Clique e assine por apenas 5,90/mês

Longa Duração: o teste da troca do pneu furado pelo estepe

Descubra o que A3, Cruze, Kicks e Mobi têm para facilitar (ou dificultar) um pit-stop de emergência

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 11 abr 2017, 15h42 - Publicado em 11 abr 2017, 15h30
Eduardo Svezia/Quatro Rodas

Conhecendo bem seu carro, você trocará um pneu furado em cerca de 20 minutos – menos tempo, portanto, do que demora um guincho na maioria das situações. Veja o que A3, Cruze, Kicks e Mobi têm para ajudar o motorista durante um pit-stop emergencial.

 

Audi A3 – dupla barreira para retirada do parafuso

A3: roda = 19,1 kg / estepe = 14,6 kg
A3: roda = 19,1 kg / estepe = 14,6 kg Eduardo Svezia/Quatro Rodas

O tratamento premium aparece até na hora de trocar um pneu. O triângulo de emergência tem capa rígida e viaja fixado à tampa do porta-malas, bem visível. A cobertura do assoalho (1), por sua vez, tem um puxador que mantém a peça suspensa, para facilitar o acesso e retirada do estepe (2).

Eduardo Svezia/Quatro Rodas

A capa plástica dos parafusos em forma de estrela confere um visual diferenciado à pesada roda de liga leve. Para removê-la, há uma chave própria (3) junto ao kit de ferramentas. Uma vez retirada a capa é preciso fazer uso de um adaptador especial (4) para remover o parafuso antifurto (há um em cada roda).

Tanto o conjunto de rodagem (roda mais pneu) (5) do A3 quanto o estepe de emergência (6) poderiam ser mais leves. O peso excessivo dificulta ainda mais a tarefa de alinhar os furos da roda aos do cubo, uma vez que a área de apoio central é bastante curta.

Em novembro de 2016, um furo no pneu do nosso A3 nos fez rodar quase 30 km com o estepe provisório, limitado a uma velocidade máxima de 80 km/h. “O efeito psicológico de andar com a roda de emergência falou bem mais alto do que o comportamento nas curvas, que quase não se alterou. O maior efeito, aliás, foi no ruído, mais elevado do que o da roda original”, disse na época o piloto de testes Eduardo Campilongo.

 

Chevrolet Cruze – Ferramentas de acompanhamento

Cruze: roda = 18,8 kg / estepe = 11,0 kg
Cruze: roda = 18,8 kg / estepe = 11,0 kg Eduardo Svezia/Quatro Rodas

A cobertura do assoalho do porta-malas do Cruze não tem o mesmo sistema de sustentação que a do A3, mas, com jeitinho, dá para flexioná-la para que fique travada na moldura superior (1) do vão de acesso.

Eduardo Svezia/Quatro Rodas

Quem já deixou uma ferramenta na estrada ou nunca mais conseguiu que elas deixassem de sambar no porta-malas vai gostar do kit do Cruze. A bandeja com espaço determinado para cada item sai inteira (2), permitindo que fique ao lado do motorista durante o serviço.

Continua após a publicidade

Outra boa sacada é a chave de roda articulada, que facilita a operação do macaco (3). Leve, a roda de emergência (4) exige pouco esforço para ser colocada no ponto correto, tarefa facilitada pelo sistema de porca e prisioneiro. Estepe posicionado, basta colocar a parte frontal da chave de roda a 180 graus (5) e girar os parafusos até o ponto de aperto, com a chave novamente em L, a 90 graus (6).

 

Nissan Kicks – estepe e conjunto de rodagem são iguais

Kicks: roda = 20,8 kg / estepe = 20,8 kg
Kicks: roda = 20,8 kg / estepe = 20,8 kg Eduardo Svezia/Quatro Rodas

O Kicks tem como estepe um conjunto de roda e pneu exatamente igual ao de rodagem. Isso pode ser uma vantagem na hora de continuar a viagem mesmo com o imprevisto. O problema é que o conjunto é muito pesado, tornando difícil a retirada mesmo em um espaçoso porta-malas (1).

Eduardo Svezia/Quatro Rodas

À exceção do Mobi, todos os três modelos da frota ficam devendo uma indicação mais clara do ponto correto de colocação do macaco (2). Duas hastes metálicas (3) facilitam a aplicação do movimento de rotação no terminal da rosca do macaco. Assim como o Cruze, o sistema de fixação das rodas do tipo porca e prisioneiro (4) facilita a montagem no cubo.

Mais alto, o Kicks exige maior extensão do macaco (5): redobre o cuidado e só proceda a troca sobre terreno estável. Para fixar a roda com pneu furado no porta-malas, remova antes a calotinha central (6).

 

Fiat Mobi – porta-malas pequeno rende um aperto de mãos

Mobi: roda = 13,7 kg / estepe = 12,6 kg
Mobi: roda = 13,7 kg / estepe = 12,6 kg Eduardo Svezia/Quatro Rodas

No dia a dia, o Cargo Box (1) mais atrapalha do que ajuda. Neste teste, repetimos a crítica. Numa situação real, este compartimento removível se torna um passo a mais para você chegar ao estepe. Se estiver cheio, a retirada é difícil; se estiver vazio, no chão, pode sair voando com a passagem de um caminhão numa situação de emergência em beira de estrada.

Eduardo Svezia/Quatro Rodas

Vencida a primeira etapa, você precisa se desvencilhar do carpete mole (2) ao mesmo tempo que manobra o estepe na minúscula cuba, lá no fundo do porta-malas. É fácil sujar as mãos no macaco, com área lubrificada com graxa (3) muito exposta.

Para piorar, a tinta preta da chave de roda descasca com facilidade ao ser utilizada na operação do macaco (4). Um par de pinos-guia facilita a colocação do estepe (5). Para prender a roda de liga leve no porta-malas é preciso remover a calotinha central (6).

Continua após a publicidade
Publicidade