Clique e assine por apenas 8,90/mês

Melhor Compra: por que o Chevrolet Onix é tão bom de vendas?

Ao contrário da propaganda de biscoito, não é porque ele está sempre fresquinho. Veja os motivos neste vídeo que preparamos para você

Por Paulo Campo Grande - Atualizado em 4 Maio 2020, 10h13 - Publicado em 30 abr 2020, 18h00

O Chevrolet Onix foi o líder do mercado em 2019. Segundo a Fenabrave, ele ficou com 32,4% de participação no segmento dos hatches compactos e 25%, no segmento de sedãs compactos.

Ano passado, a GM vendeu 241 mil unidades do Onix hatch e quase 74 mil unidades do sedã, que antes atendia pelo nome de Prisma e agora é Onix Plus.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Continua após a publicidade

O segundo colocado no ranking de vendas foi o Ford Ka hatch e sedã, com 104.331 unidades no segmento de hatches e 51.260 unidades de sedãs. Ou seja: bem atrás do Onix. O Ka teve 14% de participação entre os hatches e 17,5% entre os sedãs.

A supremacia continua em 2020. Quer saber o que o Onix tem para vender tanto? Então assista a este vídeo. QUATRO RODAS levantou o histórico do carro e descobriu que o sucesso não veio do dia para a noite. Diversos fatores contribuíram para isso. Inclusive a fama de mais vendido.

E olha que o Onix sofreu alguns reveses pelo caminho.

Onix de segunda geração manteve o embalo de vendas da primeira Fernando Pires/Quatro Rodas

Na primeira geração, tirou zero estrelas no teste de impacto do Latin NCap. Mais recentemente, já na segunda geração, chegou a passar por um recall por conta de defeitos no motor que provocava risco de incêndio do carro.

Continua após a publicidade

Mas nada disso foi capaz de atrapalhar a trajetória vitoriosa do modelo, que segue desejado e com boa imagem até mesmo no mercado de usados.

De acordo com a KBB Brasil, a desvalorização média do Onix na primeira e segunda gerações é de apenas 6,5%.

Já a desvalorização média do segmento fica em 7,5%, fabricados no período entre 2012 e 2015 (que inclui rivais como VW Gol, Ford Fiesta, Hyundai HB20 e Renault Sandero), sendo 6,7% no período entre 2016 e 2019 (quando já entram na jogada Ford Ka e Fiat Argo).

Sucesso vem desde a primeira geração Divulgação/Chevrolet

Para Prisma e Onix Plus, a vida não é tão fácil, porque sua desvalorização é acima da média do segmento.

Continua após a publicidade

Enquanto o segmento de sedãs compactos tem perda média de 7% (modelos entre 2012 e 2015) e de 6,8% (entre 2016 e 2019) no valor, a do Chevrolet chega a 9,5 e 8,8%, respectivamente.

Mas isso não chega a abalar sua posição de líder do mercado. Dê o play e confira!

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Publicidade