Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Nissan enfim começa a entregar o elétrico Leaf no Brasil em julho

Além do Leaf, Nissan inaugura centro de design e fala em investir em produtos e capacidade produtiva na fábrica de Resende (RJ)

Por Paulo Campo Grande
17 Maio 2019, 17h07
Nissan Leaf começa a ser vendido em sete concessionárias do país (Divulgação/Nissan)

As vendas do Nissan Leaf no Brasil começam efetivamente em julho, um mês depois do cronograma inicialmente anunciado pela fabricante japonesa

O modelo elétrico ainda não tem preço fechado. Mas é possível que a fábrica mantenha o valor anunciado na campanha de pré-venda feita no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018, que era de R$ 178.400.

Na ocasião, foram vendidas 16 unidades, que começarão a ser entregues também em julho.

O Leaf será vendido em sete concessionárias da marca nas regiões Sul e Sudeste e, junto com ele, será oferecido um kit para recargas domésticas, com preço entre RS 5.000 e R$ 10.000, instalado.

Dezesseis unidades do Leaf foram comercializadas na campanha de pré-venda (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Leaf é equipado com motor elétrico trifásico com 149 cv de potência e 32,6 mkgf de torque. Suas baterias de íons de lítio têm capacidade de 40 kWh e o tempo de recarga, segundo a fábrica, é de 40 minutos, para 80% da carga.

A confirmação do início das vendas foi feita pelo chairman da Nissan para a América Latina, Guy Rodriguez, em visita ao Brasil (seu escritório é no México).

Continua após a publicidade

Ao contrário da maioria dos executivos com negócios na região, Rodriguez se diz otimista com as perspectivas de crescimento no continente e, em particular no Brasil.

Leaf tem motor de 149 cv de potência e 32,6 mkgf de torque (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Rodriguez afirma que, no ano passado, a Nissan cresceu mais que a indústria no Brasil e também na Argentina, aumentando a participação da marca no volume total.

Segundo ele, dentro de uma visão de longo prazo, isso é mais importante, porque mostra que a empresa está no caminho certo.

A Nissan inaugurou ontem seu primeiro centro de design no Brasil, que é o primeiro na América Latina. O estúdio fica em São Paulo.

Além desse, há mais oito centros no mundo nos seguintes lugares: Japão, China, Tailândia, Índia, Londres e Estados Unidos (onde há dois centros em Michigan e na Califórnia).

Continua após a publicidade
X-Trail de terceira geração foi apresentado em versão híbrida, no Salão do Automóvel (Divulgação/Nissan)

E, neste momento, a Nissan está finalizando um plano de investimentos para os próximos cinco anos no Brasil.

Rodriguez não diz quanto será investido e nem quando o dinheiro começa a chegar. “Isso depende de uma série de fatores”, afirma. “Mas virá”, diz.

O investimento será aplicado em novos produtos e em capacidade de produção. Ao contrário da maioria das fábricas instaladas no Brasil, que possuem capacidade ociosa, a fábrica da Nissan em Resende (RJ) está próxima ao limite.

Modelo de maior sucesso da Nissan, o Kicks será o primeiro a receber o sistema e-Power (Divulgação/Nissan)

Atualmente, a Nissan trabalha com dois turnos com planos de implantar o terceiro, em breve.

O carro chefe da empresa é o SUV Kicks, terceiro colocado no ranking de vendas do mercado nacional, de janeiro a abril deste ano, e principal produto de exportação da unidade de Resende.

Continua após a publicidade

Para fazer novos produtos, a Nissan terá que ampliar sua capacidade produtiva. Mas Rodriguez não revelou que produtos seriam esses.

O Leaf será importado, assim como o SUV X-Trail que, segundo o executivo, ainda depende de desenvolvimento para adequação ao combustível local.

Sistema e-Power estreaou no hatch Note, no Japão (Ivan Carneiro/Quatro Rodas)

O X-Trail, que deve chegar ao Brasil somente em 2020, será um exemplar da quarta geração, ainda não lançada, conforme antecipado por QUATRO RODAS. Ela deve ser apresentada no segundo semestre deste ano.

A Nissan chegou a mostrar o X-Trail de terceira geração no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018. O exemplar exibido era uma versão híbrida.

Mas a versão que chegará às lojas do país terá motor à combustão convencional: 2.5 de 171 cv acoplado ao câmbio CVT.

Continua após a publicidade
No sistema e-Power apenas o motor elétrico move o carro (Ivan Carneiro/Quatro Rodas)

O modelo híbrido da Nissan no Brasil deverá ser o Kicks, o primeiro da fila para receber a tecnologia que a empresa batizou de e-Power.

No sistema e-Power a tração é feita por um motor elétrico cujas baterias são alimentadas por um à combustão.

O Kicks nacional deve receber o mesmo conjunto que equipa o hatch Note, no Japão. Ou seja: um motor à combustão 1.2 de três cilindros que carrega  uma bateria de 1,5 kW que alimenta o motor elétrico.

Segundo a fábrica, no caso do Note, a potência gerada por esse conjunto é de 112 cv e o torque é de 25,9 mkgf.

Novo Versa virá importado do México, em 2020 (Divulgação/Nissan)

A Nissan também deve tirar proveito do acordo de livre-comércio do Brasil com o México, para trazer novos produtos comercializados em volumes menores que não justificam o investimento para a produção no país.

Continua após a publicidade

Esse é o caso do novo Versa, que desembarca aqui em meados de 2020.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.