Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Jeep Compass 2022 1.3 turbo estreia no Longa Duração para rodar 100.000 km

O Jeep Compass retorna ao Longa Duração. Depois do motor 2.0 turbodiesel, é a vez do novo 1.3 GSE Turbo flex mostrar a que veio

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 16 set 2021, 13h01 - Publicado em 16 set 2021, 00h05
Jeep Compass 2022 longitude longa duração
Pacote 80 anos inclui detalhes externos como grade, rodas e capa dos retrovisores em tom de cinza-escuro Fernando Pires/Quatro Rodas

Ter se estabelecido como um dos SUVs mais vendidos do Brasil é um bom argumento para o Jeep Compass retornar ao Longa Duração, mas não tanto quanto a estreia do novo motor 1.3 16V GSE Turbo flex de até 185 cv, uma versão mais avançada do 1.3 8V Firefly de 109 cv, que equipa nossa Fiat Strada.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Ao fim do teste, que passa a ser de 100.000 km, e após o desmonte completo, teremos um bom retrato da durabilidade dessa nova família de motores, tanto na versão aspirada quanto na turbo, com injeção direta e o comando de válvulas MultiAir, um mecanismo eletro-hidráulico que comanda o tempo de abertura das válvulas.

  • A presença de outro Fiat (já temos a Strada) na frota descartou a compra da Toro com o mesmo motor. E não custa lembrar que o primeiro Compass, que tinha motor 2.0 turbodiesel, foi bem no teste, mas deixou algumas questões em aberto.

    Jeep Compass
    Por fora, a cor Azul Jazz. Por dentro, couro preto, detalhes em piano black e partes que imitam aço escovado Fernando Pires/Quatro Rodas

    A suspensão foi reapertada constantemente, os amortecedores foram trocados aos 40.000 km e houve problemas com apagões eletrônicos, escamação nos pneus e o lampejo involuntário do facho alto ao acionar as setas.

    A escolha, novamente, recaiu sobre a versão Longitude (que custava, em São Paulo, R$ 160.146 à época e aumentou para R$ 168.412), primeira com a central multimídia de 10,1 polegadas e Wi-Fi.

    Jeep Compass
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    Como opcional, incluímos o pacote 80 anos (R$ 8.266), que soma assistente de baliza, carregamento sem fio de smartphones, detalhes externos na cor grafite, sistema de som Beats de 506 W, partida remota e retrovisores com rebatimento automático, pintado na cor Azul Jazz (R$ 1.963). Com desconto, o carro saiu por R$ 155.300.

    Quem fizer o pedido de um Compass hoje pode só receber o carro em 2022, mas nosso carro chegou relativamente rápido. Perdemos a pré-venda e nas nossas buscas tanto as concessionárias como o site da Jeep apontavam a entrega do carro em um prazo entre 60 e 80 dias.

    Continua após a publicidade
    Jeep Compass
    Central de 10,1” é de série na versão Longitude Fernando Pires/Quatro Rodas

    A exceção foi a Jeep Aricanduva, que prometeu a entrega entre 30 e 60 dias e não cobrou sinal. De fato, foram 56 dias até o faturamento e mais 23 dias entre transporte e preparação para a entrega do veículo.

    Na entrega, uma longa explicação da eletrônica embarcada no carro. Desde o funcionamento do quadro de instrumentos com tela colorida de 10,1 polegadas até o pareamento do celular, recomendação para o carregamento sem fio, funcionamento da internet a bordo e do sistema Adventure Intelligence, que permite controlar funções do carro remotamente.

    Jeep Compass
    Há acesso a dados e localização do carro pela internet, baliza automática e carregador wireless Fernando Pires/Quatro Rodas
    Jeep Compass
    Carregador por indução faz parte do pacote opcional Fernando Pires/Quatro Rodas

    Ainda sobrou tempo para falar das revisões (cujo intervalo é de 12.000 km) e de não ser necessário se preocupar com a mistura entre álcool e gasolina (usaremos sempre gasolina comum).

    O mais importante, neste momento, não foi respeitado: o técnico fez toda a explicação dentro do carro e sem estar usando máscara.

    O rodar firme até chegar ao posto para o primeiro abastecimento não enganou: os pneus estavam com 46 psi de pressão, como geralmente sai da fábrica, e não com os 35 psi recomendados. Daria para ver isso no monitor de pressão dos pneus, mas ainda foi preciso configurar as unidades de medida corretas.

     

    Longa COmpass
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    Para permitir o acompanhamento das intervenções mecânicas (previstas ou não previstas) feitas pela rede de concessionárias, o Compass já passou pela Fukuda Motorcenter para as peças receberem marcações indeléveis.

    O próximo passo é o batismo em nossa pista para os primeiros testes de desempenho, que desta vez, excepcionalmente, serão aos 1.600 km, que é o período de amaciamento do motor apontado pela Jeep. Não tem problema. Teremos muito assunto até o final do teste. O motivo você saberá em breve. 

    Jeep Compass – 363 km

    Ficha técnica:
    Versão: Longitude 80 anos 1.3 Turbo
    Motor: 4 cil., diant., transversal, 1.332 cm3, 16V, turbo, injeção direta, 185/180 cv a 5.750 rpm, 27,5 kgfm
    a 1.750 rpm
    Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
    Seguro: R$ 740 (Perfil Quatro Rodas)
    Revisões: Até 96.000 km – R$ 5.812
    Gasto no mês: Combustível: R$ 292
    Consumo: No mês: 6,99 km/l com 69,1% de rodagem na cidade
    Combustível: Flex (gasolina)

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Quatro Rodas

    Capa quatro rodas 748 agosto 2021
    Capa quatro rodas 748 agosto 2021 A edição 748 de QUATRO RODAS já está nas bancas!
    Clique e Assine
    Continua após a publicidade
    Publicidade