Renault aumentará produção do Kwid para reduzir fila de espera

Clientes que não compraram na pré-venda precisariam aguardar pelo menos 60 dias pelo carro, o que estaria aumentando o número de pedidos cancelados

Pré-venda do Kwid consistia no pagamento de R$ 1 mil para garantir o veículo

Pré-venda do Kwid consistia no pagamento de R$ 1 mil para garantir o veículo (Divulgação/Renault)

A Renault está correndo contra o tempo para suprir a demanda de interessados pelo Kwid. Fontes ligadas à empresa afirmam que a marca vai acelerar o ritmo da produção dos veículos para entregá-los antes do fim do ano.

Até agora, quem fecha negócio é informado de que precisará esperar pelo menos 60 dias para levar seu carro para casa. As estimativas mais pessimistas dão conta de que as últimas entregas acontecerão apenas no fim de novembro.

O prazo longo de espera seria uma das razões pelo número significativo de desistências entre os clientes que haviam reservado um Kwid durante a pré-venda – fontes de concessionárias consultadas pela QUATRO RODAS estimam que 20% deles não efetivaram a compra.

Há relatos de que, principalmente devido à espera, muitas pessoas estariam optando por um Sandero (que ganhou novos motores recentemente) ou migrando para a concorrência – algo que obviamente a marca quer evitar a todo custo.

A nova estimativa da Renault é que o novo volume de produção do Kwid derrube o prazo de espera para, no máximo, um mês.

Procura é tanta que houve concessionária cogitando cobrar ágio pelo carro

Procura é tanta que houve concessionária cogitando cobrar ágio pelo carro (Divulgação/Renault)

Há também relatos internos de que a marca está conseguindo impedir a prática do ágio, o famoso sobrepreço aplicado pelas concessionárias em casos de procura elevada por um determinado modelo. Sendo assim, o Kwid Life continua partindo de R$ 29.990 e a versão topo de linha Intense sai por R$ 39.990, ambos sem opcionais.

Vale ressaltar que os valores anunciados pela empresa são sugeridos, ou seja, cada concessionária aplica o valor que lhe convir. Além disso, há a expectativa que os preços tenham aumento assim que a entrega da pré-venda terminar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. “…cada concessionário aplica o valor que (convier)…”

  2. O trunfo do Kwid é o preço, o valor do Uno 1.0 3cc está custando 38,990, um carro que sabemos das suas deficiências, mas é melhor que o Renault em espaço interno, esta versão intense de 39,990 é desvantajosa, melhor partir para um compacto como HB20, o sucesso reside na versão Zen de 35,990

  3. djalma andretta

    Farsa da Renault tem que ser investigada pelo CONAR. primeiro divulgando que tinha vendido previamente 7 mil carros e que os último iriam receber só em Novembro. Agora diz que só poderá entregar carros para quem compra agora em 60 dias, ou seja, Outubro; onde está a verdade? Vendeu ou não vendeu os 7 mil caros antecipados?

  4. Henrique Cunha

    Quando tiver o modelo com cambio automático, será mais interessante.