Clique e assine por apenas 8,90/mês

Comparativo: VW Passat e Toyota Camry se enfrentam

Atualizados, eles apostam em soluções diferentes para conquistar os fãs de sedãs executivos

Por Rodrigo Ribeiro - 8 out 2018, 18h25
O visual ousado do Toyota Camry contrasta com o retilíneo VW Passat Christian Castanho/Quatro Rodas

As rádios de músicas antigas têm um desafio constante. Algumas optam por ter na programação só clássicos das décadas passadas, enquanto outras incluem hits atuais para atrair ouvintes mais novos.

O segmento de sedãs executivos fora da tríade Audi-BMW-Mercedes enfrenta uma situação similar: Honda e Toyota seguem uma escola mais conservadora com o Accord e Camry, com menos ousadias, enquanto a Volkswagen usa o Passat como uma vitrine tecnológica.

Os vincos esticam visualmente os 4,8 m do longo sedã Christian Castanho/Quatro Rodas
O desenho elegante, mas previsível, é o mesmo desde 2016 Christian Castanho/Quatro Rodas

Convocamos o Passat 2019, que recebeu mais equipamentos, para um duelo com o novo Camry – o Accord ficou de fora por causa da iminente troca de geração do sedã.

O Toyota é mais novo, mas sai perdendo pelo preço: R$ 199.990, ante os R$ 164.620 do Volkswagen. Mas pesa a favor do japonês o V6 3.5 de 310 cv, enquanto o Passat manteve o 2.0 16V com 220 cv.

Continua após a publicidade
O japonês conta com um motor V6 3.5 de 310 cv Christian Castanho/Quatro Rodas
O eficiente motor 2.0 é o mesmo do Golf GTI Christian Castanho/Quatro Rodas

O câmbio da dupla é sempre automático, mas com conceitos diferentes: por conversor de torque e oito marchas no Camry, e automatizado com dupla embreagem e seis marchas no VW.

As escolas da dupla também são distintas da porta para dentro, com o alemão voltado a quem dirige, enquanto o japonês valoriza quem anda de passageiro. E essa diferença foi essencial para definir o campeão deste comparativo, como veremos a seguir.

A linha 2019 inclui um novo multimídia, mas tirou o som Dynaudio e o Park Assist Christian Castanho/Quatro Rodas

A oitava geração do Passat reúne plataforma, motor e câmbio do Golf GTI em uma embalagem familiar. Isso significa que os estampidos nas trocas de marcha foram suavizados, mas a resposta da suspensão firme e da direção direta faz com que qualquer motorista veterano rejuvenesça uma dezena de anos.

O painel com design ousado e bem-acabado usa couro, metal e imitação de madeira Christian Castanho/Quatro Rodas

Mesmo popularizado, o painel digital ainda chama a atenção, e ganhou a companhia de um sistema multimídia que reconhece alguns gestos feitos no ar, como ao virar uma página invisível com os dedos e, com isso, trocar a tela do computador de bordo.

Continua após a publicidade
Painel digital customizável é o mesmo do Golf GTI Christian Castanho/Quatro Rodas

A praticidade do recurso é quase nula, ao contrário do farol de led com facho alto automático e do controlador de velocidade adaptativo com frenagem automática de emergência, que passaram a ser de série no Passat.

O Camry, por outro lado, não tem nada disso. Mas quem viajar em seu banco traseiro não sentirá falta de um rádio moderno, do freio com Auto Hold ou da vetorização de torque.

Quem viajar em seu banco traseiro do Camry não sentirá falta de um rádio moderno, do freio com Auto Hold ou da vetorização de torque Christian Castanho/Quatro Rodas

A falta desses itens (e de outros mais frugais, como as portas sem travas automáticas) é um problema do motorista, já que o melhor lugar para quem investir quase R$ 200.000 no Camry está no assento de trás.

Falta de alguns itens essenciais deixam o motorista na mão Christian Castanho/Quatro Rodas

Ele só tem 3,4 cm a mais de entre-eixos (são 2,82 m no total), mas o encosto traseiro reclinável comandado por um requintado controle embutido no apoio de braço central dá ao Toyota um ar de “carro da diretoria” que falta à cabine do Passat.

Continua após a publicidade
Comandos sensíveis ao toque embutidos no apoio de braço central permitem reclinar o encosto traseiro, ajustar o ar-condicionado, erguer a cortina elétrica do vidro posterior ou até comandar o sistema de som do Camry Christian Castanho/Quatro Rodas

Essa sensação é reforçada pelo rodar suave da suspensão macia, típica de um carro americano. Não à toa, o Camry é o Toyota mais vendido nos Estados Unidos, um mercado onde nem um Passat feito especificamente para lá conseguiu dominar.

Quem quiser ficar no comando terá em mãos um modelo menos ágil nas curvas, mas que entrega uma aceleração até os 100 km/h cumprida em ótimos sete segundos. Mesmo que isso seja só 0,1 segundo mais rápido que o Passat, o ronco do V6 entrega uma trilha sonora que vem desaparecendo gradualmente no segmento. E por um motivo nobre.

Porta-malas do Camry cabem 593 litros Christian Castanho/Quatro Rodas

Ainda que o motor do Camry seja moderno e tenha quase todos os recursos do quatro-cilindros alemão, a ausência do turbo pesa contra o consumo do Toyota, mais elevado tanto em ciclo urbano quanto rodoviário.

O Passat também é mais econômico na hora de fazer revisões e na cesta básica de peças. Seu seguro é mais elevado, mas o proprietário do Camry teria que ficar 20 anos com o modelo para usar essa vantagem para empatar os gastos com a compra do carro.

Continua após a publicidade
Porta-malas do Passat tem abertura elétrica por gestos com os pés Christian Castanho/Quatro Rodas

O preço elevado do Toyota, inclusive, é o seu maior ponto fraco. Ele tem um design marcante, que destoa do Passat, e trata – muito bem – seus ocupantes. Mas não há argumento racional que justifique um modelo que tenha acabamento e desempenho similar ao Passat, mas que gaste mais combustível, seja R$ 35.370 mais caro e bem menos equipado.

O banco do motorista tem memória e oferece massagem Christian Castanho/Quatro Rodas
Há saída de ar-condicionado nos bancos traseiros Christian Castanho/Quatro Rodas

O Volks sai deste comparativo como o vencedor com grande vantagem, mas o Camry ainda toca no coração dos fãs dos sedãs executivos clássicos, onde ser conduzido é tão ou mais prazeroso quanto conduzir. É uma fórmula que ainda tem seus consumidores, mas que, como nas rádios, limita o alcance do seu produto.

Veredicto

O novo Camry ficou ousado como nenhum outro Toyota e entrega um rodar macio e vigoroso. Mas o Passat anda junto, é mais prazeroso de guiar, tem muito mais equipamentos e custa bem menos.

Ficha técnica

Toyota Camry VW Passat
Preço R$ 199.990 R$ 164.620
Motor gasolina, dianteira, transversal, V6, 3.456 cm3, 24V, 310 cv a 6.600 rpm, 37,7 mkgf a 4.700 rpm gasolina, dianteiro, transversal, quatro cilindros, 1.984 cm3, 16V, turbo, 220 cv a 4.500 rpm, 35,7 mkgf a 1.500 rpm
Câmbio aut., 8 marchas, tração dianteira automatizado, dupla embreagem, 6 marchas, tração dianteira
Suspensão McPherson (diant.) e braços sobrepostos (tras.) McPherson (diant.) e multibraço (tras.)
Freios disco vent. (diant.) sólido (tras.) disco vent. (diant.) sólido (tras.)
Direção hidráulica, diâm. de giro 12,4 m elétrica, diâm. de giro 10,4 m
Pneus 235/45 R18 (diant.) 235/45 R18 (diant.)
Dimensões compr., 488,5 cm; largura, 184,0 cm; alt.,145,5 cm; entre-eixos, 282,5 cm; altura livre do solo, 15 cm; peso, 1.645 kg; tanque, 60 l; porta-malas, 593 l compr., 476,7 cm; larg., 83,2 cm; alt., 147,6 cm; entre-eixos, 279,1 cm; alt. livre do solo, 13 cm; peso, 1.529 kg; tanque, 66 l; porta-malas, 586 l

Teste

Toyota Camry VW Passat
Aceleração de 0 a 100 km/h 7 s 7,1 s
Aceleração de 0 a 1.000 km/h 27 s – 204,6 km/h 27 s – 202 km/h
Retomada de 40 a 80 km/h 3,2 s 2,8 s
Retomada de 60 a 100 km/h 3,4 s 3,5 s
Retomada de 80 a 120 km/h 4,4 s 4,3 s
Frenagem 60/80/120 km/h 15,8/27,5/64,1 m 14,8/24,7/59 m
Consumo urbano 8,2 km/l 9,7 km/l
Consumo rodoviário  13,7 km/l 13 km/l

Custos

Toyota Camry VW Passat
Seguro R$ 9.819 R$ 11.511
Revisões R$ 5.075 R$ 3.741
Peças R$ 26.282 R$ 11.557

 

Publicidade