Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Great Wall quer ter base global no Brasil, mas estreia será com importados

Com fábrica que era da Mercedes,. Great Wall Motors pretende transformá-la em base de exportação na América do Sul; vendas começam em 2022 com importados

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 13 set 2021, 14h46 - Publicado em 13 set 2021, 10h00
HAVAL
Haval Jolion tem motor 1.5 turbo e porte de Jeep Compass (Divulgação/Quatro Rodas)

Por pelo menos 13 anos a Great Wall Motors (GWM) estudou sua entrada no mercado brasileiro. Foi tanto tempo que a ofensiva de marcas chinesas veio e passou, deixando Caoa Chery, JAC e BYD, cada uma com sua estratégia. O que a Great Wall está fazendo de diferente é estrear no Brasil já com uma fábrica pronta, ou quase isso.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Maior fabricante de capital privado da China, a Great Wall comprou a fábrica da Mercedes em Iracemápolis (SP), que de 2016 a 2020 foi responsável pela produção do SUV GLA e do sedã Classe C, que agora será importado, e tem capacidade instalada para produzir 20.000 unidades por ano. Desde já, a fabricante chinesa pretende ampliar essa capacidade para 100.000 carros/ano.

A transação inclui ativos como terreno de 1,2 milhão de m², planta, máquinas e equipamentos, e deverá ser concluída ainda em 2021. O valor não foi divulgado, mas a GWM já adiantou que pretende criar 2.000 empregos e transformar a fábrica brasileira em uma de suas bases globais de produção para atender não somente o mercado interno como também o dos nossos vizinhos da América do Sul.

GWM Ute
Picape P Series é grande, moderna e promissora (Divulgação/Quatro Rodas)

Por sinal, a Great Wall tem uma pequena linha de montagem CKD no Equador e também está presente em Uruguai, Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Chile. A marca até já chegou a nomear um representante em nosso país, mais exatamente em Brasília, em 2009. Mas o negócio não evoluiu e acabou rapidamente.

Foco nos SUVs

O estímulo que faltava para a marca criar raízes no Brasil veio de uma negociação congelada. Em 2020, a Great Wall anunciou a compra das fábricas da General Motors na Índia e na Tailândia.

Continua após a publicidade

O problema é que, por conta das tensões entre China e Índia, no Himalaia, o governo indiano passou a barrar qualquer investimento chinês. Dessa forma, parte do dinheiro que seria investido lá foi destinado ao Brasil.

A Great Wall atua na China com cinco submarcas. Mas vai demorar um pouco mais para se ver os carros da luxuosa Wey, da off-road Tank e da Ora, focada nos carros elétricos, aqui no Brasil. A estreia da fabricante por aqui será com os SUVs compactos e médios da Haval e com a família de picapes da GWM, a partir de 2022.

A fase dos carros baratos passou para as marcas chinesas. Seguindo a estratégia de sucesso da Caoa Chery, a estreia da Great Wall no mercado brasileiro será com os recém-lançados Haval Jolion e H6, modernos e com personalidade suficiente para estabelecer a empresa no país até que a fábrica esteja operando, com cadeia de fornecedores estabelecida.

Continua após a publicidade
Haval H6
Haval H6 é um dos carros de maior sucesso da GWM (Divulgação/Quatro Rodas)

Com 4,47 metros de comprimento e 2,70 m de entre-eixos, o Haval Jolion (pronuncia-se “Chulian”, que significa “primeiro amor”) tem o porte de SUVs conhecidos em nosso mercado como o Jeep Compass ou VW Taos. Seu motor é um 1.5 Turbo com injeção direta de combustível e rende 156 cv e 22 kgfm.

O câmbio é de dupla embreagem com sete marchas. Tem sete airbags e até mesmo frenagem autônoma de emergência e piloto automático adaptativo. No Uruguai, parte dos 30.000 dólares.

O Haval H6, por sua vez, foi lançado há apenas dez anos e já está em sua terceira geração. É significativamente maior que o Jolion, com 4,65 m de comprimento. Mas o entre-eixos é de 2,68 m – o mesmo de um Toyota RAV4.

Continua após a publicidade

Sua oferta mecânica é mais diversa, a começar pelo 1.5 turbo em versão de 170 cv e 29 kgfm, passando a um 2.0 turbo de 225 cv e 39 kgfm combinado a um câmbio de dupla embreagem e nove marchas.

O pináculo da linha, porém, é a versão híbrida, que combina o motor 1.5 de 170 cv e um elétrico, para entregar a potência máxima de 243 cv e 54 kgfm. No Uruguai, o preço da versão 2.0 começa em 46.000 dólares.

Iracemapolis
Fábrica terá capacidade cinco vezes ampliada (Divulgação/Quatro Rodas)

Outro modelo aventado e até com patente registrada no Brasil é a picape média P Series (também conhecida como Poer, Pao e Cannon). O chassi vem do SUV Haval H9, mas com 5,41 m de comprimento e 3,23 m de entre-eixos é maior que uma Ford Ranger.

Continua após a publicidade

Há motores 2.0 turbo a gasolina (200 cv) e 2.0 turbodiesel (177 cv), câmbio manual de seis marchas, automático de oito fornecido pela ZF (o mesmo da VW Amarok) e opção de tração 4×4. Aparentemente, não é só um rostinho bonito: vem sendo elogiada por publicações de Ásia, Oceania e África, onde já foi lançada.

O grande desafio para a Great Wall pode ser entender as peculiaridades do mercado brasileiro. Mas, com a fábrica e bons produtos, as chances de sucesso aumentam.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa quatro rodas 748 agosto 2021

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.