GM é condenada a devolver dinheiro de dono de Onix

Carro em garantia ficou mais de 30 dias na concessionária com problemas mecânicos; Justiça determinou pagamento de R$ 68.000

Casos em que uma montadora devolve o valor pago por um comprador de um automóvel que apresenta problemas são raríssimos. Mas isso acaba de acontecer com o proprietário de um Chevrolet Onix.

O cliente Luca Itten adquiriu um Onix 1.4 LT ano 2012 / modelo 2013. Depois de um ano de uso, o carro teve uma pane mecânica, apresentando perda da potência, seguido de forte ranger metálico no motor e por fim paralisação total.

O compacto foi parar na concessionária Rumo Norte Congonhas, em São Paulo, onde foi constatado problemas nos pistões. Porém, a espera para resolver a questão durou mais de trinta dias – este é o prazo que o artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor estipula para que um produto dentro da garantia tenha seu defeito solucionado, caso contrário o cliente pode exigir seu dinheiro de volta.

O proprietário do modelo ainda em garantia negou-se a receber o carro e exigiu o seu dinheiro de volta. Como não conseguiu um acordo amigável, decidiu recorrer à Justiça.

Após dois anos de processo, o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a General Motors e a concessionária Rumo Norte Congonhas pelo não cumprimento do Código de Defesa do Consumidor. A Justiça determinou que o valor pago pelo veículo na época, R$ 38.370, deve ser devolvido com correções e juros de 1%. No total, a condenação é de R$ 68.000.

O julgamento ocorreu no dia 14 de dezembro 2016. Tanto a fabricante como a concessionária podem recorrer ao Supremo Tribunal Federal. Segundo o advogado Nacir Salles, responsável pelo caso, esse recurso pode ser feito apenas em relação ao valor da indenização, sem interferir no veredicto favorável ao proprietário.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Conheço um caso parecido, mas o dono do veículo não precisou acionar a justiça. Na época eu era estagiário de vendas de uma css da volkswagen em 2013. Um rapaz tinha comprado uma saveiro cross zerada, uns 15 dias depois ele estava dirigindo com uma velocidade a cima da média e não reparou que passava em um cruzamento, ao perceber, ele rapidamente acionou os freios e inesperadamente ao invés do ABS entrar em ação, as rodas dianteiras do carro travou e o carro derrapou por uns 7 m e passou o cruzamento acertando uma L200 que capotou 2 vezes, como se não bastasse, o airbag do carro também não acionou, e o cara acertou a testa no volante, sorte que ele estava com cinto de segurança. Resumindo a história, a perícia da volks foi fazer a vistoria do carro e constatou o defeito de fábrica, e para evitar alardes do cliente, ela ofereceu um cross fox, mas ele não quis e pegou o valor INTEGRAL do carro e comprou um punto T-jet. Os gerentes tentaram abafar a história mas ele contou tudo, pois ele era amigo intimo de um vendedor.