Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mercedes-AMG C 63 S Coupé: a grande beleza

Seguindo a fórmula do bem-sucedido S 63 AMG, o Classe C ganha sua versão Coupé com duas portas a menos e um desenho próprio que é lindo de morrer

Por Joaquim Oliveira - Atualizado em 16 Maio 2017, 12h37 - Publicado em 5 fev 2016, 19h52
Da metade para trás, nada lembra o sedã da Classe C
Da metade para trás, nada lembra o sedã da Classe C Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

Quando desenvolveu a versão Coupé do S 63 AMG, a Mercedes- Benz fez muito mais do que só retirar duas portas do enorme sedã. Ela criou um design próprio, tão envolvente e arrebatador, que foi um sucesso imediato. Portanto, nada mais lógico do que replicar a estratégia no irmão menor, o C 63 AMG.

Conservando só os para-lamas dianteiros e o capô do sedã, o C Coupé tem na traseira as maiores alterações, que só reforçam o parentesco com o S Coupé. Há a coluna traseira bem larga, os quatro escapes chamativos, o discreto aerofólio, o difusor de ar nervoso e, principalmente, as lindas lanternas horizontais, um conjunto que transborda beleza e harmonia.

Ele vai de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos
Ele vai de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

O mesmo toque de requinte e esportividade da carroceria domina o interior, repleto de couro ou Alcantara e de revestimentos cromados, com um pouco de fibra de carbono no console central. Os bancos integrais de série oferecem ótimo apoio lateral e permitem que motorista e passageiro viajem bem fixos, mas sem se sentir desconfortáveis.

Encosto de cabeça é integrado ao banco
Encosto de cabeça é integrado ao banco Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

Através do volante exclusivo (três raios, com a parte inferior achatada) podemos ver os mostradores da AMG com acabamento imitando carbono numa instrumentação digital que emula conta-giros e velocímetro com ponteiros.

Continua após a publicidade
O quadro de instrumentos é formado por uma tela digital, Volante esportivo do C 63 AMG Coupé é exclusivo
O quadro de instrumentos é formado por uma tela digital, Volante esportivo do C 63 AMG Coupé é exclusivo Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

Apesar de ele ser um Classe C na essência, o espaço traseiro é menor que no sedã. É verdade que o entre-eixos é o mesmo, mas no Coupé só há dois bancos individuais e sua linha de teto inclinada no final faz com que os passageiros atrás não possam ter mais de 1,70 metro de altura sob pena de estragar o penteado.

Além do design interno e externo, outra estrela é o motor, um V8 biturbo de 470 ou 510 cv (versão S). No nosso test-drive na Espanha, o C 63 AMG S mostrou que pode ser quase tão dócil e macio quanto um Classe C comum, desde que o modo de pilotagem esteja no Comfort e os amortecedores a ar (opcionais) na posição mais macia.

O V8 tem 4 litros e é biturbo
O V8 biturbo 4.0 rende 510 cv e 71,4 mkgf Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

Assim, nem parece uma fera com rodas aro 19 e pneus de perfil baixíssimo (285/30 atrás). Mas é só passar para o modo Sport+ que ele descarrega no asfalto um desempenho agressivo, de arrancadas brutais, capaz de ir de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos.

Modo de pilotagem, câmbio e suspensão a ar são ajustáveis
Modo de pilotagem, câmbio e suspensão a ar são ajustáveis Andreas Lindlahr/Quatro Rodas

Veredicto

A identidade própria funcionou muito bem no Classe S Coupé. No Classe C, não foi diferente.

Ficha Técnica – Mercedes-AMG C 63 S Coupé

  • Motor: diant., longit., V8 biturbo, 3.982 cm3, 32V, 510 cv a 5.500-6.250 rpm, 71,4 mkgf a 1.750-4.500 rpm
  • Câmbio: automatizado de dupla embreagem, sete marchas, tração traseira
  • Suspensão: quatro braços sobrepostos (diant.), multilink (tras.), com amortecedores reguláveis
  • Freios: discos ventilados e perfurados
  • Pneus: 255/35 R19 (diant.) 285/30 R19 (tras.)
  • Dimensões: comprimento, 475 cm; altura, 140,2 cm; largura, 187,7 cm; entre-eixos, 284 cm; peso, 1.725 kg; porta-malas, 355 l
  • Desempenho: 0 a 100 km/h em 3,9 s; vel. máx. 250 km/h (lim. eletron.)
Publicidade