BMW X1 sDrive20i

Um 'tapinha' antes da chegada da nova geração

lancamentos lancamentos

lancamentos (/)

A futura geração do X1, o SUV de entrada da BMW, terá uma proposta ainda mais urbana. Ela será montada numa plataforma nova, para modelos com tração dianteira, que servirá de base também para o novo Countryman, SUV da Mini, marca que pertence à BMW. O novo X1 romperá com uma das mais fortes tradições da casa: a de sempre dotar seus carros de tração traseira. Esses passos futuros têm tudo a ver com o “tapinha” que a marca promoveu na linha 2013 do X1: “É só para manter o ar de frescor até 2015, quando chega a nova geração”, diz o gerente de vendas de uma importante concessionária paulistana da BMW.

A dianteira traz novos faróis, idênticos no formato, mas diferentes no layout interno: os dois aros ganharam a companhia de uma fileira de leds na parte superior. Os faróis auxiliares continuam montados em posição elevada, mantendo uma característica de estilo da família X (X3, X5 e X6 também são assim). As mudanças mais visíveis estão na metade inferior do para-choque, onde o antigo filete único deu lugar a um tripartido.

Na lateral, o repetidor do pisca saiu do para-lama e foi para o retrovisor. Atrás, nada além de uma nova posição para os refletores, que saíram da parte preta do para-choque para a porção pintada da cor da carroceria. Por dentro, tudo praticamente igual: o volante foi sutilmente redesenhado.

Avaliamos a versão sDrive20i, com motor 2.0 turbo de 184 cv, de 129 950 reais – há ainda a sDrive18i (2.0 turbo de 150 cv), de 116950 reais, e a xDrive28i (2.0 biturbo 4×4 de 245 cv), de 179 950 reais. O pacote GP – de série na versão top e opcional nas duas mais simples – tem GPS, DVD e iDrive, sistema que permite acessar e configurar diversas funções do carro. O teto solar elétrico também é opcional, por 5 000 reais.

Bem-acabado e completo de série, o novo X1 pode decepcionar quem busca conforto, pois a suspensão continua firme demais, com calibração notadamente esportiva.

VEREDICTO

Na pista, o X1 mostrou-se mais eficiente que
um range rover Evoque, mas perde feio em status e, por consequência, em vendas.

FICHA TÉCNICA
Motor dianteiro, longitudinal, 4 cilindros, 16 válvulas
Cilindrada 1 997 cm3
Potência 184 cv a 6250 rpm
Torque 27,5 mkgf a 1 250 rpm
Câmbio automático-seq., 8 marchas, tração traseira
Dimensões comprimento, 448 cm; largura, 180 cm; altura, 155 cm; entre-eixos, 276 cm
Peso 1 510 kg
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s