Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Ford quer usar o hidrogênio para salvar seus motores V8

Sistema complexo seria um dos meios que a Ford busca para conseguir ter motores a combustão "limpos" para garantir a sobrevida de seus esportivos

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
30 mar 2022, 13h43

A Stellantis não teve o mesmo pudor e ,aos poucos, vai substituir seus motores V8 mais comuns pelo novo motor Hurricane, um seis cilindros 3.0 biturbo. Mas a Ford quer garantir a sobrevida dos seus motores V8 e trabalha em tecnologias que podem viabilizar isso sem ter problemas com normas de emissões mais rígidas.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Uma série de patentes registradas pela fabricante nos Estados Unidos revela um projeto bem elaborado de um sistema que permitiria o uso de hidrogênio como combustível para motores a combustão.

A complexidade do sistema se justifica, dada a dificuldade para controlar a queima do hidrogênio na câmara de combustão e a elevada temperatura de trabalho que seriam alcançadas pelo uso do hidrogênio como combustível.

ford-motor-hidrogenio
Sistema é complexo e depende de dois turbocompressores e de EGR (Reprodução/Ford)

As patentes revelam um sistema de controle independente para o ar e para o hidrogênio, o que leva a supor que usariam um sistema de injeção direta de hidrogênio. O sistema também contempla o uso de dois turbocompressores e sistema de recirculação de gases EGR.

O sistema EGR também seria providencial para reduzir a temperatura na câmara de combustão, evitando a pré-detonação do hidrogênio. E graças a ele haveria precisão não só no controle do fluxo de ar na admissão como também da quantidade de oxigênio na mistura ar-combustível.

Se um dos desenhos mostra apenas o desenho de um cilindro, há esquemas que mostram que trata-se de um motor V8. Ainda que a Ford nunca tenha sinalizado que pretenda usar hidrogênio como combustível, como a Toyota ou a Yamaha fizeram recentemente, a fabricante norte-americana já sinalizou, em diferentes momentos, que estuda meios para manter seus motores a combustão mais potentes, inclusive com o uso de hidrogênio.

ford-motor-hidrogenio
Sistema é complexo e depende de dois turbocompressores e de EGR (Reprodução/Ford)

Na prática, seria o caminho para manter os grandes, poderosos e barulhentos motores V8 em carros como os Mustang Shelby. Enquanto isso, porém, a eletrificação da Ford avança com carros como o Mustang Mach-E e a F-150 Lightning.

V8 a hidrogênio com 449 cv

A Yamaha não faz carros, mas é uma grande desenvolvedora de motores a combustão. Tanto que conseguiu fazer um motor V8 a hidrogênio, ou quase isso: a base da sua criação foi um motor usado pela Toyota e pela Lexus, com quem tem parceria há décadas.

Lexus-motor-hidrogenio
(Yamaha/Reprodução)

O ponto de partida foi o motor V8 5.0 aspirado 2UR-GSE, usado pelos Lexus RC-F e LC 500. Admissão e escapes foram modificados, mas mantiveram o deslocamento e a taxa de compressão de 12,3:1. Com as mudanças, os coletores de escape estão no meio do “V”, entre as bancadas.

Compartilhe essa matéria via:

Um mapa de injeção específico também foi necessário, obviamente. O resultado foi um motor V8 com 449 cv a 6.800 rpm e 55 kgfm a 3.600 rpm. São bem diferentes dos 477 cv a 7.100 rpm e 54 kgfm a 3.600 rpm do motor em sua configuração original, mas, ainda assim, muito promissor.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.