Impressões: como é andar num caminhão de R$ 700.000 que não tem retrovisor

Novo Mercedes Actros tem tecnologia de fazer inveja a muito SUV de luxo. Destaque são as câmeras que substituem os retrovisores externos

Novo Actros traz câmeras que substituem os retrovisores

Novo Actros traz câmeras que substituem os retrovisores (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O mais novo Mercedes-Benz é um dos modelos mais seguros e conectados da marca.

Seu piloto automático é adaptativo e preditivo. Ou seja: além de seguir o veículo à frente mantendo velocidade e distância segura, ele ajusta as respostas do motor às necessidades do traçado e do relevo das vias. Ele se orienta por mapas digitais das estradas e sinais de GPS.

Outra inovação a bordo é o Assistente de Frenagem Ativo, capaz de identificar outros veículos e até pedestres à frente, e acionar os freios autonomamente.

Fabricado no Brasil ele chega às lojas em abril de 2020

Fabricado no Brasil ele chega às lojas em abril de 2020 (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Como você vê pela foto acima, o veículo em questão não é mais um sofisticado sedã ou SUV de luxo da marca, nem mesmo um superesportivo: estamos falando de um caminhão.

O novo Actros está sendo mostrado esta semana no Fenatran (Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas), que acontece de 14 a 18 de outubro em São Paulo (SP). E começará a ser vendido no Brasil no início de 2020.

Nós já dirigimos esse caminhão, na véspera de seu lançamento, no Campo de Provas da Mercedes em Iracemápolis (SP), e contamos aqui como ele é.

As telas que reproduzem as imagens captadas pelas câmeras ficam junto às colunas da cabine

As telas que reproduzem as imagens captadas pelas câmeras ficam junto às colunas da cabine (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Além dos itens acima, a lista de equipamentos tem dispositivos como faróis inteligentes, auxiliar de partida em rampa, controle de estabilidade (que inclui o implemento), sensor de chuva, detector de pontos cegos, alerta de mudança involuntária de faixa e sensor de fadiga do motorista.

A vida a bordo é beneficiada por equipamentos como botão de partida sem chave, berço de carregamento de celular por indução, ar-condicionado, geladeira e até uma confortável cama de solteiro, na parte de trás da cabine.

Como nos espelhos tradicionais, telas exibem dois ângulos de visão

Como nos espelhos tradicionais, telas exibem dois ângulos de visão (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O que chama mais a atenção, entre todos os recursos a bordo, porém, são as inéditas câmeras que substituem os espelhos retrovisores.

Batizadas de MirrorCam, as câmeras estão localizadas na parte externa do caminhão, no alto das portas, em braços ancorados nos mesmos pontos de apoio superiores dos retrovisores tradicionais.

Câmera reduz o arrasto aerodinâmico, contribuindo para economia de combustível

Câmera reduz o arrasto aerodinâmico, contribuindo para economia de combustível (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Elas projetam as imagens para dentro da cabine, por meio de duas telas que ficam na altura correspondente à dos retrovisores físicos aposentados, na região das colunas dianteiras.

O uso é muito simples para o motorista, porque as telas ficam na mesma região para a qual se costuma olhar quando se procura os retrovisores.

Câmera se ajusta aos movimentos do caminhão nas manobras

Câmera se ajusta aos movimentos do caminhão nas manobras (Fernando Pires/Quatro Rodas)

As telas retangulares têm 15,2 polegadas cada uma e são divididas em duas partes, como os retrovisores duplos com visão normal e ampliada de um caminhão comum.

A finalidade dessas câmeras é melhorar a aerodinâmica do caminhão, já que os retrovisores externos convencionais configuram dois anteparos ao vento enquanto o caminhão se desloca.

Segundo a Mercedes, com a retirada dos retrovisores a economia de combustível pode chegar a 1,3%, dependendo da condição de uso do caminhão.

Tela reúne as informações dos instrumentos, computador de bordo e luzes espia

Tela reúne as informações dos instrumentos, computador de bordo e luzes espia (Fernando Pires/Quatro Rodas)

E há também a vantagem mais óbvia, que é a de favorecer a visão do motorista.

Ao eliminar os retrovisores externos fixados nas extremidades e posicionar as câmeras junto à coluna A, o campo de visão do motorista é ampliado durante o deslocamento.

Para trás, além de mostrar as imagens dos espelhos tradicionais, as telas possuem indicações (como aqueles gabaritos das câmeras de ré de alguns automóveis, só que mais simples) que são muito úteis.

Central reúne os comandos dos sistemas de conforto e conectividade

Central reúne os comandos dos sistemas de conforto e conectividade (Fernando Pires/Quatro Rodas)

As linhas sinalizam onde termina a carga, o que ajuda a avaliar a distância e a velocidade relativa de outros veículos que se aproximam, bem como o espaço necessário para uma manobra de mudança de faixa, por exemplo.

Nas curvas, é possível enxergar o tempo todo a traseira do caminhão porque a câmera se movimenta de modo a exibir sempre o reboque inteiro.

Na hora de engatar a ré, a câmera também se posiciona para facilitar a visão do motorista.

Actros tem versões para diferentes aplicações com tração 4×2, 6×2 e 6×4

Actros tem versões para diferentes aplicações com tração 4×2, 6×2 e 6×4 (Fernando Pires/Quatro Rodas)

As imagens projetadas transmitem total confiança ao motorista. Tanto que, me sentindo no controle da situação, pedi para estacionar o Actros de ré ao lado de outros caminhões no Campo de Provas.

Apesar de termos testado o item durante o dia, a Mercedes garante que a visibilidade é otimizada também em uso noturno.

Detalhe: o caminhão que eu dirigia puxava um implemento duplo, que os técnicos chamam de bitrem (dois semirreboques acoplados), com 25 metros de comprimento.

Para esse tipo de manobra, porém, não basta enxergar bem: é preciso ter experiência que eu não tenho. Por isso, além das câmeras precisei do auxílio de meu instrutor para concluir a manobra.

Dirigimos o Actros no Campo de Provas da Mercedes, às vésperas do lançamento

Dirigimos o Actros no Campo de Provas da Mercedes, às vésperas do lançamento (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O novo Actros chega ao mercado em cinco versões, dependendo da motorização e da tração. O motor OM 460 oferece três faixas de potência (450, 480 e 510 cv) e a tração pode ser do tipo 4×2, 6×2 e 6×4.

A versão 2553 6×2, de 530 cv e 265 mkgf, se mostrou bastante forte quando carregada (o bitrem do teste estava lastreado com 54 toneladas) e ágil quando vazia (dirigimos outra unidade sem carga).

Motor diesel OM 460 é apresentado com três faixas de potência: 450, 480 e 510 cv

Motor diesel OM 460 é apresentado com três faixas de potência: 450, 480 e 510 cv (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A direção relativamente leve e a boa posição de dirigir deu a impressão de que é possível dirigir o Actros por longas distâncias sem cansar.

O amortecedor do banco também facilitou a nossa vida, ao mesmo tempo que a suspensão se revelou cumpridora de seu papel.

Matada a vontade de dirigir o bruto e ver as câmeras funcionando, foi possível fazer reparo no visual e em detalhes de acabamento do caminhão.

Nosso modelo é ligeiramente mais baixo que o vendido na Alemanha

Nosso modelo é ligeiramente mais baixo que o vendido na Alemanha (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Externamente, o destaque é o novo design da linha nacional (o Actros é produzido no Brasil) que está igual ao da versão recém-lançada na Alemanha.

A única diferença fica na altura da cabine, que na Alemanha é maior, uma vez que lá vãos das pontes, viadutos e túneis são mais altos.

Por isso, a grade dianteira do nosso tem uma lâmina a menos. Mesmo assim, é preciso vencer quatro degraus para entrar no caminhão.

Na cabine há uma cama de solteiro e uma geladeria (gaveta sob a cama)

Na cabine há uma cama de solteiro e uma geladeria (gaveta sob a cama) (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Na cabine da versão topo de linha, além do painel bicolor, com uma faixa em aço escovado dividindo as duas partes, e bancos ergonômicos, o Actros exibe duas telas LCD de 10,25 polegadas cada: uma com as funções do painel de instrumentos e outra com os recursos da central multimídia.

O Actros permite conectar até dois celulares (com sistemas Apple Carplay e Android Auto) e conta com aplicativos para facilitar a vida dos transportadores.

Entre os aplicativos há o Mercedes-Benz Uptime, que usa inteligência artificial e telemetria para monitorar o funcionamento do caminhão e ajudar no plano de manutenção.

É possível conectar dois celulares à central e recarregá-los por indução

É possível conectar dois celulares à central e recarregá-los por indução (Fernando Pires/Quatro Rodas)

E o Habbl que possibilita a criação de um ambiente de relacionamento entre as diferentes pessoas e departamentos envolvidos no transporte, do caminhoneiro ao cliente passando pela transportadora e pela rede autorizada Mercedes.

Há ainda outros recursos que ajudam o motorista no dia-a-dia com dicas de condução e check-list para ser feito antes de sair da garagem.

Na linha 2020, os preços do Actros subiram cerca de 10% em relação ao modelo anterior. O que não é muito considerando as melhorias.

Os valores variam de R$ 585.000, na versão de entrada 2045 4×2, a R$ 715.000, na versão completa, 2653 6×4. A 2553 6×2 mostrada aqui sai por R$ 680.000.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s