Clique e assine por apenas 8,90/mês

Correio técnico: suspensão de eixo rígido precisa de alinhamento?

Sistema simples, mas antiquado, tem algumas peculiaridades

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 24 jun 2019, 19h11 - Publicado em 17 jun 2019, 07h00
Suspensão por eixo rígido não é tão eficiente para segurar a carroceria em curvas Christian Castanho/Quatro Rodas

É verdade que suspensão do tipo eixo rígido, como a traseira do Renault Kwid, não precisa de alinhamento? Sergio Ricardo Alves Nogueira, por e-mail

Sim, porque seu projeto não prevê esse tipo de ajuste. O mesmo acontece no sistema por eixo de torção, que é o mais popular do mercado por ser simples e robusto.

Deve-se checar a o alinhamento a cada 10.000 km ou após cair em buracos ou colidir bruscamente com o meio-fio Divulgação/Honda

Já a suspensão com eixo rígido é mais comum em picapes feitas sobre chassi de longarina, apesar de também equipar o hatch da Renault e o Chery QQ.

Mas é possível que o eixo traseiro desses veículos fique desalinhado após sofrer um impacto severo, como ao cair em um buraco ou colidir lateralmente contra o meio-fio.

Continua após a publicidade

Nesse caso, a solução não é o alinhamento: o correto é que um especialista analise a extensão das avarias e faça ou desempenamento da peça ou mesmo a troca de todo o conjunto.

Já nos automóveis com suspensão traseira independente o alinhamento é previsto e necessário como ocorre no eixo frontal.

Tem outras dúvidas? Envie sua pergunta para correiotecnico@abril.com.br!

Publicidade