O melhor (e o pior) da Saveiro ao longo de seus 36 anos

Picape tem público fiel e ganhou status ao passar de mero veículo de trabalho para um modelo desejado por quem não precisa de caçamba

Volkswagen Saveiro, em teste comparativo realizado pela revista Quatro Rodas VW Saveiro City

VW Saveiro City (Marco de Bari/Quatro Rodas)

A reestilização da Saveiro, apresentada em 2016, deu personalidade própria à picape após três décadas, mas foram só 19 meses até o restante da família Gol ganhar o mesmo visual.

Lançada em 1982, essa operária chegou numa época em que as picapes compactas eram uma das principais novidades do mercado, além de ser uma opção de veículo de menor porte dedicado ao trabalho.

Hoje, o mercado mudou: são poucos os modelos (ou versões) voltados para o batente – o foco do marketing é o uso urbano, com ocasionais momentos de diversão e lazer.

A seguir, veja as principais mudanças da Saveiro ao longo dos anos e relembre suas versões especiais mais emblemáticas.

1982 – O LANÇAMENTO

1982: a primeira geração da Saveiro 1982: a primeira geração da Saveiro

1982: a primeira geração da Saveiro (Divulgação/Volkswagen)

A Saveiro apareceu 1982, depois de Gol, Voyage e Parati. Na época, a concorrência do segmento era formada por Fiat City (picape baseada no 147) e Ford Pampa, com a Chevrolet Chevy 500 chegando um ano depois.

Básica, a Saveiro trazia a frente do Gol BX, com faróis e luzes indicadoras de direção nos para-choques, além de lanternas verticais na traseira, como na Parati.

Ela estreou com o motor boxer 1.6 refrigerado a ar (o mesmo do Gol na época) e capacidade de carga de 570 quilos. Em 1984, a Saveiro finalmente adotou o famoso AP refrigerado a água, motor de origem Mercedes-Benz.

1986 – PRIMEIRA REESTILIZAÇÃO

Frente da Saveiro GL, ano 1989, da Volkswagen VW Saveiro GL

VW Saveiro GL (Acervo/Quatro Rodas)

A primeira reestilização da Saveiro aconteceu quatro anos após a estreia, quando recebia uma frente com capô mais baixo, faróis menores e luzes indicadoras de direção que iam até as laterais.

Era vendida agora em três versões: C, CL e GL, sendo que, meses depois, a picape adotou os para-choques envolventes que a acompanhariam até o modelo 1996.

O marco das primeiras 100 mil unidades produzidas da pequena picape foi alcançado em 1990.

Volkswagen Saveiro Volkswagen Saveiro

Volkswagen Saveiro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No ano seguinte, em 1991, a picape adotou a mesma reestilização do Gol (com faróis mais estreitos e arredondados).

1997 – SEGUNDA GERAÇÃO

Saveiro CLi modelo 1998 VW Saveiro CLi 1998

VW Saveiro CLi 1998 (Divulgação/Volkswagen)

Apresentado em 1995, a segunda geração do Gol mudou totalmente em relação ao modelo anterior.

A Saveiro chegou em 1997 e adotou o mesmo desenho do “Gol bolinha”, bem como as portas menores herdadas do Gol quatro portas.

A capacidade de carga também aumentou, passando de 570 para 700 kg por conta da caçamba esticada em 12 centímetros.

O motor AP 1600 foi atualizado com injeção eletrônica multiponto, o que lhe garantia melhor desempenho e consumo.

Outra novidade era a cabine levemente alongada, com uma janela-vigia lateral para ampliar a visibilidade, enquanto a tampa traseira recebia um enorme logotipo da marca.

2000 – SAVEIRO G3 – REESTILIZAÇÃO

Volkswagen Saveiro, em teste comparativo realizado pela revista Quatro Rodas VW Saveiro City

VW Saveiro City (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Considerada como uma das mais bonitas entre todas as gerações (idem para o Gol e Parati), a Saveiro G3, na verdade um facelift da segunda geração, acompanhou as mudanças de toda a família.

O visual que se alinhava à identidade mundial da marca, com inspirações em modelos mais caros da gama da época.

Saveiro Super Surf, modelo 2004 VW Saveiro Super Surf

VW Saveiro Super Surf (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Por dentro, o painel tinha ganhado linhas horizontais e acabamento com bons arremates, além do conhecido painel com iluminação azul.

Fora o visual atualizado, a picape trazia motor atualizado com novo comando de válvulas.

2005 – SAVEIRO G4 – REESTILIZAÇÃO

Volkswagen Saveiro Titan 1 VW Saveiro Titan

VW Saveiro Titan (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Considerada um ponto baixo na história da Saveiro, o segundo facelift da segunda geração (conhecido como G4) seguiu as leves mudanças encontradas no Gol, também em 2005.

Ou seja, com grade do radiador em “V, novos para-choques e faróis discretamente retocados, lanternas com novo arranjo interno.

A cabine recebeu acabamento mais espartano, além do diminuto e criticado painel de instrumentos herdado do Fox.

Os motores disponíveis eram os conhecidos AP 1600 e AP 1800.

2009 – TERCEIRA GERAÇÃO

VW Saveiro Trooper 2009

VW Saveiro Trooper 2009 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A terceira geração da Saveiro (chamada de G5 pela Volkswagen) chegou com visual totalmente reformulado e alinhado ao Gol – apresentado um ano antes.

Era vendida em três versões: 1.6, Trend e a topo de linha Trooper, ambas com opções de cabine simples ou estendida.

VW Saveiro Trooper 2009

VW Saveiro Trooper 2009 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Um ponto interessante era o degrau lateral para facilitar o acesso à caçamba, um recurso que estreou entre as picapes pequenas com a Chevrolet Montana.

Em 2010, veio a Saveiro Cross, versão com pegada fora de estrada que trazia novo para-choque, molduras nos para-lamas, borrachão lateral, rack de teto estendido até a caçamba, rodas aro 15 e interior com melhor acabamento.

2013 – SAVEIRO G6 – REESTILIZAÇÃO

VW Saveiro Pepper

VW Saveiro Pepper (Volkswagen/Divulgação)

Em 2013, a Saveiro recebeu a primeira reestilização, alinhando-se ao padrão visual global da montadora, inaugurada por aqui pelo Volkswagen Fox.

A picape tinha adotado (na versão Cross) algumas mudanças, como painel de instrumentos com iluminação âmbar, sensor de ré com gráfico no rádio, além da função ECO Confort –  recurso que dava dicas de economia.

Ainda em 2013, a picape chegou ao marco de 1 milhão de unidades produzidas.

VW Saveiro Pepper

VW Saveiro Pepper (Volkswagen/Divulgação)

Para não ficar para trás da Fiat Strada, a Saveiro ganhou a opção de cabine dupla em 2014, além de controle de estabilidade e motor o novo motor 1.6 EA211 de 120 cv.

A motorização mais moderna, com 16 válvulas, está disponível até hoje, porém, só na versão topo de gama Cross.

PRINCIPAIS SÉRIES ESPECIAIS:

Sunset (1993)

Saveiro Sunset propaganda VW Saveiro Sunset

VW Saveiro Sunset (Acervo/Quatro Rodas)

Em 1993, a Volkswagen apresentava a Saveiro Sunset, primeira série especial que deixava de lado seu uso para trabalho. A ideia era apostar em um público mais jovem e uso recreativo.

Ela contava com rodas raiadas que imitavam as BBS alemãs, adesivos laterais alusivos à versão nas colunas e laterais da caçamba, bem como barras de reforço na caçamba e faróis de neblina e de longo alcance.

A Saveiro Sunset trazia debaixo do capô o motor AP 1800S. Por dentro, os destaques eram os bancos Recaro.

Summer (1995)

Saveiro Summer VW Saveiro Summer

VW Saveiro Summer (Acervo/Quatro Rodas)

Batizada de Saveiro Summer, essa foi uma das séries especiais que mais fizeram sucesso na sua última geração “quadrada”.

Ela contava com motor 1.8, rodas de liga leve de 14 polegadas, direção hidráulica, painel “satélite”, adesivos com o nome “Summer” nas laterais, barras de reforço na caçamba, molduras laterais, faróis de neblina e para-choques traseiros envolventes.

Havia ainda volante de couro e revestimento interno exclusivo. Hoje em dia é bem difícil encontrar um exemplar que seja totalmente original.

TSi (1998)

VW Saveiro TSi VW Saveiro TSi

VW Saveiro TSi (Acervo/Quatro Rodas)

A Saveiro TSi 2.0 não era uma série especial, mas uma versão oferecida na segunda geração da picape.

Sob o capô havia um AP 2000 de 109 cv e 17 mkgf de torque, além de rodas de 15 polegadas e faróis com duplo refletor.

As alterações eram para garantir a proposta mais esportiva da picape. Andava muito bem, mas demandava atenção na tocada quando vazia.

Supersurf (2002)

Saveiro Super Surf 2002 VW Saveiro Super Surf

VW Saveiro Super Surf (Acervo/Quatro Rodas)

A série especial Supersurf surgiu em 2002 com base no Gol “G3”, e trazia para-choques cinzas, lanterna com acabamento fumê e adesivo alusivo à versão.

Outras mudanças incluíam rodas de liga leve de 15 polegadas, distância em relação ao solo elevada em 27 milímetros e acabamento cromado para a grade e espelhos retrovisores.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. danilo bernardes

    a g3 é considerada a mais bonita ? acho essa geração feia de mais, pra mim a g4 e a g2 sao as mais lindas, sem comparaçao com as outras