Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: VW Virtus e o terceiro caso de infiltração no porta-malas

O retorno das águas. Após duas tentativas de reparo, novamente a chuva consegue pegar carona no porta-malas do Virtus

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 4 nov 2019, 08h00 - Publicado em 4 nov 2019, 07h00
Peso líquido: pela terceira vez, água invade o porta-malas Leonardo Barboza/Quatro Rodas

Foi uma decepção e tanto. “Depois de calibrar os quatro pneus, fui fazer o mesmo com o estepe. Quando levantei a cobertura do assoalho, notei que a cuba onde fica a roda de emergência estava, de novo, com água acumulada. Não estava tão cheia quanto na segunda vez, mas já cobria toda a base. E a chuva que havia caído tinha sido curta e fraca”, explica o piloto de testes Leonardo Barboza.

Por se tratar do terceiro episódio de invasão de água no porta-malas, desta vez a investigação do ponto de entrada correrá por nossa conta.

“A rede já teve duas oportunidades de sanar o mesmo problema e não conseguiu. Como o Virtus já está com mais de 58.000 km, aproveitaremos o momento do desmonte, aos 60.000 km, para tentar encontrar, de maneira definitiva, o ponto de entrada da água”, diz o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros.

Rotação alta na fase de aquecimento do motor pede atenção nas manobras Eduardo Campilongo/Quatro Rodas

Outra característica negativa nessa fase pré-aposentadoria que vem se destacando é o ruído excessivo na fase fria do motor. “Antes de o motor atingir a temperatura de trabalho, é normal que a rotação de marcha lenta fique mais alta. O problema é que o giro elevado com o carro parado provoca a vibração de algum elemento, que acaba fazendo barulho. E este, sim, incomoda, pois não é nada discreto”, explica Péricles.

Vale lembrar que a rotação alta na fase fria já gerou outro tipo de reclamação por boa parte dos usuários: o comportamento arisco. “Depois de levar alguns sustos ao manobrar o Virtus frio, por conta das acelerações bruscas, me acostumei a deixar o motor aquecer por uns dois minutos, de manhã, antes de manobrar, já que a vaga no meu prédio é bastante apertada”, diz Fabio Black, editor de arte da QUATRO RODAS.

Continua após a publicidade

 

VW Virtus – 56.815 KM

FICHA TÉCNICA
Versão: Highline 200 TSI
Motor: 3 cilindros, dianteiro, turbo, injeção direta, transversal, 999 cm3, 12V, 128/116 cv a 5.500 rpm, 20,4 mkgf a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas
Combustível: flex (gasolina)

SEGURO
R$ 1.715

GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 401

CONSUMO
No mês: 8,8 km/l com 100% de rodagem na cidade
Desde jun/18: 11,5 km/l com 28,6% de rodagem na cidade

REVISÕES
ATÉ 60.000 KM: R$ 1.953

Continua após a publicidade
Publicidade