Clique e assine por apenas 8,90/mês

Comparativo: Peugeot 5008 e VW Tiguan no jogo de sete assentos

Comparamos os (muitos) pontos em comum e as (poucas) diferenças entre Peugeot 5008 e VW Tiguan

Por Leonardo Felix - Atualizado em 23 set 2019, 14h14 - Publicado em 23 set 2019, 13h39
Em comum, faróis de led e luzes diurnas – e espaço para sete pessoas Christian Castanho/Quatro Rodas

O preço do Peugeot 5008 foi modificado algumas semanas após a publicação desta matéria. A alteração não altera o resultado do comparativo.

A grande maioria dos carros de sete lugares não é feita para você viajar por muitos quilômetros com sua família, cachorro e dois amigos extras.

Além dos assentos adicionais acomodarem com conforto somente crianças, o espaço restante no porta-malas vai comportar algumas malas médias, e olhe lá.

A tampa não é elétrica, mas sua pouca altura facilita seu fechamento Christian Castanho/Quatro Rodas

Mas esse segmento oferece uma versatilidade única para roteiros curtos com sete ocupantes, além de geralmente terem porta-malas generosos quando a fileira extra é rebatida.

Essas especificidades fazem com que esse segmento normalmente seja carente de novidades na faixa “mais barata”, mas recentemente duas novas opções chegaram ao país: Volkswagen Tiguan e Peugeot 5008 Griffe.

Manobras no Tiguan são facilitadas pelo vidro traseiro maior Christian Castanho/Quatro Rodas

Além da contemporaneidade, a dupla se equivale em tamanho, preços, itens de série e custos de propriedade nas versões topo de linha.

Por conta disso, convocamos o Tiguan R-Line (R$ 187.990) e o 5008 Griffe Pack (R$ 179.990)* para um duelo tão familiar quanto tecnológico.

Continua após a publicidade

*No mês de publicação da matéria na revista o preço do 5008 Griffe Pack era de R$ 184.790

Sem as mãos

Foi-se o tempo em que chave presencial, câmera de ré e bancos elétricos eram diferenciais na faixa próxima dos R$ 200.000. O que impacta para os clientes agora são itens que oferecem tanto conforto quanto segurança.

Isso explica o fato de ambos os SUVs terem controlador de velocidade adaptativo, frenagem automática de emergência com detecção de pedestres e painel digital.

O teto preto é de série em todas as versões do Peugeot 5008. Christian Castanho/Quatro Rodas

O Peugeot agrega assistente de permanência em faixa, carregador do celular por indução, alerta de veículo no ponto cego, facho alto automático, teto solar panorâmico e leitor de placas.

Dessa lista, o Tiguan só pode oferecer o teto solar, que custa R$ 4.990 a mais e torna a revisão mais cara (sua lubrificação deve ser feita a cada 10 mil km).

Também há estacionamento automático e tampa do porta-malas elétrica, mas o melhor diferencial do SUV alemão está debaixo do capô.

Interior envolvente e bem acabado tem massagem para os bancos dianteiros e carregador de celular por indução, mas controle do ar-condicionado feito só pela tela é confuso. Christian Castanho/Quatro Rodas

O 2.0 turbo EA888 usado no Tiguan é tão versátil que ele empurra do pequeno Polo GTI ao enorme Atlas.

Continua após a publicidade

No SUV, ele gera 220 cv e 35,7 mkfg, mais do que suficientes para deslocar a 1,7 tonelada até os 100 km/h em meros 7 segundos. Na mesma prova o 5008 e seus modestos 165 cv e 24,5 mkgf levou 10,5 segundos.

A ampla diferença de desempenho do Tiguan se repetiu nas retomadas, com vantagem de quase 2,5 s na medição de 80 a 120 km/h.

Só que, o que o Tiguan anda, ele bebe: foram 8,7 km/l na cidade e 11,8 km/l na estrada, enquanto o Peugeot fez 10,4 km/l e 13,8 km/l nas mesmas provas.

Christian Castanho/Quatro Rodas

E por mais divertido que o Tiguan seja com sua suspensão firme (e independente nas quatro rodas), tração integral e ronco abafado, um SUV de sete lugares não é exatamente um veículo de apelo esportivo.

Ele precisa ser seguro, confortável e agradar outras seis pessoas.

Manobras no Tiguan são facilitadas pela vigia traseira maior Christian Castanho/Quatro Rodas

O acesso à terceira fileira é igual em ambos: ou seja, difícil. É preciso rebater e puxar a fileira intermediária, e pedir a quem for ficar no meio para que não jogue o assento todo para trás, sob risco de você dar adeus aos seus joelhos.

Mas que zona

No fator temperatura, o Tiguan se destaca por oferecer ajuste climático para a segunda fileira – ambos têm saída de ar para quem vai no meio, mas não para quem senta na terceira fileira.

Continua após a publicidade

Mas só o Peugeot limita a incidência solar para quem vai atrás por meio de cortinas manuais embutidas nas portas traseiras.

Mais difícil é entender o plano de manutenção do Tiguan. Apesar das três primeiras revisões serem gratuitas, há muitos itens cobrados à parte, como os caros jogos de velas (R$ 686,52) e o fluido da transmissão integral (R$ 747,38).

Por conta disso, manter o Volkswagen por 60.000 km ou três anos custa R$ 459 a mais.

O seguro também é ligeiramente mais caro no Tiguan, mas é um gasto necessário: se bater, a cesta de peças custa mais que o dobro do Peugeot.

A central multimídia do Tiguan tem interface maior e permite a customização entre diferentes motoristas. Christian Castanho/Quatro Rodas

Ainda assim, o Tiguan se garante como campeão por oferecer mimos extras aos ocupantes e entregar segurança (real e aparente) junto com um desempenho acima da média.

Seu motor tem fôlego de sobra em ultrapassagens, enquanto a tração integral reduz sustos em viagens por pisos escorregadios. Manter o Volkswagen pode ser um pouco mais caro, mas com ele há a garantia de uma relação mais duradoura – e divertida.

O porta-malas com os dois bancos extras rebatidos tem vastos 686 litros. Christian Castanho/Quatro Rodas

Veredicto

Ambos são confortáveis e equipados, mas o desempenho e alguns detalhes separam o bom 5008 do excelente Tiguan.

Continua após a publicidade

Ficha Técnica – Peugeot 5008 Griffe Pack

  • Preço: R$ 179.990
  • Motor: gasolina, dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, injeção direta, 16V, turbo, 1.598 cm³; 77 x 85,8 mm, 10,5:1, 165 cv a 6.000 rpm, 24,5 mkgf a 1.400 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (dianteira)/eixo de torção (traseira)
  • Freios: disco ventilado (dianteira) / disco sólido (traseira)
  • Direção: Elétrica, 11,2 metros (diâmetro de giro)
  • Rodas e pneus: liga leve, 235/50 R19
  • Dimensões: comprimento, 464,1 cm; largura, 184,4 cm; altura, 164,0 cm; entre-eixos, 284 cm; peso, 1.632 kg; tanque, 56 litros; porta-malas, 237 litros (7 lugares) 780 litros (5 lugares)

Ficha de testes

Aceleração
0 a 100 km/h: 10,4 s
0 a 1.000 m: 31,6 s – 167,7 km/h

Velocidade Máxima: 206 km/h*

Retomada (em D):
40 a 80 km/h: 4,6 s
60 a 100 km/h: 5,7 s
80 a 120 km/h: 7,4 s

Frenagens
0/80/120 km/h – 0 m: 16,9/28,6/62,1 metros

Consumo
Urbano: 10,4 km/l
Rodoviário: 13,8 km/l

*Dado de fábrica

Seu bolso
Seguro: R$ 3.420
Revisões (6): R$ 4.747
Peças: R$ 11.885

Ficha técnica – Volkswagen Tiguan R-Line 

  • Preço: R$ 187.990
  • Motor: gasolina, dianteira, transversal, 4 cilindros, injeção direta e indireta, 16V, turbo, 1.984 cm3; 82,5 x 92,8 mm, 9,6:1, 220 cv a 4.300 rpm, 35,7 mkgf a 1.600 rpm
  • Câmbio: automatizado, dupla embreagem, 6 marchas, tração integral
  • Suspensão: McPherson (dianteira)/multibraço (traseira)
  • Freios: disco ventilado (dianteira) / disco sólido (traseira)
  • Direção: Elétrica, 11,9 metros (diâmetro de giro)
  • Rodas e pneus: liga leve, 255/45 R19
  • Dimensões: comprimento, 470,1 cm; largura, 183,9 cm; altura, 165,8 cm; entre-eixos, 279 cm; peso, 1.785 kg; tanque, 60 litros; porta-malas, 230 litros (7 lugares)/ 685 litros (5 lugares)

Ficha de testes

Aceleração
0 a 100 km/h: 7 s
0 a 1.000 m: 27,8 s – 186,4 km/h

Velocidade máxima: 223km/h

Retomadas
40 a 80 km/h: 3 s
60 a 100 km/h: 4,1 s
80 a 120 km/h: 4,9 s

Frenagens
60/80/120 km/h – 0 m: 14,7/25,5/57,7 metros

Consumo
Urbano: 8,7 km/l
Rodoviário: 11,8 km/l

Seu bolso
Seguro: R$ 3.653
Revisões (6):R$ 5.206
Peças:R$ 20.418

Publicidade