Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mercedes-Benz confirma venda de fábrica à chinesa Great Wall

Great Wall é uma das maiores fabricantes chinesas e há anos estuda sua entrada no Brasil. Fará isso com uma fábrica para 100.000 unidades/ano

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 18 ago 2021, 14h19 - Publicado em 18 ago 2021, 11h25
Fábrica da Mercedes
Fábrica de automóveis da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP) foi vendida à Great Wall Motor Divulgação/Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz anunciou a venda da fábrica de automóveis de Iracemápolis (SP) para a chinesa Great Wall Motor. A negociação inclui a fábrica de onde saíam os Mercedes Classe C e GLA até dezembro de 2020 e ainda o terreno de 1,2 milhão de metros quadrados, juntamente com todos os prédios e os equipamentos de produção.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

O Campo de Provas da Mercedes-Benz e o Centro de Testes, que está sendo construído em parceria com a Bosch, ambos em Iracemápolis, não fazem parte da negociação, cujo valor não foi revelado.

A fábrica da Mercedes foi anunciada em 2013 e começou a operar em 2016. Sua capacidade anual instalada era de 20.000 carros por ano no momento que fechou. Agora, a Great Wall Motor, ao confirmar a compra, disse que a planta terá capacidade anual de produção de 100 mil veículos.

Fábrica mercedes iracemápolis
Mercedes produziu carros em Iracemápolis entre 2016 e 2020 Divulgação/Mercedes-Benz

“Com a transformação da Companhia e o realinhamento da capacidade produtiva da nossa rede global de produção, estamos aumentando de forma sustentável a nossa eficiência produtiva. Com a Great Wall Motors, encontramos um comprador que dará à fábrica de Iracemápolis e região uma nova perspectiva para o futuro”, disse Membro do Conselho de Administração da Mercedes-Benz AG, responsável pela Gestão da Cadeia de Produção e Abastecimento, Jörg Burzer.

  • Com a venda da fábrica, que não chegou a completar um ano sem função, a Mercedes-Benz no Brasil mantém as unidades de São Bernardo do Campo (caminhões, chassis de ônibus e agregados) e Campinas (Peças e Serviços ao Cliente, Reman e Global Trainning), em São Paulo; além da planta de Juiz de Fora (cabinas de caminhões), em Minas Gerais. No caso dos automóveis, a fabricante reforça que mantém suas 50 concessionárias em todo o país.

    No início de julho, O Globo trouxe à tona que o negócio entre as duas empresas havia sido fechado ainda em junho. A concretização do negócio esteve em jornal interno da Great Wall, inclusive.

    Quem é a Great Wall Motor?

    great wall
    reprodução/Internet

    A Great Wall foi fundada em 1984 e produz carros desde 1993. Ela está presente em vários países da América do Sul por meio de importadores, mas a operação do Chile é a que mais se destaca: a marca teve 2.435 emplacamentos por lá em 2020, sendo seu sexto maior mercado no mundo.

    Há mais de 10 anos a maior fabricante de automóveis da China estuda sua entrada no mercado brasileiro onde, inclusive, chegou a ter um pequeno representante em Brasília em 2009. A empresa importava o Hover, um SUV médio com motor 2.4 de origem Mitsubishi ofertado por R$ 69.000 à época. Mas o negócio não evoluiu.

    Na última década também houve diversas manifestações da empresa sobre seu desejo de ter uma fábrica no Brasil. A GWM chegou a anunciar uma fábrica no Brasil em 2013, com seus executivos visitando Ribeirão Preto, Guarulhos, Joinville e os arredores de Salvador. Entretanto, os planos não se concretizaram.

    Desde 2018 a fabricante chinesa vinha sondando executivos de outras fabricantes no Brasil. Primeiro abriram sucursal na cidade de São Paulo reportando diretamente à sede, em Baoding. Agora, têm uma fábrica no estado.

    GWM Poer
    GWM Poer GWM/Divulgação

    Em 2020 a Great Wall comprou as fábricas da General Motors na Índia e na Tailândia. Na Tailândia, a Great Wall também havia prometido uma sucursal, mas foram anos até que o fechamento da planta da GM, em 2020, servisse como oportunidade perfeita. O roteiro é familiar.

    Continua após a publicidade

    Desde fevereiro, a GWM vende o SUV Haval H6 e o compacto elétrico ORA Good Cat aos tailandeses, com mais dois modelos previstos até o fim do ano. Em esquema análogo ao das empresas de tecnologia da China, a montadora foca em eficiência, preços competitivos e marketing de vanguarda para atrair público.

    Quais serão os próximos passos?

    Como nos outros países, a tendência é de que a Great Wall chegue como importadora, iniciando produção local depois. A empresa tem bons produtos, como a picape média Great Wall Série P (ou Poer), elogiada em mercados da Ásia e Oceania. 

    gREAT wALL pOER
    gwm/Divulgação

    Seu porte é um pouco maior que o de uma Toyota Hilux: 5,36 m de comprimento, 1,88 m de largura e altura, e 3,23 m de entre-eixos. O motor é um 2.0 turbo a gasolina de 200 cv, que pode ser gerenciado por câmbio manual de seis marchas ou automático de oito. Este último, fornecido pela ZF, é o mesmo da nossa VW Amarok.

    gREAT wALL pOER
    GWM/Divulgação

    A tração é 4×4, com prioridade de entrega de torque às rodas traseiras e diferencial central blocante. Entre seus atributos off-road, constam 90 cm de capacidade de imersão.

    Mas seu forte são os SUVs, como o moderno WEY Tank 300, um jipão com visual de poucos amigos à moda dos Jeep Wrangler e Mercedes Classe G. O motor é um 2.0 turbo com 230 cv e 39,4 kgfm. A transmissão é automática, com oito velocidades.

    Way Tank 300
    GWM/Divulgação

    O modelo com maior capacidade off-road da história da Great Wall tem linhas quadradas e os faróis redondos misturam um pouco de Jeep Wrangler e Ford Bronco. O que a WEY divulgou sobre a mecânica também: o SUV terá bloqueios nos diferenciais dianteiro, central e traseiro, que atuarão de acordo com os nove modos de tração predefinidos. 

    Way Tank 300
    GWM/Divulgação

    Talvez seja obra do destino, mas o interior do Tank 300 tem visual que remete aos SUVs mais recentes da Mercedes-Benz.

    tank 300
    Interior do Tank 300 Auto Sohu/Reprodução

    Outro modelo de destaque é o Haval H6, um SUV médio do porte do Caoa Chery Tiggo 8, com 4,65 m de comprimento. Ele, inclusive, já foi lançado na Argentina e tem motor 1.5 turbo com injeção direta, aliado a câmbio automatizado de dupla embreagem com sete marchas.

    haval h6
    Novo H6 ajudou Haval – marca de SUVs da Great Wall – a bater recordes de venda na Rússia. Agora comanda o desembarque na Tailândia Great Wall/Divulgação

    Seis airbags são equipamentos de série, assim como a tela de 10,2 pol que cumpre a função de quadro de instrumentos e a central multimídia de 12,2 pol. Ainda tem head-up display, que pode ser usado para exibir informações ao motorista sem que este precise desviar a visão do trânsito.

    Great Wall Haval H6
    Great Wall/Divulgação

    A empresa também vem investindo pesado em carros elétricos, muitos deles pequenos, por meio da ORA, que tem um Ballet Cat, uma releitura moderna do Fusca, como criação mais recente.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Edição de julho

    Continua após a publicidade
    Publicidade