Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Jeep Compass terá nova identidade visual e painel inspirado no Argo

Modelo reestilizado estreará ano que vem com poucas mudanças no visual e motor 1.3 turbo de até 170 cv

Por Gabriel Aguiar Atualizado em 29 out 2020, 15h33 - Publicado em 24 set 2020, 07h30
Visual da versão brasileira será parecido com o do modelo indiano Renato Aspromonte/Quatro Rodas

O lançamento do novo Jeep Compass ficou para o ano que vem, diferentemente do que estava previsto. Mas nem será necessário esperar até lá para conhecer algumas das principais novidades.

Como você deve ter notado na projeção acima, faróis e luzes auxiliares deverão se manter praticamente os mesmos do modelo atual, enquanto para-choque e grade serão redesenhados. Esse estilo é bem similar à configuração para a Índia.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Para o mercado europeu, as tomadas de ar serão um pouco diferentes, com aspecto mais esportivo. E, se você gostou, a boa notícia é que o híbrido (importado) deverá ser assim.

Visual do modelo europeu deve chegar com a versão híbrida Renato Aspromonte/Quatro Rodas

Em relação ao painel, o Compass já foi flagrado com central multimídia de tela flutuante e novo volante – que também será aproveitado no próximo Grand Cherokee.

Continua após a publicidade
  • Com isso, é possível imaginar que o SUV estreará a nova identidade visual do fabricante (pelo menos para a cabine) no mercado brasileiro.

    Outra diferença marcante será o console central elevado, bem ao estilo do Honda HR-V. Desta forma, os porta-objetos localizados ali serão maiores e, enfim, funcionais.

    Central multimídia terá tela destacada e painel será inspirado no Grand Cherokee Renato Aspromonte/Quatro Rodas

    Algumas soluções do irmão maior ficarão de fora, como o seletor giratório do câmbio, bem ao estilo dos SUVs da Land Rover.

    Também caberá ao modelo apresentar o novo 1.3 16V turbo flex com cerca de 170 cv e 25 kgfm, segundo o parceiro Autos Segredos.

    E, assim como o 2.0 16V, o câmbio automático de seis marchas será trocado em nome da eficiência: no lugar, haverá um CVT. Já o 2.0 turbodiesel terá atualizações, mas manterá câmbio de nove marchas e tração integral.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade