Transformando modelos atuais em clássicos de rali

Ingleses se inspiram em ícones do rali para criar versões de carros do presente

Renault Alpine Renault Alpine Concept

Renault Alpine Concept  (/)

Lembra dos caras que fizeram recriações de carros baseados em personagens de Star Wars? Eles estão de volta, dessa vez se inspirando em modelos que fizeram história em competições de rali. Fãs do lendário Grupo B e da época de ouro do rali Dakar irão adorar!

Alfa Romeo Giulia

Alfa Romeo Guilia Alfa Romeo Giulia com a clássica pintura Martini de competição

Alfa Romeo Giulia com a clássica pintura Martini de competição  (/)

A Alfa Romeo não tem lá grande tradição em ralis – seu forte sempre foram as corridas de turismo e monopostos – mas o burburinho causado pelo novo sedã esportivo Giulia dá pistas de que vem mais competidor por aí. Que tal vesti-lo com o clássico esquema de cores da Martini?

Audi TT quattro

Audi TT Quattro Audi TT emulando o visual do Quattro do Grupo B

Audi TT emulando o visual do Quattro do Grupo B  (/)

No início da década de 1980, o primeiro Audi quattro revolucionou as corridas de rali ao apostar na combinação entre motor turbo e tração integral, uma fórmula tão boa que se manteve atual. Hoje a marca das quatro argolas está fora da categoria. Fica a nossa sugestão: um TT inspirado no clássico “Ur-quattro”.

Fiat 595 Abarth

Fiat 500 Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth  (/)

A divisão de competição Abarth tem muita história para contar em ralis. O próprio Cinquecento original conseguiu vitórias contra rivais bem maiores, emulando o sucesso do Mini Cooper com tempero mais italiano. Nada mais lógico, portanto, que preparar o 595 Abarth atual com enormes caixas de roda e aerofólio.

Ford Mustang RS200

Ford Mustang Um Ford Mustang com visual inspirado no RS200 do Grupo B

Um Ford Mustang com visual inspirado no RS200 do Grupo B  (/)

O RS200 original é um dos mais famosos carros criados especialmente para ralis, na época do Grupo B. A Ford hoje em dia não possui nada comparável em seu catálogo. Solução? Adaptar um Mustang para a tarefa – ainda mais agora que ele definitivamente abandonou o obsoleto eixo de torção na suspensão traseira.

Lancia Delta Integrale

Lancia-Delta Lancia Delta Integrale

Lancia Delta Integrale  (/)

Ok, nós sabemos: o Delta atual (e a própria Lancia) não chega perto do pocket rocket que fez a alegria dos entusiastas no passado. Junto com outros clássicos como Stratos e 037, a Lancia conquistou nada menos que 11 títulos mundiais de rali. Com a pintura nas cores da Aeritalia, até mesmo o insosso Delta ficou legal.

Mercedes-Benz Classe S “Red Pig”

Mercedes S Class Saloon Mercedes-Benz Classe S

Mercedes-Benz Classe S  (/)

Em 1971, um sedã 300SEL apelidado de Red Pig (porco vermelho) fez história ao conquistar o segundo lugar nas 24h de Spa-Francorchamps. Não falta potência ao atual Classe S em sua versão S 65 para fazer bonito nas pistas – mas claro que um belo regime tirando todos os supérfulos de conforto e infotainment seria altamente benéfico para ele.

Porsche 911

Porsche 911 Porsche 911 nas cores da Rothmans

Porsche 911 nas cores da Rothmans  (/)

Com tração integral e desempenho de supercarro, o Porsche 959 chegou a vencer a edição 1986 do rali Paris-Dakar. A recriação, utilizando como base o 911 atual, veste as cores dos cigarros Rothmans, que também ficaria na memória ao patrocinar a Williams na Fórmula 1.

Renault Alpine

Renault Alpine Renault Alpine Concept

Renault Alpine Concept  (/)

Os Alpine foram bastante vitoriosos nas décadas de 1950 e 1960 – inclusive no Brasil, onde o carro foi fabricado pela Willys com o nome Interlagos. A Renault deve voltar a produzir o esportivo em 2016, e não é difícil imaginá-lo voltando às competições, vestindo azul, como manda a tradição dos bólidos franceses.

Rolls-Royce Wraith “Jules”

Rolls Royce Wraith Rolls-Royce Wraith inspirado no famoso “Jules” de rali

Rolls-Royce Wraith inspirado no famoso “Jules” de rali  (/)

Os participantes do rali Paris Dakar de 1981 devem ter achado bem surreal dar de cara com um Rolls-Royce Corniche arrepiando no deserto. Apelidado de “Jules”, ele nem estava inscrito oficialmente na corrida, mas conseguiu ser um dos 40 – entre 170 – veículos a completarem o trajeto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s