Clique e assine por apenas 8,90/mês

Impressões: novo Audi Q3 adiciona espaço e tecnologia à receita de sucesso

A segunda geração do SUV compacto tem chegada ao Brasil prevista para o fim de 2019

Por Joaquim Oliveira/Press Inform, de Tirol (Áustria) - Atualizado em 20 nov 2018, 10h54 - Publicado em 20 nov 2018, 10h53
O novo design tem a intenção de acentuar o caráter esportivo Divulgação/Audi

Audi mais popular do Brasil já não é mais o mesmo: aqui está o novo Q3. Lançado em 2011, o SUV passou por um facelift em 2014 e agora chega em nova geração com alterações até nos motores – as unidades a gasolina foram “purificadas” e contam com filtro de resíduos particulados, seguindo o mesmo princípio dos motores a diesel.

Os visuais interno e externo têm a clara intenção de acentuar o caráter esportivo. A grade octogonal honra o DNA da marca e segue como grande responsável por dar o tom ameaçador à dianteira.

A nova geração agora tem mais espaço na cabine e no porta-malas Divulgação/Audi

Os vincos na parte da frente, sobretudo no capô e para-choque, reforçam o tom dramático da nova geração. No perfil, a maior mudança está na porção traseira. A carroceria mais longa levou à adoção de uma coluna C larga, e essa percepção é acentuada por causa da janela-espia estreita.

A maior massa no pilar traseiro dificulta um pouco a visão do motorista, mas confere mais solidez ao desenho, assim como no VW Golf.

Continua após a publicidade
Montagem e materiais são de alto padrão Divulgação/Audi

Maior em 10 cm no comprimento e em 2 cm na largura (a altura é quase igual), o novo Q3 se apresenta com proporções bem distintas. A dianteira é menos projetada em relação à cabine, resultando num capô mais curto.

O volume da cabine está maior, por conta do crescimento de 7,7 cm no entre-eixos, o que explica o ganho significativo em espaço para pernas no banco traseiro – há mais espaço para a cabeça, pois a linha de queda do teto só começa atrás do encosto.

Banco deslizante

O maior ganho, no entanto, pode ser visto um pouco mais atrás. O porta-malas cresceu enormes 215 litros, saltando de 315 para 530. Esse volume pode ser ainda maior, já que as porções traseiras  externas do banco traseiro (tripartido na proporção 40/20/40) correm sobre trilhos e podem ser deslocadas à frente em 15 cm.

O console central voltado para o piloto facilita a consulta à tela e a operação dos comandos Divulgação/Audi

Com os três encostos rebatidos, cria-se uma área de 1.525 litros e assoalho totalmente plano. Dependendo da versão, o porta-malas pode oferecer altura variável do piso do porta-malas, rede de retenção de carga, iluminação com leds e abertura elétrica da tampa.

Continua após a publicidade

O único ponto negativo que afeta a vida de quem viaja atrás é o túnel no centro do piso, um problema crônico da maior parte dos modelos do Grupo VW.

O espaço atrás é generoso Divulgação/Audi

Todos os motores têm quatro cilindros e turbo. Começa com o 1.5 TFSI de 150 cv (no Q3 35 TFSI), com sistema de desativação de cilindros. Depois, vêm os 2.0 TFSI de 190 cv (Q3 40 TFSI) ou 230 cv (Q3 45 TFSI) e o diesel 2.0 de 150 cv (35 TDI).

O câmbio do nosso Q3 será sempre o mesmo: automatizado, com dupla embreagem e sete marchas, com trocas sequenciais. Para cá, a vinda dos Q3 a diesel está descartada.

Fontes ligadas à Audi do Brasil, aliás, dizem que a produção local do Q3 está prestes a ser cancelada e que a nova geração viria só importada, o que está previsto para o segundo semestre de 2019. Portanto, ainda é cedo para falar de preços do Q3, que hoje vai de R$ 154.000 a R$ 225.000.

Continua após a publicidade
Rodas são da S-Line, a linha de acessórios oficiais Divulgação/Audi

Baseado num conjunto de acoplamento multidisco e assistido eletronicamente, o sistema 4×4 reparte a força enviada às rodas dos eixos dianteiro e traseiro. Em condição de elevada aderência, como a rodagem em asfalto, a tração ocorre prioritariamente nas rodas dianteiras.

Se há um aspecto em que a Audi se tornou referência é a qualidade dos interiores. E o Q3 segue justificando a boa fama. Revestimento, junções, e acabamento de bom nível saltam aos olhos e ao tato. Outro destaque é o sistema multimídia, de série em todas as versões.

Grade ocupa boa parte da dianteira Divulgação/Audi

Opcionalmente, você pode levar uma tela de 12,3 polegadas, em vez da de 10,1 polegadas. A tela da central fica em uma moldura octogonal que remete à grade do carro e que cobre quase todo o painel. À esquerda do dele, ficam as novas teclas de luzes, em substituição aos botões giratórios utilizados durante anos.

A nova plataforma (MQB, no lugar da PQ35) melhorou alinhamento de volante, pedais e banco. O prazer à direção é reforçado pelo painel digital que nasceu no atual TT e hoje está em toda a gama. Não é só.

Continua após a publicidade

A zona central do console está ainda mais inclinada para o motorista, facilitando visualização da tela e acesso aos comandos. Navegação em tempo real, hotspot de internet, instruções vocais e sistema de conectividade fazem parte do novo Q3, assim como câmeras de visão de 360 graus e recurso ativo de baliza.

Posição de dirigir é destaque no Q3 Divulgação/Audi

No test-drive, dirigimos a versão 45 TFSI, com motor 2.0 de 230 cv. A resposta é imediata, com entrega total de força logo acima do regime de marcha lenta. Os 35,7 mkgf de torque estão plenos a apenas 1.500 rpm.

O baixo nível de vibrações e o bom isolamento da cabine reforçam a boa impressão ao volante. Segundo a Audi, esta versão vai de 0 a 100 km/h em 6,3 segundos e atinge 233 km/h.

A direção progressiva, item de série nesta versão, convence pela resposta rápida e direta, ainda mais em estradas sinuosas, como as que cortam as montanhas do Tirol (Áustria). A desmultiplicação de 11,4:1 e as 2,2 voltas de batente a batente fazem com que até as curvas em gancho sejam contornadas sem mudar a posição das mãos no volante.

Continua após a publicidade

Assim, ainda que confirmada a notícia da perda da brasilidade, o Q3 mostra que tem atributos de sobra para se dar bem por aqui.

Veredicto

A evolução do SUV como um todo reflete os benefícios da aplicação de uma plataforma atual.

Ficha técnica – Audi Q3 45 TFSI

  • Preço: R$ 240.000(estimado)
  • Motor: gasolina, dianteiro, transversal, 4 cilindros, injeção direta e indireta, 1.984 cm³, 16V, turbo, 230 cv a 5.000 rpm, 35,7 mkgf a 1.500 rpm
  • Câmbio: automatizado, dupla embreagem, 7 marchas, tração integral
  • Suspensão: McPherson (dianteira) e multilink (traseira)
  • Freios: disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)
  • Direção: elétrica, diâmetro de giro, 11,8 m
  • Pneus: 215/65 R17 
  • Dimensões: comprimento, 448,4 cm; largura, 185,6 cm; alt., 161,6 cm; entre-eixos, 268 cm; peso, 1.620 kg; tanque, 60 l; porta-malas, 530 l
  • Desempenho: 0 a 100 km/h em 6,3s; velocidade máxima 233 km/h
Publicidade