Clique e assine por apenas 8,90/mês

Kia Stinger GT, o mais europeu dos sedãs coreanos

Com desempenho superior, o lançamento da Kia recebe pacote de equipamentos completo e acabamento refinado

Por Joaquim Oliveira, de Frankfurt (Alemanha) - Atualizado em 15 mar 2018, 13h23 - Publicado em 20 nov 2017, 14h24
Sedã virá em versões 2.0 e 3.3 V6
Sedã virá em versões 2.0 e 3.3 V6 Divulgação/Kia

Alguém já disse que dinheiro não traz felicidade, manda buscar. Pode ser que esse princípio não se aplique a todas as situações, mas para a indústria automobilística ele é a mais pura verdade.

Um exemplo é o processo de evolução que a Kia passou nos últimos anos, culminando agora com o lançamento do modelo Stinger GT, apresentado na Europa e com previsão de chegar ao Brasil neste ano (sem data definida).

Diferente de todos os outros Kia em estilo, construção e comportamento dinâmico, o Stinger GT é fruto de conceitos trazidos por profissionais que a Kia tirou a peso de ouro das marcas alemãs.

Entre essas contratações, estão o chefe do design Peter Schreier, vindo da Audi em 2006, e o responsável pela experimentação Albert Biermann, saído da BMW Motorsport, em 2014.

Sedã tem quase 3m de entre-eixos
Sedã tem quase 3m de entre-eixos Divulgação/Kia

O designer do Stinger, outra aquisição da Kia, o francês Gregory Guillaume, que hoje lidera o estúdio da marca na Europa, descreve o novo carro como “um descendente direto dos Gran Turismo dos anos 70”, como o italiano Maserati Ghibli, uma das fontes de inspiração.

De fato: capô alongado, para-brisas bastante inclinado, ombros amplos na traseira, arco das rodas salientes, difusor traseiro e uma proliferação de entradas de ar conspiram para gerar uma imagem esportivamente elegante.

O salto qualitativo no design exterior estende-se igualmente à cabine, onde se encontra o painel em posição elevada, com uma configuração horizontal, numa evidente separação entre os comandos (uma mistura de Alfa Giulia e Mercedes GLA).

A qualidade dos materiais é de bom nível, de toque suave, existindo detalhes cromados de qualidade mediana e partes de alumínio verdadeiro.

Os detalhes cromados e em alumínio verdadeiro trazem elegância ao sedã
Os detalhes cromados e em alumínio verdadeiro trazem elegância ao sedã Divulgação/Kia

O Stinger é um sedã esportivo grande. Ele tem 4,83 m de comprimento. A enorme distância entre-eixos de quase 3 m (2,905 m, precisamente – quase 10 cm a mais do que num BMW Série 4 e apenas 4,3 cm inferior a um Porsche Panamera) resulta em amplo espaço interno.

Os passageiros de trás vão apreciar a posição mais alta de seus assentos, mas o enorme túnel central não encoraja a convidar um terceiro passageiro. No porta-malas cabem modestos 406 litros de bagagem (mas os bancos traseiros são bipartidos e rebatíveis).

Na parte técnica, há muitos aspectos em que o dedo do engenheiro Biermann se faz notar. A posição de dirigir, por exemplo, é 4,5 cm mais baixa do que num Kia Optima e existem apenas 18 cm entre a base do assento e a estrada, o que baixa o centro de gravidade e torna mais linear a ligação entre as pernas e os pedais.

Os quatro escapes denunciam a pegada
Os quatro escapes denunciam a pegada Divulgação/Kia

CONTROLE E INTERAÇÃO

Derivado da plataforma BH-L do sedã Hyundai Genesis G90 (mostrado no Salão de São Paulo de 2016), o Stinger é dono da maior rigidez entre os Kia graças à aplicação de 55% de aço de alta e de ultrarresistência e adesivos estruturais nas regiões de solda. Essa rigidez favorece o comportamento esportivo.

Continua após a publicidade

Mas, além desse aspecto, a dirigibilidade foi aperfeiçoada com a suspensão que foi calibrada para garantir controle e interação e conta com o auxílio de um sistema ativo de amortecimento – composto por amortecedores eletrônicos, sensores de aceleração nas rodas e na carroceria e uma central de controle.

A direção tem auxílio elétrico que varia não só a assistência mas também a relação de esterço de acordo com a velocidade do carro e o estilo de condução. Os freios Brembo têm discos ventilados nas quatro rodas. E os pneus são 225/40 R19 na frente e 255/35 R19 atrás.

Rodas de liga leve, com pneus de 225/40 R19 na dianteira, e 255/35 R19 na traseira
Rodas de liga leve, com pneus de 225/40 R19 na dianteira, e 255/35 R19 na traseira Divulgação/Kia

 0 A 100 KM/H EM 5,1 S

Na prática, o Stinger roda bem assentado e de forma obediente. Mas essa é uma impressão da forma padrão de como o carro se comporta, porque o motorista pode selecionar os modos de condução para variar a personalidade do carro.

São cinco opções, Normal, Eco, Comfort, Sport e Smart, que ajustam as respostas de acelerador, câmbio, suspensão, direção e som do motor.

O Stinger é oferecido com três opções de motor: 2.0 a gasolina (255 cv), 2.2 diesel (200 cv) e o 3.3 V6 a gasolina (370 cv), este mostrado aqui e que nós dirigimos. Essa versão está disponível apenas com tração integral (o diesel pode ter tração traseira ou integral, e o 2.0 GDi vem apenas com tração traseira).

O Stinger vai de 0 a 100Km/h em 5,1 segundos, e atinge 270Km/h de velocidade
O Stinger vai de 0 a 100Km/h em 5,1 segundos, e atinge 270Km/h de velocidade Divulgação/Kia

O câmbio é sempre automático de oito marchas, com a opção das trocas manuais no volante. Na versão GT 4×4, o torque de 52 mkgf está disponível desde cedo e durante um longo período útil entre 1.300 e 4.500 rpm, distribuído pela transmissão em partes equitativas entre os eixos.

De acordo com a fábrica, o Stinger acelera de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos e atinge 270 km/h de velocidade.

O GT 4×4 é o Stinger mais bem equipado da linha incorporando à sua lista de itens de série recursos como volante com ajuste elétrico de altura e profundidade, head-up display, sistema de som hi-end com subwoofers instalados embaixo dos assentos, central multimídia, bancos elétricos, revestimento de couro, ar-condicionado dual zone, faróis full-led e rodas de alumínio, entre outros.

Seu preço, na Europa, de € 54.150 (por volta de R$ 206.000), é cerca de 20% menor que seus pares de marcas alemãs, como Audi S 7 Sportback, por exemplo.

Volante de três raios tem ajustes elétricos Divulgação/Kia
Além de bancos elétricos, o couro trás conforto para a nova aposta da Kia Divulgação/Kia

Por aqui, considerando impostos, frete e margens, ele teria um preço estimado ao redor de R$ 500.000. Segundo o representante da marca no país, aqui haverá duas versões: a 2.0 de quatro cilindros e a 3.3 V6. Mas os preços ainda não foram definidos.

Em relação ao produto, em resumo, podemos dizer que, depois do investimento que fez, a Kia foi feliz na realização desse projeto.

Veredicto

A Kia pode não ter a tradição e a imagem premium  das rivais, mas, em desempenho e comportamento, o Stinger GT não deve nada aos sedãs alemães.

Ficha técnica – Kia Stinger GT 3.3 V6

  • Preço: 54.150 euros 
  • Motor: gasolina, dianteira, longitudinal, V6, 3.342 cm3; 24V, injeção direta, biturbo, 370 cv a 6.000 rpm, 52 mkgf de 1.300 a 4.500 rpm
  • Câmbio: automatizado, 8 marchas, tração 4×4
  • Suspensão: McPherson (dianteira), multilink (traseira)
  • Freios:  discos ventilados (dianteira e traseira)
  • Direção: elétrica 11,7m (diâmetro de giro)
  • Rodas e pneus: liga leve, 225/40 R19 (dianteira), 255/35 R19 (traseira)
  • Dimensões: comprimento, 483 cm; largura, 187 cm; altura, 140 cm; entre-eixos, 290,5 cm; peso, 1.770 kg; porta-malas, 406 l
  • Desempenho: 0 a 100 km/h em 5,1 s*, velocidade máxima: 270 km/h* (*dados de fábrica)
Continua após a publicidade
Publicidade