Clique e assine por apenas 5,90/mês

Caro de comprar, Chevrolet Bolt promete manutenção mais barata que Corolla

Elétrico custa salgados R$ 175.000, mas quer se mostrar tão amigável ao bolso para manter quanto ao meio ambiente nas emissões

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 1 nov 2019, 18h35 - Publicado em 1 nov 2019, 12h32
Chevrolet Bolt enfim foi lançado no Brasil Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Anunciado há exatamente um ano, no Salão de São Paulo 2018, o elétrico Chevrolet Bolt começa a ser vendido em novembro no Brasil, embora as entregas efetivas das primeiras unidades estejam previstas para fevereiro de 2020.

Custa R$ 175.000. É o mesmo preço que havia sido prometido, mas ainda caro para os padrões brasileiros. Por isso, a GM quer trabalhar a venda do seu primeiro carro elétrico em um produto tangível a uma parcela maior da população.

Para isso, criou um plano de financiamento com valores similares aos oferecidos pela Toyota para o Corolla Hybrid, com custo mensal total ao redor dos R$ 1.850.

A parcela, efetivamente, é de R$ 1.733. Some aí R$ 98 estimados pela fabricante de gasto mensal com energia para as recargas, mais R$ 11 de manutenção.

Segundo a GM, Bolt gasta menos de R$ 100 por mês com recarga Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Num Corolla Altis Hybrid, a parcela média é de R$ 1.592, mais R$ 260 em gastos mensais com abastecimento de etanol e R$ 42 com manutenção, chegando a um gasto mensal de R$ 1.894.

Vale observar que todos esses números são apontados pela GM, que não diz qual estado brasileiro foi usado como referência dos gastos com energia e combustível tanto do Bolt quanto do Corolla.

Além disso, a conta acima só é atingível se o comprador do Bolt der 40% do valor do elétrico de entrada, pagando 48 parcelas e deixando um residual de 30% para o final. No Corolla, a entrada tomada como base é de 50%, mais 36% e um residual de 20%.

Continua após a publicidade

A rede de concessionárias será grande na comparação com os elétricos que já estão à venda no Brasil, BMW i3, Nissan Leaf e Renault Zoe, mas pequena na comparação com a da Toyota.

O Bolt será vendido em 25 concessionárias, distribuídas em 12 cidades de nove estados.

Carregador doméstico pode ser adquirido à parte por mais R$ 8.300 Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

O carro vem com um carregador que pode ser ligado em tomadas domésticas, de 110V (5km de autonomia/h) ou 220V (10km/h), mas na hora da venda o comprador também poderá por ter um wallbox em casa. Custa R$ 8.300, incluída a instalação. Contudo, será necessário avaliar se é viável instalá-lo no local onde o cliente quer.

O equipamento é fornecido pela EletricMobility e tem 24 meses de garantia, enquanto a instalação possui garantia de 12 meses. Esse aparelho é capaz de repor uma autonomia de 40 km a cada hora ligada ao carro. As concessionárias que venderão o Bolt também terão um carregador rápido disponível para os clientes.

Contudo, o modo mais rápido de repor a carga do Bolt será nos carregadores ultrarrápidos disponíveis em algumas rodovias. Nestes, 160 km de autonomia são repostos em 30 minutos.

O Chevrolet Bolt tem motor elétrico de 203 cv e 36,7 mkgf de torque, capaz de levá-lo aos 100 km/h em 7,3 s. A Chevrolet anuncia autonomia de 416 km em ciclo EPA com a bateria, de 66 kWh.

QUATRO RODAS já conferiu se essa autonomia é cumprida na prática, e também já comparou o desempenho e a dinâmica do elétrico com Leaf e Zoe.

Continua após a publicidade
Publicidade