Clique e assine por apenas 8,90/mês

Teste: Volvo XC40 T4 é básico, mas bem equipado e anda bem

Novo SUV de entrada reúne vantagens dos principais rivais e custa menos

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 11 set 2018, 08h13 - Publicado em 10 set 2018, 14h10
Volvo XC40 T4
Visual da opção de entrada é quase o mesmo das versões T5 Christian Castanho/Quatro Rodas

Quando marcas premium – vulgo Audi, BMW e Mercedes – fazem versões mais baratas, ficam tão simples quanto um frade franciscano.

Só que a missão do novo Volvo XC40 T4 será outra: nem tão barato (e nem tão pelado) quanto os rivais de entrada, ele enfrentará as opções intermediárias dos bem-sucedidos alemães por R$ 169.950.

Por fora é até difícil reconhecer a versão mais em conta do SUV, que tem rodas aro 18 (19 na Momentum e 20 na R-Design) e não oferece pintura bicolor.

Isso conta pontos a favor no segmento da moda, cobrando quase o mesmo valor de um Volkswagen Tiguan 350 TSI R-Line, bem maior, mais equipado e com 220 cv de potência.

Continua após a publicidade
Volvo XC40 T4
Os bancos são de couro e quase todas as superfícies são emborrachadas Christian Castanho/Quatro Rodas

Basta abrir as portas para notar que o acabamento está no nível dos alemães – ou até melhor – e esse é um baita elogio. Os bancos são de couro e quase todas as superfícies são emborrachadas.

Mas a principal diferença da versão é a reprodução da cartografia de Gotemburgo, na Suécia, em detalhes da cabine.

Volvo XC40 T4
Portas têm detalhes de feltro aparente que destoam dos demais revestimentos Christian Castanho/Quatro Rodas
Volvo XC40 T4
Detalhes da cabine remetem à cidade-sede da volvo, na Suécia Christian Castanho/Quatro Rodas

Como SUV que se preze, a pegada do XC40 é conforto. Mas, para a sorte do motorista, a direção não é boba, a suspensão controla a rolagem da carroceria nas curvas e ainda absorve imperfeições do piso com maestria pouco comum aos importados. Só faltam as borboletas atrás do volante para trocas de marchas manuais, feitas pela alavanca.

Volvo XC40 T4
Quadro de instrumentos digital pode ser configurado com três diferentes temas Christian Castanho/Quatro Rodas

O pseudossueco vindo da Bélgica tem frenagem de emergência, alerta de mudança de faixa, detector de fadiga, seis airbags, banco do motorista elétrico e com memória, central multimídia de 9 polegadas e quadro de instrumentos digital.

Continua após a publicidade

Pena que só tenha câmera de ré e ar-condicionado de duas zonas na Momentum, que é R$ 25.000 mais cara.

Volvo XC40 T4
Faltam câmera de ré e sensores dianteiros Christian Castanho/Quatro Rodas

Ambos são de série no Audi Q3 1.4 TFSI Ambiente, que traz controle automático de velocidade, chave presencial e assistente de estacionamento – e ainda sobram quase R$ 2.000 no bolso do cliente. Para levar a preferência, o Volvo aposta no pacote de segurança, na modernidade do projeto e na motorização.

Se o 2.0 turbo e o câmbio automático de oito marchas são (quase) iguais às versões mais caras, tração integral deu lugar à dianteira e o desempenho é um pouco inferior.

Com 190 cv e 30,6 mkgf, o XC40 T4 precisou de 9,4 s para chegar aos 100 km/h, contra 7,4 s do T5 R-Design com 254 cv e 35,7 mkgf.

Continua após a publicidade
Volvo XC40 T4
Porta-malas pode ser modulado para transportar sacolas em ganchos Christian Castanho/Quatro Rodas

A novidade superou o Mercedes GLA 200, que levou 9,7 s na nossa pista. Com motor 1.6 turbo de 156 cv e 25,5 mkgf, o alemão foi melhor no consumo – 11,4 km/h na cidade e 15,3 km/h na estrada, contra 9,8 km/l e 13,5 km/h, respectivamente, do belga. Mas o preço também é mais salgado: R$ 178.900.

Só que um produto não se resume aos números. Os rivais já sentem a idade e o rival mais atual, X1, parte de R$ 191.950. Dos modelos citados, o Volvo é mais largo, mais alto, com maior entre-eixos e perde em comprimento do BMW por 1 cm.

É um utilitário feito para ser… útil! Os alto-falantes estão no painel para darem lugar a porta-objetos maiores, o assoalho do porta-malas é modular e há espaço de sobra para quatro adultos – além de quase tão equipado quanto Q3, mais rápido que GLA e espaçoso como X1.

Veredicto

Visual das versões mais caras e preço abaixo dos rivais jogam a favor do XC40 T4, ainda que faltem itens básicos para a categoria, como câmera de ré.

Teste de pista

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  9,4 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 30,9 s – 171,8 km/h
  • Velocidade máxima:  N/D
  • Retomada de 40 a 80 km/h: 3,6 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h: 4,9 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h: 5,9 s
  • Frenagens de 60/80/120 km/h a 0 m: 14/25,4/57,1 m
  • Consumo urbano: 9,8 km/l
  • Consumo rodoviário: 13,5 km/l

Ficha técnica – Volvo XC40 T4

  • Preço: R$ 169.950
  • Motor: gasolina, dianteiro, transversal, 4 cilindros, turbo, injeção direta, 16V, 1.969 cm³; 82 x 93,2 mm, 11,3:1, 190 cv a 4.700 rpm, 30,6 mkgf entre 1.300 e 4.000 rpm
  • Câmbio: automático, 8 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (dianteiro) / multlink (traseiro)
  • Freios: discos ventilados (dianteiro), discos sólidos (traseiro)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: liga leve, 225/40 R18
  • Dimensões: comprimento, 442,5 cm; largura, 186,3 cm; altura, 165,2 cm; entre-eixos, 270,2 cm; peso, 1.648 kg; tanque, 54 l; porta-malas, 460 l
  • Itens de série: sete airbags, ar-condicionado digital, alerta de colisão frontal, faróis de led
Publicidade