Clique e assine com até 75% de desconto

Longa Duração: Mitsubishi Outlander tem conforto mesmo com lotação máxima

Mesmo com sete a bordo e rodando pelas ruas de pedra das cidades históricas de MG, SUV de sete lugares se destaca pelo espaço e pela suavidade

Por Péricles Malheiros 31 mar 2020, 07h00
Revisado, e mais silencioso, Outlander viajou pelo Brasil Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Durante recente passagem por Brasília (DF), o Mitsubishi Outlander fez uma visita não programada à concessionária Nara.

Lá, adquirimos (por R$ 30) uma presilha lateral do cinto de segurança, que havia quebrado, e pedimos a troca da película dos vidros (a que estava no carro era demasiadamente escura), além de uma verificação do microfone do sistema multimídia.

Após um dia em serviço, pegamos o carro de volta, com película (R$ 360) e presilha (R$ 30) novas.

“Sobre o microfone, más notícias. Ele está inoperante e, como é incorporado à central, será necessário pedir a troca do conjunto todo à fábrica, em garantia”, disse a consultora.

Como a revisão dos 20.000 km já se aproximava, deixamos para resolver o caso nela. Ela chegou e foi o que fizemos. Mas… Aos 20.000 km, o carro encostou na paulistana Casarini.

Repassamos o posicionamento da autorizada de Brasília e pedimos uma verificação de ruídos na traseira e dos sistemas de alerta de colisão e de frenagem autônoma, ambos com casos de ativações desnecessárias reportados no diário.

Continua após a publicidade

Na devolução, surpresa: “Fizemos um reaperto da suspensão e os ruídos sumiram. Os alertas autônomos e a central multimídia foram atualizados e estão perfeitos”, disse o técnico da Casarini.

Pagamos R$ 1.395 pela revisão e outros R$ 250 pelo alinhamento.

Revisado, o Outlander encarou um intenso roteiro de férias do repórter Henrique Rodriguez. De São Paulo, ele seguiu para o Rio de Janeiro. Depois, partiu para as mineiras Tiradentes e Belo Horizonte.

  • Em seguida, retornou para o Rio de Janeiro e, finalmente, São Paulo, totalizando uma rodagem de 3.000 km. Nos três dias em que rodou em Minas Gerais, o Outlander teve suas prestações familiares colocadas à prova.

    “Enquanto estive em Belo Horizonte, o carro rodou com sete pessoas. Graças ao trilho da segunda fileira, todos tiveram algum conforto e a suspensão se mostrou mais silenciosa, mesmo nas ruas de pedra das cidades históricas mineiras. Mas a turma do fundão reclamou da baixa eficiência do ar-condicionado na terceira fila de bancos”, diz Henrique.

    Segundo ele, o microfone da central, de fato, está perfeito (portanto, o pedido da troca era desnecessário), mas o alerta de colisão e da frenagem autônoma continuam com ativações desnecessárias.

    Mitsubishi Outlander – 26.170 km

    Ficha técnica:
    Versão: 2.2 Turbodiesel HPE-S
    Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 16V, 165 cv a 3.500 rpm, 36,7 mkgf a 7.500 rpm
    Câmbio: Automático de 6 marchas, tração 4×4
    Seguro: R$ 4.777 (Perfil Quatro Rodas)
    Revisões: Até 60.000 km – R$ 7.936
    Gasto no mês: Combustível: R$ 2.110
    Presilha do cinto: R$ 30
    Película: R$ 360
    Revisão: R$ 1.395
    Alinhamento: R$ 250
    Consumo: No mês: 12,0 km/l com 28,3% de rodagem na cidade
    Desde set/19: 12,0 km/l com 25,0% de rodagem na cidade
    Combustível: Diesel S10

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade