O Mitsubishi Eclipse realmente voltou, mas não como você esperava

Agora um SUV, o modelo estreia o inédito motor 1.5 turbo de injeção direta

Em relação ao antigo cupê esportivo, a única semelhança é o nome

Em relação ao antigo cupê esportivo, a única semelhança é o nome (Divulgação/Mitsubishi)

Após bons anos sem grandes novidades, a Mitsubishi enfim mostra que está viva com a apresentação do Eclipse Cross. O modelo, que em nada se parece com o antigo cupê esportivo Eclipse, aproveita a nomenclatura que marcou gerações para batizar mais um representante do segmento mais disputado no mundo, o dos SUVs.

Sua primeira aparição pública será na próxima semana, durante o Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça.

Visual do Eclipse Cross foi inspirado nos conceitos XR-PHEV e XR-PHEV II

Visual do Eclipse Cross foi inspirado nos conceitos XR-PHEV e XR-PHEV II (Divulgação)

Visualmente, o Eclipse Cross une elementos dos conceitos XR-PHEV e XR-PHEV II, de 2013 e 2015, respectivamente. Na dianteira, estão presentes as já características barras cromadas que sublinham os faróis e descem pelo para-choque, como nos Outlander e ASX vendidos atualmente no Brasil.

De lado, predomina a tendência dos SUV-cupê, como nos BMW X4/X6 e Mercedes-Benz GLE/GLC Coupé, com linha de cintura ascendente marcada por vincos.

Maldade ou não, há quem diga que a traseira do SUV lembre a do Pontiac Aztek, de 2001

Maldade ou não, há quem diga que a traseira do SUV lembre a do Pontiac Aztek, de 2001 (Divulgação)

A traseira, no entanto, promete ser o ponto polêmico do irmão maior do ASX. Apesar da aparência futurista, há quem diga que o conjunto formado pela caída de cupê do teto, as lanternas altas (e o formato das peças) e os vidros divididos, lembram o polêmico Pontiac Aztek.

Lanternas formam uma linha horizontal bem chamativa

Lanternas formam uma linha horizontal bem chamativa

Por dentro, há uma simplicidade e despojamento de design típica dos Mitsubishi, mas com recheio interessante. O sistema de infotainment inclui uma tela touchscreen, um touchpad ao lado da alavanca de câmbio e um HUD (head-up display) para o motorista.

Diferentemente da carroceria, o interior tem traços mais discretos

Diferentemente da carroceria, o interior tem traços mais discretos (Divulgação/Mitsubishi)

O touchpad é parecido com o que equipa alguns modelos da Lexus

O touchpad é parecido com o que equipa alguns modelos da Lexus

O HUD exibe informações de rodagem e do piloto automático

O HUD exibe informações de rodagem e do piloto automático

É na mecânica que o SUV guarda suas principais armas. Além do conhecido 2.2 turbodiesel, que terá uma calibragem específica para o modelo e um novo câmbio automático de oito velocidades, o Eclipse Cross estreia um 1.5 turbo de injeção direta, ainda sem potência e torque divulgados pela Mitsubishi. O câmbio é CVT, também de oito marchas (virtuais), e a tração é integral.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Parabéns Mitsubishi, está conseguindo estragar todos seus carros

  2. ué, um outlander com a traseira cortada? pra que colocou como eclipse, pra manchar o nome do antigo carro?

  3. Valfrido Machado Junior

    Eclipse, o que fizeram com você??? 😦

  4. Pedro Martini

    PQP mudem o nome, saudoso ECLIPSE ta envergonhado