 2.0 está alinhado aos menores motores em um segmento onde ele é o menor.

Continua após a publicidade
Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

Isso ficou mais evidente em nossa pista de testes, onde a Ford Ranger XLS 2.0 4X4 precisou de 11,6 segundos para chegar aos 100 km/h. A Nissan Frontier (2.3 biturbo com 190 cv) cumpre o mesmo em 12,2 s e a Mitsubishi L200 (2.4 turbo com 190 cv), 12 s. Uma Fiat Toro 2.0 turbodiesel é menor e tem tração 4×4 permanente e cumpre o mesmo em 11,3 s.

Compartilhe essa matéria via:

Também há uma clara evolução frente ao antigo 2.2 Duratorq, que levava a geração passada da Ranger aos 100 km/h em 12,6 s. Mas o consumo urbano que era de 11 km/l diminuiu para 9,6 km/l, enquanto o consumo rodoviário passou dos 12,5 km/l para os 13,5 km/l.

Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
(Fernando Pires/Quatro Rodas)

As Ranger 2.0 também se valem da melhora do isolamento acústico da cabine (ainda que o motor se torne bastante audível em alta rotação) e da evolução na suspensão.

Ainda que esta mecânica seja mais leve, a suspensão dianteira foi calibrada para manter a sensação de maciez notada nas V6. Assim, é capaz de usar seu maior curso de suspensão e filtrar mais imperfeições sem transferir aos passageiros. Contudo, o conjunto traseiro, que preserva os amortecedores montados por fora das longarinas, é claramente mais firme. Dentre todos os aspectos, talvez seja esse o único que ainda tenha traços de uma picape de trabalho tradicional.

Continua após a publicidade

Ficha técnica – Ford Ranger XLS 2.0 4X4 AT

Motor: diesel, dianteiro, longitudinal, 4 cil., 1.995 cm³, ’16V, 170 cv a 3.500 rpm, 41,3 kgfm a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas, tração 4×4 sob demanda
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo rígido com semielípticas (tras.)
Freios: disco ventilado nas quatro rodas
Pneus: 255/70 R17
Dimensões: comprimento 537 cm; largura, 220,8 cm; altura, 188,4 cm; entre-eixos, 327 cm; peso, 2.069 kg; tanque de combustível, 80 l; caçamba, 1.250 l; carga útil, 1.03 kg

Teste – Ford Ranger XLS 2.0 4X4 AT

Aceleração
0 a 100 km/h – 11,6 segundos
0 a 1.000 m – 33,4 s – 154,4 km/h
Velocidade máxima – n/d
Retomadas
D 40 a 80 km/h – 5,1 s
D 60 a 100 km/h – 6,6 s
D 80 a 120 km/h – 8,9 s
Frenagens
60/80/120 km/h a 0 – 16,4/29,6/65 m
Consumo
Urbano – 9,6 km/l
Rodoviário – 13,5 km/l
Ruído interno
Neutro/RPM máx. – 41,2/73,4 dBA
80/120 km/h – 58,4/72,2 dBA
Aferição
Velocidade real a 100 km/h – 97 km/h
Rotação do motor a 100 km/h – 1.800 rpm
Volante – 2,7 voltas
Seu bolso
Preço – R$ 259.990
Garantia – 3 anos

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.