Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

‘Van da Lamborghini’ tem 600 cv e descanso de pés sobre motor V12 central

Buscando promover seu serviço de frete, entusiasta sul-africano seguiu "manual" e criou com cara de Aventador e V12biturbo

Por Eduardo Passos Atualizado em 4 out 2021, 18h30 - Publicado em 4 out 2021, 18h22
Esse Aventador parece diference? Calma, é só um Toyota HiAce com motor V12
Esse Aventador parece diferente? Calma, é só um Toyota HiAce com motor V12 Reprodução/Stefan Kotzé

O sul-africano James Redelinghuys tem um passatempo comum aos leitores de QUATRO RODAS. De vez em quando compra carros mais antigos para modificá-los sem preocupação. A fim de promover sua empresa de transportes, entretanto, o empresário bolou uma estratégia publicitária que fugiu do controle e resultou em um “Lamborghini furgão” — com motor V12, claro.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Tudo começou quando, conta ao Top Gear, James Redelinghuys decidiu utilizar suas habilidades de entusiasta e adquirir uma Toyota HiAce, van equivalente à Mercedes-Benz Sprinter e vendida na África do Sul como Quantum. A intenção era acrescentar um turbocompressor ao motor 2.7 de 158 cv, similar ao que equipa a Hilux flex no Brasil.

O dia de princesa do veículo leve de carga ganhou novos rumos quando o projetista conheceu uma empresa japonesa que produzia kits de modificação para vans ao estilo do Lamborghini Aventador. O pacote custou o equivalente a R$ 37.000 e incluiu novos para-choques, rodas, aerofólios, faróis e lanternas.

Redelinghuy utilizou 12 camadas de tinta vermelha especial, que custaram mais do que a pintura do Aventador de verdade
Redelinghuy utilizou 12 camadas de tinta vermelha especial, que custaram mais do que a pintura do Aventador de verdade Reprodução/Stefan Kotzé

Obviamente o para-choque frontal já chamaria atenção em qualquer rua da Cidade do Cabo, mas Redelinghuys sentiu que o DNA italiano de sua Quantum, agora vermelha, pedia mais. “Acordei às 4h e pensei: esse motor 2.7 não é suficiente. Eu preciso de um V12 central”, e assim o fez.

Continua após a publicidade
  • Obviamente ele não veio de Sant’Agata Bolognese, mas de um Toyota Century das antigas. Os 12 cilindros do motor 5.0 estavam lá e, com ajuda de dois turbocompressores, o primeiro passo estava feito.

    Para cumprir o segundo requisito do sonho (motor central), James recorreu à ajuda do irmão e optou pelo mais simples: cortou o assoalho da van e instalou ali o V12 com suportes sob medida e um minúsculo cardan

    O sul-africano não explicou como lidará com calor e ruído do V12 sob o descanso de pés
    O sul-africano não explicou como lidará com calor e ruído do V12 sob o descanso de pés Reprodução/Stefan Kotzé

    Após dois V12 destruídos no dinamômetro, chegou-se à configuração perfeita de 600 cv e 72,1 kgfm. Para tornar a “Lamborghini HiAce” domável foi instalada suspensão duplo A na traseira e novo diferencial de deslizamento limitado tirado de um Ford Mustang GT.

    Passageiros também sentarão em bancos automobilísticos
    Passageiros também sentarão em bancos automobilísticos Reprodução/Stefan Kotzé

    Como o Toyota foi projetado para transporte de cargas e sempre rodará mais leve do que o peso médio usado em seus cálculos, o preparador crê que os freios originais são suficientes. Mas a empreitada ainda não acabou, e em breve a van ganhará interior repleto de couro e detalhes rubro-negros, além de quatro bancos em concha feitos para uso, claro, em superesportivos.

    Para alívio do ciclista, agora há fotos que comprovam seu avistamento
    Para alívio do ciclista, agora há fotos que comprovam seu avistamento Reprodução/Stefan Kotzé

    Quanto ao V12 no meio da cabine, James Redelinghuys responde com certo deboche bem-humorado, digno a quem cometeu tamanha ousadia: “ele será coberto e usado como descanso para os pés dos passageiros”.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    CAPA quatro rodas setembro edição 749
    A edição 749 de QUATRO RODAS já está nas bancas! arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade