Clique e assine por apenas 8,90/mês

Volkswagen Passat sai de linha no Brasil e encerra história de 46 anos

Restam poucas unidades do sedã alemão no estoque; Jetta GLI e Tiguan Allspace ocuparão lacuna deixada pelo modelo

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 10 ago 2020, 23h41 - Publicado em 10 ago 2020, 16h03
Se por fora parece que mudou pouco, por dentro é outro carro
Modelo saiu de linha e encerra ciclo que começou em 1974 Marco de Bari/Quatro Rodas

O Volkswagen Passat já não está mais à venda no Brasil, como bem adianta o parceiro Autos Segredos – e a culpa é da desvalorização da nossa moeda. Mas, de acordo com a marca, ainda restam algumas unidades nas lojas. Para quem ficará órfão do sedã alemão, essa talvez seja a última oportunidade…

Importado da Europa desde a década de 1990, o modelo estreou como nacional em 1974 e foi o primeiro VW refrigerado a água do país. E tivemos a segunda geração por aqui, que foi rebatizada para nosso mercado como Santana (e que sobreviveu até 2006).

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

No último comparativo para a QUATRO RODAS, em 2018, o Passat enfrentou o Toyota Camry e saiu como campeão dessa disputa ­– com destaque para o preço, que, à época, era de R$ 164.620. Com a saída, o Jetta GLI se tornou o sedã mais caro da marca.

Escapamento ganhou desenho trapezional
Nesta geração, o modelo estreou aqui há quase cinco anos Marco de Bari/Quatro Rodas

Os alemães também garantem no posicionamento oficial que essa lacuna será preenchida pelas versões mais caras do SUV Tiguan Allspace, que custa de R$ 143.990 e chega aos R$ 208.590 na configuração topo de linha (com motor de 220 cv e sete lugares).

Interior traz elementos distintos da linha VW, como a forma contínua das saídas de ar
Bom acabamento e dinâmica esportiva renderam elogios nas avaliações Marco de Bari/Quatro Rodas

Diferentemente do sedã aposentado, Jetta e Tiguan se beneficiam da produção mexicana, que permite isenção do imposto de importação. Vale lembrar que o Touareg, SUV mais caro já feito pela empresa, foi aposentado do nosso mercado no início de 2019.

Sedã recebeu mudanças sutis no visual no início de 2019 Divulgação/Volkswagen

Aliás, o Passat já estava defasado em relação à Europa havia quase dois anos, já que não recebemos a reestilização promovida no Velho Continente. Além do visual atualizado, o sedã recebeu novos equipamentos e até o sistema de condução semiautônoma.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade