Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: aos 60.000 km, Fiat Argo passa por simulação de venda

De um lado, desvalorização do modelo usado. Do outro, aumento de preço e perda de equipamentos no carro novo. E assim a distância entre ambos vai aumentando

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 15 out 2018, 10h19 - Publicado em 15 out 2018, 10h07
Simulação de venda: rede Fiat fez a melhor oferta Alexandre Battibugli/Quatro Rodas

É raro um modelo ganhar mudanças profundas no conteúdo (itens de série e opcionais) na primeira virada de ano-modelo após sua estreia. Mas foi exatamente o que aconteceu com o Argo, lançado em 2017 (como ano-modelo 2018) e que já começa a chegar como linha 2019.

Na verdade, o que a Fiat acaba de fazer é uma correção de rota. E isso tem tudo a ver com o atual momento do nosso Argo de Longa Duração, afinal a pauta do mês é justamente a simulação de venda no mercado de usados.

Em setembro de 2017, compramos o nosso Argo Drive 1.3 na Amazonas Leste, em São Paulo, por R$ 59.800.

Além dos R$ 53.900 do carro, pagamos R$ 1.200 pelo kit Convenience (retrovisores e vidros traseiros elétricos), R$ 1.900 pelo kit Stile, (faróis de neblina e rodas de liga leve), R$ 1.200 pelo kit Parking (sensor e câmera de ré) e R$ 1.600 pela pintura metálica (Cinza Scandium).

Continua após a publicidade

Agora, o Argo parte de R$ 53.990 – o Kit Convenience aumentou para R$ 1.700 e o Parking para R$ 1.790, enquanto a pintura metálica subiu para R$ 1.700. O Kit Stile não existe mais, mas seu conteúdo foi para o Kit Connect, de R$ 3.800 (com multimídia e volante multifuncional).

Há ainda o Kit Multimídia, de R$ 1.990, igual ao Connect, mas sem faróis de neblina e rodas de liga leve. O Kit Tech de R$ 1.500 é a grande novidade, com controles de estabilidade e tração, auxílio de partida em rampa e start-stop. Tanto o start-stop quanto a central multimídia eram de série até então.

Mas vamos à simulação de venda do nosso Argo. Nas três lojas que visitamos, ouvimos o mesmo discurso (o carro está bonito, mas a quilometragem alta é um problema) e rigorosamente a mesma proposta: R$ 42.000.

Em concessionárias de marcas rivais, as ofertas foram piores: R$ 38.000 na Chevrolet Carrera, R$ 37.000 na Ford Caoa e desrespeitosos R$ 33.000 na Hyundai Max. A Fiat parece estar cuidando melhor dos seus usados. Ouvimos proposta de R$ 40.000 na Sinal e de R$ 44.000 na Ventuno.

Continua após a publicidade

Se levarmos em consideração os valores do Argo 2019 com pacote similar ao do nosso (R$ 62.980), dá para concluir que os preços nem subiram tanto (5,3%).

Mas também dá para constatar que, em apenas um ano, o carro zero quilômetro se distanciou do modelo usado: exatos 43,1%, considerando os valores da melhor oferta da simulação (R$ 44.000) e do novo (R$ 62.980).

Bolsa de valores

  • Valor em setembro de 2017 – R$ 59.800
  • Valor atual do modelo novo – R$ 62.980
  • Valor do usado na tAbela Fipe – R$ 50.945
  • Melhor oferta na simulação – R$ 44.000
  • Pior oferta na simulação – R$ 33.000

Fiat Argo –  58.520 km

Consumoaos No mês: 13,2 km/l com 15,9% de rodagem na cidade

Continua após a publicidade
  • Desde set/17: 13,8 km/l com 20,2% de rodagem na cidade
  • Combustível: flex (gasolina)

Gastos no mês

  • Combustível: R$ 942

Ficha técnica

  • Versão: Drive 1.3 8V
  • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 1.332 cm3, 8V, 109/101 cv a 6.000/6.250 rpm, 14,2/13,17 mkgf a 3.500 rpm
  • Câmbio: manual, 5 marchas
  • Combustível: flex (gasolina)
  • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 2.271
  • Revisões (até 60.000 Km): R$ 3.260
Publicidade