Clique e assine por apenas 5,90/mês

Longa Duração: viva-voz do Renault Kwid demora a parear e tem áudio ruim

Após 25.000 km de testes, equipe de QUATRO RODAS enfrenta dificuldades para sincronizar celular com a central MediaNav via Bluetooth

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 27 dez 2018, 09h20 - Publicado em 27 dez 2018, 09h19
Android ou IOS? Não importa, é difícil parear qualquer celular com a central do Kwid Christian Castanho/Quatro Rodas

chiadeira é geral. Praticamente não há quem não reclame do sistema viva-voz por Bluetooth do Renault Kwid. Para piorar, são dois os pontos fracos: dificuldade de pareamento com o celular e a péssima qualidade de áudio durante as ligações.

Chega a ser perigoso usar o viva-voz, pois o entendimento entre as pessoas é ruim a ponto de fazer o motorista perder a concentração na direção. Quando desabilito o Bluetooth e passo a usar o viva-voz do próprio celular, invariavelmente ouço: ‘Agora, sim, consigo te ouvir. Melhorou demais’”, explica o editor Ulisses Cavalcante.

“Sincronizar o celular com a central exige tanta paciência quanto no Prius. Além de demorado, não raramente o processo de pareamento termina com uma mensagem de erro e, quando isso acontece, é preciso começar tudo de novo.

Mas, no híbrido, uma vez estabelecida a conexão, a qualidade de áudio nas ligações é ótima, até porque a cabine do híbrido é muito mais silenciosa que a do Kwid, com sua ventoinha super-ruidosa, diz o redator-chefe, Zeca Chaves.

O repórter Rodrigo Ribeiro, outro usuário reclamante do viva-voz do Kwid, acrescenta: “Suspeito que seja uma limitação da central Media Nav, pois constatei os mesmos problemas em outros carros que a Renault enviou para testes e comparativos, como Sandero, Logan e Duster”.

Sobre a braçadeira que estava resvalando na ventoinha, tudo resolvido. “Parei na concessionária Itavema, em Taubaté (SP), e disse apenas que havia um barulho no motor. Assim que abriu o capô, o técnico viu a braçadeira aberta. Ele reposicionou o chicote, fechou a presilha e garantiu que o problema estava sanado”, conta o piloto de teste Eduardo Campilongo. 

Renault Kwid – 25.246 km

    Consumo

    • No mês: 16,2 km/l com 33,3% de rodagem na cidade
    • Desde mar/18: 15,7 km/l com 30,8% de rodagem na cidade
    • Combustível: flex (gasolina)
    • Combustível: R$ 1.063

    Ficha técnica

    • Versão: Intense 1.0 12V
    • Motor: 3 cil., diant., transv., 999 cm3, 12V, 70/66 cv a 5.500 rpm, 9,8/9,4 mkgf a 4.250 rpm
    • Câmbio: manual, 5 marchas 
    • Combustível: flex (testado com gasolina)
    • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 1.827
    • Revisões (até 60.000 Km): R$ 2.336
    Continua após a publicidade
    Publicidade