Clique e assine por apenas 8,90/mês

Rival do Jeep Compass, VW Tharu estreia na China confirmado para o Brasil

Alemã também mostra o Tayron, SUV médio exclusivo para o mercado local

Por Henrique Rodriguez - 19 nov 2018, 19h59
SUV será posicionado entre o T-Cross e o Tiguan no Brasil Divulgação/Volkswagen

A Volkswagen tem duas boas novidades no Salão de Guangzhou. Enquanto a joint-venture FAW-Volkswagen revelou o Tayron, uma versão do europeu T-Roc adaptada ao gosto chinês, a SAIC-VW lança o Tharu, SUV médio que será fabricado na Argentina – onde se chamará Tarek.

O Volkswagen Tharu será responsável por substituir a primeira geração do Tiguan, que seguia à venda mesmo após o lançamento da nova. As dimensões são parecidas, com 4,45 m de comprimento, 1,84 m de largura e 1,63 m de altura. Mas tem vantagem de 8 cm no entre-eixos, que totaliza 2,68 m entre eixos. O porta-malas tem capacidade de 445 litros, que chega a 1.542 l com a segunda fileira rebatida. 

Tharu pode usar motores 1.4 TSI e 2.0 TSI Divulgação/Volkswagen

Um de seus rivais na China será o Jeep Compass, que parte dos mesmos 169.800 Yuan, o equivalente a R$ 92.000 em conversão direta.

Entre-eixos é de 2,68 m Divulgação/Volkswagen

Na China, estará disponível com duas opções de motorização. O 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 mkgf de torque com câmbio automático de seis marchas equipa a versão 280TSI, enquanto o 2.0 TSI em versão de 186 cv e 32,6 mkgf estará na versão 330TSI. A versão mais potente tem câmbio DSG de dupla embreagem e sete marchas, além de tração integral.

Continua após a publicidade
Capacidade do porta-malas pode superar os 1.500 l Divulgação/Volkswagen

Por dentro, nota-se uma preocupação com a percepção de qualidade. O design do painel remete ao de Polo e T-Cross, mas tem faixa de couro com costuras na parte central e partes do mesmo material nas portas. O quadro de instrumentos digital é muito parecido com o dos compactos, mas seu grafismo usa cores mais quentes. A versão esportiva R-Line tem acabamento interna cinza e preto.

Painel tem acabamento melhor que o do T-Cross Divulgação/Volkswagen

A lista de equipamentos disponíveis para o modelo inclui rodas aro 18, teto solar panorâmico, monitor de pontos cegos, freio de estacionamento eletrônico com auto-hold e ar-condicionado dual-zone com saídas para o banco traseiro.

Divulgação/Volkswagen
Divulgação/Volkswagen

Por aqui, o modelo será vendido como Tarek e chegará importado da Argentina. A linha de produção de General Pacheco que hoje é responsável pela produção do SpaceFox será convertida para a produção do novo SUV.  Para isso, a unidade receberá um investimento de US$ 650 milhões. O lançamento está previsto para 2020. 

O Q5 da Volkswagen

Tayron tem quase 4,60 m Divulgação/Volkswagen

O Tayron, por sua vez, não tem chances de chegar ao Brasil. Sua missão na China será ocupar o estreito espaço entre o novo Tiguan de cinco lugares e o Tiguan Allspace, mais longo e com sete lugares. Não se assuste: a Volkswagen quer ter 12 SUVs à venda na China até 2020.

Continua após a publicidade
Traseira do Tayron remete ao Touareg Divulgação/Volkswagen

Na prática, é algo como uma versão longa do T-Roc, SUV médio com proposta esportiva vendido na Europa. Isso lhe rendeu um entre-eixos 8,5 cm maior, resultando em 2,73 m. O comprimento é de 4,59 m.

Será posicionado como um Q5 da Volkswagen, ou uma opção mais em conta ao Touareg. Seu lançamento está previsto para 2019 e, por isso, informações técnicas ainda são escassas.

Interior do Tayron tem luz ambiente Divulgação/Volkswagen
Publicidade