Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Mini Cooper a hidrogênio foi criado há 20 anos e tinha motor brasileiro

Projeto mantinha o motor quatro cilindros, mas adaptava-o para queimar hidrogênio ao invés de gasolina

Por João Vitor Ferreira 18 abr 2022, 17h21

A moda para encontrar combustíveis alternativos e sustentáveis pode ser mais antiga do que você imagina. Em 2001, logo no início do século, a Mini mostrava ao mundo um conceito que substituía a gasolina pelo hidrogênio.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Atualmente, não é nenhum absurdo vermos uma notícia como essa. A Toyota, por exemplo, tem o Mirai e já até corre com um Corolla Sport movido a hidrogênio em competições oficiais. Mas gerou curiosidade em todo o mundo há 20 anos.

Mini Cooper hidrogenio tres quartos na rua
Divulgação/Mini

O protótipo era baseado no Mini Cooper da época, a terceira geração da história do modelo, que estava estreando junto com o novo milênio. Na época, a marca britânica já estava sob comando da BMW, que aproveitou a tecnologia do BMW Série 7 Hydrogen no veículo compacto.

Porém, diferente das células de hidrogênio que funcionam com um processo eletroquímico – como no caso do Toyota Mirai – o Mini Cooper Hydrogen Concept era, em tese, mais simples. 

Mini Cooper hidrogenio lateral
Divulgação/Mini

Apresentado no Salão de Frankfurt, o hatch tinha um motor convencional, a combustão, porém adaptado para queimar hidrogênio. Por sinal, o motor quatro cilindros 1.6 era o mesmo da versão padrão do Mini Cooper, ou seja, o antigo motor 1.6 16V Tritec, fabricado no Brasil (e que seria transformado no Fiat E.torQ anos depois).

A principal diferença estava no sistema de injeção, que foi adaptado para melhorar a eficiência queimando hidrogênio líquido e ultra-frio, que era injetado no coletor de admissão.

Continua após a publicidade

Mini Cooper hidrogenio frontal
Em 2001 a Mini já flertava com combustíveis sustentáveis. Atualmente, os planos da BMW para a marca é que ela se torne 100% elétrica até 2030 Divulgação/Mini

Por dentro, o protótipo perdeu a segunda fileira de bancos para acomodar os cilindros que armazenavam o combustível. De acordo com a BMW, o Mini Cooper movido a hidrogênio tinha cerca de 120 cv e consumo semelhante ao modelo movido a gasolina, mas com a vantagem de ser bem menos poluente.

Mini Cooper hidrogenio cilindros
O banco traseiro precisou sair para alocar os cilindros de hidrogênio Divulgação/Mini

Futuro dos Mini

Se há 20 anos a ideia de um Mini que não fosse movido a combustíveis fósseis era meramente conceitual, agora ela já é realidade. Isso porque a marca já têm modelos 100% elétricos e a tendência é que continue assim.

Novo Mini 2023 dianteira
Dianteira da quarta geração do Mini Cooper S três portas Reprodução/Internet

A marca planeja produzir somente veículos elétricos a partir de 2030, porém as mudanças começarão a aparecer já no próximo ano. Para 2023, a quarta geração do Mini Hatch 3 portas, por exemplo, estreará exclusivamente elétrica no mercado europeu, enquanto as versões a combustão serão restritas a determinados países, como informou a BMW.

O mesmo se aplica ao sucessor do Countryman, que deverá ser substituído por um novo crossover.

Traseira Mini 2023
A traseira da nova geração adotará design bem diferente do comum Reprodução/Internet

De novidade, até agora o que se sabe é que o design deve trazer referências aos modelos Mini clássicos, mas com uma traseira totalmente nova, como pode ser visto em imagens vazadas vindas da China. Quanta a mecânica, nada foi divulgado, mas espera-se que ele supere os 200 km de autonomia da terceira geração.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês