Impressões: Volkswagen I.D. Buzz, a Kombi do futuro

Com o carro-conceito I.D. Buzz, a Volks antecipa como será a nova Kombi, que nem está tão distante: o início da produção do modelo de série será em 2022

O estilo pão de fôrma está garantindo na Kombi de 2022

O estilo pão de fôrma está garantindo na Kombi de 2022 (Divulgação/Volkswagen)

A meta da Volkswagen é vender mais de 1 milhão de carros elétricos por ano a partir de 2025. Um dos modelos desse gigantesco bolo é justamente a I.D. Buzz, que você conhece agora.

Mas, antes das apresentações formais, para quebrar o gelo, pode chamar esse protótipo apenas de nova Kombi.

A I.D. Buzz está carregada de tecnologia, o que nunca foi o forte da Kombi. Isso é percebido antes mesmo de entrar: a porta se abre automaticamente, mediante um aceno de mão.

Além das portas abrirem automaticamente, as traseiras corrediças serão mantidas

Além das portas abrirem automaticamente, as traseiras corrediças serão mantidas (Divulgação/Volkswagen)

Na traseira, o acesso é facilitado pelas portas de correr e pelo fato de os bancos dianteiros ficarem bem deslocados à frente. O nível de espaço é ótimo para todos os oito ocupantes.

O assoalho totalmente plano é outro ponto que torna a vida a bordo agradável, pois facilita a circulação na cabine até que todos estejam devidamente acomodados.

É o acondicionamento dos quatro motores elétricos (um por roda) abaixo do assoalho que deixa a cabine tão espaçosa. Com motores e baterias na parte baixa, a I.D. Buzz tem dois porta-malas, um na frente e outro atrás.

Formato “pão de fôrma” segue na I.D. Buzz

Formato “pão de fôrma” segue na I.D. Buzz (Divulgação/Volkswagen)

As dimensões externas (4,94 metros de comprimento, 1,98 de largura e 1,96 de altura) tornam fácil adivinhar que aquela clássica silhueta de “pão de fôrma” é o invólucro de um interior espaçoso. Impressão corroborada pelo entre-eixos de 3,3 metros. Já se fala em uma versão encurtada, com cerca de 4,8 metros de comprimento, também com entre-eixos menor.

Molduras no assoalho do protótipo antecipam que a versão de produção, prevista para 2022, vai ter a modularidade interna como destaque. Uma tela com projeção gráfica no para-brisa passa ao motorista as principais informações.

Para desativar o modo autônomo, basta pressionar o logo VW no painel à frente da posição do motorista. Feito isso, a coluna se projeta, aproximando das mãos do piloto o pequeno painel que passa a cumprir a função de volante.

Cabine da I.D. Buzz antecipa o foco da Volks em direção autônoma, conectividade e também modularidade

Cabine da I.D. Buzz antecipa o foco da Volks em direção autônoma, conectividade e também modularidade (Divulgação/Volkswagen)

Do elevado posto de condução, nota-se o quanto as formas óbvias também proporcionam excelente visibilidade, deixando ainda mais agradável o test-drive pelas sinuosas estradas em torno de Pebble Beach, na Califórnia, Estados Unidos.

A entrega instantânea de torque revela a natureza 100% elétrica da futura Kombi. Nem parece se tratar de um veículo de cerca de 2 toneladas.

Espera-se que a versão de produção tenha também uma configuração de entrada, com dois motores, um por eixo, com 200 cv cada um, gerando uma potência combinada de 375 cv. Na I.D. Buzz, a autonomia é de 600 km, enquanto na versão mais mansa será de cerca de 400 km.

Para desativar o modo autônomo basta pressionar o logo da VW

Para desativar o modo autônomo basta pressionar o logo da VW (Divulgação/Volkswagen)

Quanto ao desempenho, a VW estima que ela vá de 0 a 100 km/h em 5 segundos. A velocidade máxima, por questão de segurança, é limitada a 160 km/h.

Como todo carro-conceito, a I.D. Buzz é dura e barulhenta, deixando claro que muita coisa vai mudar na suspensão. A começar pelas exageradas rodas aro 22 com pneus 235/45, muito boas para posar para fotos, mas terríveis na vida real.

Além de função tradicional de automóvel, a I.D. Buzz estará habilitada a ser uma espécie de escritório móvel, com elevado grau de conectividade.

Trilhos no interior permite a movimentação dos bancos

Trilhos no interior permite a movimentação dos bancos (Divulgação/Volkswagen)

Quando ela estiver nas concessionárias, terá capacidade de se dirigir sozinha, apesar de a Volkswagen estar hoje no nível 2 da condução autônoma e com o nível 3 em fase de desenvolvimento (quando será possível ao carro andar por conta própria em rodovias). Mas o objetivo para o carro de produção em série é o nível 4, no qual o motorista assume a direção se e quando quiser.

Fruto de um projeto nascido no pós-guerra, carro-símbolo do movimento hippie e sucesso absoluto nas mais diversas tribos (de colecionadores a feirantes), a Kombi tem na I.D. Buzz um futuro promissor.

Mas é bom que a VW se prepare: o brasileiro dispensará qualquer nome pomposo. Ela será, para sempre (e desde já), a querida Kombi.

60 anos de Kombi made in Brasil

A montagem da Kombi no Brasil começou em 2 de setembro de 1953, menos de três anos após a chegada das primeiras unidades, trazidas da Alemanha.

1953: a primeira feita aqui

1953: a primeira feita aqui (Divulgação/Volkswagen)

Sucesso imediato, quatro anos mais tarde, o índice de nacionalização já era de quase 100%. Em 2007, o Brasil passou a ser o único país do mundo a manter a Kombi em produção.

E assim foi até o melancólico 18 de dezembro de 2013, data em que o modelo se despediu de nós com um exemplar bicolor da versão Last Edition.

A edição Last Edition teve 1.200 unidades

A edição Last Edition teve 1.200 unidades (Divulgação/Volkswagen)

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. samuel campos ferreira

    E MUITA ENERGIA ELÉTRICA, GERADA POR PLACAS FOTOVOLTAICAS, INSTALADA NO TETO . ITEM DE FÁBRICA ! POR FAVOR !