Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mais esportivo da história, novo Toyota Corolla usa item de Audi e Porsche

12ª geração do sedã chega ao Brasil em 2020 capaz de receber recursos para condução semi-autônoma, suspensão traseira independente e um inédito motor 2.0

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 16 nov 2018, 17h51 - Publicado em 16 nov 2018, 03h19
A versão norte-americana é a de visual mais esportivo mostrada até agora Divulgação/Toyota

Se depender do que foi mostrado simultaneamente na China e nos Estados Unidos, o próximo Toyota Corolla brasileiro tem potencial para ser um dos modelos mais inovadores do segmento.

A 12ª geração do sedã médio foi revelada na madrugada desta sexta (16) em diferentes versões de acabamento, motorizações e até propostas. Em comum entre elas está a nova plataforma modular TNGA, que permitiu à Toyota alterar as medidas do modelo visando algo pouco comum para o Corolla: esportividade.

Um aplique no para-choque simula um extrator de ar Divulgação/Toyota

Apesar dos 2,70 m de entre-eixos terem sido mantidos, a nova geração tem 10 mm a mais no comprimento, 5 mm extras na largura e ficou 45 mm mais baixa. O capô foi rebaixado para melhorar a visibilidade, enquanto os bancos dianteiros estão mais próximos do assoalho. O balanço dianteiro também foi encurtado.

Os faróis podem ser totalmente em leds Divulgação/Toyota

Outra boa surpresa para os entusiastas é a adoção da suspensão traseira independente, mais eficiente que o eixo de torção usado pelo modelo atual. O pacote esportivo é completado por um inédito 2.0 aspirado de 171 cv e sistema de injeção direta e indireta, como no Audi TT.

Continua após a publicidade
O interior é similar ao do hatch; Freio de estacionamento varia de acordo com o mercado Divulgação/Toyota

Quer mais? A Toyota fez questão de destacar que irá oferecer um câmbio manual nos EUA (mercado pouco adepto desse tipo de conjunto) com seis marchas e sistema de “punta-tacco” automático, como o que já existe no Porsche 911 e Chevrolet Corvette.

A tela da central multimídia tem 7 polegadas nas versões topo de linha Divulgação/Toyota

Esse recurso acelera automaticamente o motor nas reduções de marcha, dando mais agilidade e criando o mesmo efeito usado pelos pilotos ao acelerarem o carro enquanto reduzem as marchas.

A tela central de LCD no quadro de instrumentos pode ser modificada Divulgação/Toyota

A nova caixa faz par com o câmbio CVT atualizado. O sistema agora conta com uma primeira marcha convencional, para eliminar a sensação de “patinamento” típica desse tipo de câmbio.

Os bancos dianteiros ficaram mais próximos do chão Divulgação/Toyota

Além do novo trem de força, a Toyota confirmou que o Corolla irá oferecer versões híbridas em diferentes mercados. E o Brasil terá uma exclusiva versão flex com dois motores, aproveitando a tecnologia que está sendo desenvolvida com o Prius.

Continua após a publicidade
O encosto de cabeça do quinto ocupante fica embutido quando não está em uso para melhorar a visibilidade Divulgação/Toyota

A dianteira irá mudar de acordo com o mercado e a versão. A variante esportiva XSE tem para-choques com vincos mais destacados, faróis similares ao do hatch, uma grande grade do radiador inferior e o logotipo da Toyota posicionado na parte superior da peça.

Uma das versões do Corolla apresentada na China tem visual mais convencional Divulgação/Toyota

Uma das versões híbrida apresentada na China mantém o formato dos faróis, mas tem um para-choque menos ousado, com o logotipo da marca posicionado na parte superior da grade. E, por fim, outra opção de dois motores conta com faróis exclusivos e uma grade superior fechada.

A versão híbrida tem dianteira e identidade própria Divulgação/Toyota

O interior aparenta se repetir em quase todos os mercados, onde se destaca a tela da central multimídia que parece flutuar sobre o console. Nos EUA ela terá 4,2 polegadas nas versões básicas e 7″ nas de topo de linha. Estará disponível integração para smartphones Android e Apple, além da opção de um sistema de som premium da JBL com nove alto-falantes e 800W de potência.

As diferenças entre as três versões mostradas até agora incluem para-choques, grade e até faróis Montagem/Divulgação/Toyota

O quadro de instrumentos repete a solução do Honda Civic e mistura mostradores analógicos de temperatura do motor, nível do combustível e conta-giros com uma grande tela de LCD central que pode ser customizada.

Continua após a publicidade
O Corolla começará a ser vendido em diversos países a partir de março de 2019 Divulgação/Toyota

Entre os itens de conforto que poderão ser ofertados há chave presencial, farol com facho alto automático, ar-condicionado digital de uma ou duas zonas, carregador de celular por indução e teto-solar elétrico.

As lanternas bipartidas são unidas por um elemento cromado e ajudam a tornar o visual mais horizontal Divulgação/Toyota

Mas o grande destaque fica com o pacote de recursos semi-autônomos. O novo Corolla pode receber alerta e sistema de manutenção de faixa, aviso de veículo no ponto cego e controlador de velocidade adaptativo com frenagem automática de emergência e detecção de pedestres e ciclistas.

As rodas poderão ter até 18″ Divulgação/Toyota

Como a Volkswagen faz com o Golf, o freio de estacionamento pode ser por alavanca ou eletrônico – nesta segunda opção ele conta com modo Auto-Hold.

E no Brasil?

O painel pode receber iluminação ambiente Divulgação/Toyota

Ainda há poucos detalhes de como será montado o catálogo do novo Corolla no Brasil. A presença de algumas unidades da versão hatch em testes por aqui indicam que a marca deverá oferecer no país o novo motor 2.0, que exige um longo processo de homologação — e que pode ser antecipado com a versão dois-volumes do carro.

Continua após a publicidade
Até o momento somente versões convencionais foram reveladas para o mercado norte-americano Divulgação/Toyota

A oferta de uma versão híbrida também é certa. Ela manterá o trem de força do Toyota Prius, cuja potência combinada é de 123 cv. Esse valor pode subir com as adaptações para queimar etanol.

O visual mais ousado do Corolla americano não deve se repetir por aqui Divulgação/Toyota

A notícia triste é que a chance do empolgante câmbio de seis marchas ser oferecido são raríssimas. Atualmente só a Honda oferece essa opção, e apenas na versão mais barata do Civic. No entanto, é garantido que nosso Corolla manterá o novo câmbio CVT do modelo global.

Outros itens que devem vir pra cá são os faróis totalmente em LEDs e o controlador de velocidade adaptativo, possivelmente restritos à versão topo de linha.

O freio de estacionamento eletrônico e a suspensão traseira multibraço, porém, podem ser preteridos pelas soluções atuais, mais baratas.

Publicidade