Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ford Focus SE Plus 1.6

Com câmbio manual, hatch tem conteúdo, mas falta fôlego

Por Vitor Matsubara, de Fortaleza (CE) Atualizado em 8 nov 2016, 16h39 - Publicado em 22 jun 2015, 14h18
impressoes

O design não é a única mudança do Focus 2016. A Ford também reorganizou a gama de versões do hatch, substituindo a antiga versão de entrada S pela SE. Foi esta nova opção que avaliamos em um percurso de aproximadamente 50 quilômetros pelas ruas e estradas de Fortaleza (CE). Equipada com o mesmo motor Sigma 1.6 do Fiesta (que entrega até 135 cv com etanol), o hatch é oferecido apenas com câmbio manual de cinco marchas – a caixa automática só pode ser adquirida a partir da configuração SE 2.0 DirectFlex. A transmissão tem engates precisos, mas o motor sofre um pouco para movimentar os 1.310 quilos do Focus nas retomadas. especialmente passando da terceira para a quarta marcha.

Apesar de não fazer feio na maioria das situações, o conjunto motor-câmbio não trabalha com a mesma precisão de seu arquirrival Golf, referência no segmento de médios há anos. Mas isso não significa que o Focus é ruim de dirigir. Pelo contrário. A direção foi recalibrada e ficou mais direta, sendo leve nas manobras de estacionamento e firme em velocidades elevadas. O confortável interior tem acabamento acima da média mesmo na versão de entrada que testamos. Não há folgas nos encaixes e os materiais empregados são de ótima qualidade.

Novo Ford Focus chega por R$ 69.900

Aliado ao bom padrão de construção a Ford incrementou a lista de itens de série, recheando todas as versões com ar-condicionado digital bizona, rodas de liga leve aro 17, controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampas e sensor de chuva, entre outros equipamentos. Alguns destes itens, aliás, são vendidos a parte no Golf Comfortline, oferecido por R$ 74.300 com câmbio manual de seis marchas e sem opcionais.

Visualmente, o Focus SE Plus 1.6 se diferencia das demais versões pelo desenho das rodas e da grade frontal do tipo colmeia – a Titanium, por exemplo, usa grade filetada. Os novos faróis ficaram mais finos e ganharam luzes de led. Atrás, apenas uma nova disposição de luzes. Oferecido por R$ 71.900, ele custa R$ 7 mil a menos que a versão equipada com motor 2.0 DirectFlex e câmbio automático. Certamente uma diferença considerável, mas é o preço a se pagar pelo conforto e comodidade de deixar o pedal de embreagem de lado. Se você gosta de trocar marchas e não faz questão de um desempenho mais esportivo, vale a pena economizar.

Continua após a publicidade

Publicidade