Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Impressões: Cayenne Turbo GT é a versão mais rápida da história do SUV

Recordista em Nurburgring, o modelo tem um uma nova motorização com 640 cv que quer roubar o protagonismo do Lamborghini Urus

Por Joaquim Oliveira Atualizado em 1 jul 2021, 09h44 - Publicado em 30 jun 2021, 18h36
Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Lançado em 2002, o Porsche Cayenne criou um novo segmento de superesportivos em forma de SUV. Só que a chegada de vários modelos rivais, como os BMW X5 e X6 M, Mercedes-AMG GLS, Bentley Bentayga, Audi RS Q8 e, especialmente, o Lamborghini Urus, deixaram o fundador do elitista segmento para trás.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Porém, quatro anos após o lançamento da atual geração do Cayenne, a Porsche reage atualizando a linha com ligeiras mudanças visuais, além de reforçar a gama com novidades mecânicas que rendem um novo recorde ao SUV de Stuttgart com a inédita versão Turbo GT. Ela já está disponível para encomenda no Brasil por R$ 1.199.000.

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Na dianteira as alterações são discretas com a grade redesenhada e uma nova abertura na base do para-choque em relação ao Cayenne Turbo Coupé “convencional”.

Na traseira, há novos e mais marcantes aerofólios no teto e acima das lanternas. O para-choque é novo e as duas saídas de escape foram para o centro, abaixo da placa de licença. Além disso, toda a base da carroceria tem apliques em plástico sem pintura e as novas rodas são de 22 polegadas.

Por dentro há mais superfícies revestidas em Alcantara e o Cayenne ganha uma nova central multimídia, com melhores gráficos e funcionalidades, além de ser agora totalmente compatível com o sistema Android Auto.

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Um rival interno

O Cayenne Turbo GT passará a ser um inimigo interno, dentro do Grupo Volkswagen, para o Lamborghini Urus – e ao que tudo indica será uma briga boa.

A nova versão topo de linha, que só estará disponível na carroceria cupê ficará acima da Turbo e da Turbo S E-Hybrid, usa o motor V8 biturbo com aprimoramentos que elevaram a potência para 640 cv e o torque para 86,7 kgfm (ou seja, 90 cv e 8,2 kgfm a mais).

Apesar de ser menos potente do que o Turbo S E-Hybrid (que tem 680 cv pela combinação do motor V8 e da propulsão elétrica), o Turbo GT consegue superá-lo nas acelerações, já que o híbrido chega a 2,5 toneladas de peso, inflacionado pelo peso da bateria, cerca de 300 kg a mais do que na nova versão.

Continua após a publicidade

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

O SUV vai de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e atinge a velocidade máxima de 300 km/h – registros melhores, portanto, do que os 3,8 s e os 295 km/h do Cayenne S E-Hybrid, e em no mesmo patamar do 911 GT3. Em outras palavras, é um Cayenne mais rápido que um Audi R8 V10 – que custa R$ 1.459.990.

Para melhorar as acelerações e o comportamento, o aerofólio traseiro (com 5 cm, o dobro do presente no Turbo) pode subir alguns centímetros para ajudar a criar mais carga aerodinâmica (downforce) na traseira, com até 40 kg adicionais à velocidade máxima.

Há também a ajuda do eixo traseiro direcional (cujo ângulo de esterço foi aumentado), que dá uma enorme ajuda à dinâmica do Cayenne, ao mesmo tempo que o torna muito mais compatível com os confinados espaços urbanos.

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Pensando na segurança nas pistas, o bloqueio de diferencial traseiro foi aprimorado para evitar que o carro derrape, se convertendo em eficácia nas curvas. O sistema também conta com a ajuda dos novos pneus Pirelli P Zero Corsa (285/35 na dianteira e 315/30 na traseira), com as rodas 10,5 J/22” e 11,5 J/22”. O acrescido camber negativo nas rodas dianteiras (-0,45 g) visa contribuir para esse mesmo objetivo.

Em circuito como peixe na água

A Porsche acredita que muitos clientes levarão seus Cayenne Turbo GT para sessões de “terapia” em circuitos fechados, onde o modo Sport permite “endurecer” os músculos do Cayenne mais rápido da história, ao mesmo tempo em que enrouquece sua “voz” e o câmbio automático de oito marchas usa a sua maior rapidez para fazer disparar o ponteiro do conta-giros até os 7.000 rpm.

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Na mais baixa das distâncias em relação ao solo (são seis opções), o novo Cayenne Coupé fica 7 mm mais perto do asfalto do que o GTS e, juntamente com o trabalho das barras estabilizadoras eletrônicas (com o seu próprio sistema elétrico de 48 volts, assim como nos “primos” RS Q8 e Urus), têm como objetivo fazer com que os quase cinco metros e 2,2 toneladas do modelo se sintam muito mais leves do que o esperado.

Os freios carbo-cerâmicos, também de série, ajudam a reforçar a confiança com uma eficiência que ajuda a perceber que chegamos às curvas muito depressa (isto depois de um período inicial em que os discos têm que ganhar um pouco de temperatura).

Porsche Cayenne Turbo GT
Divulgação/Porsche

Prova de que as melhorias introduzidas produziram bons resultados, o novo Cayenne Turbo GT completou uma volta em Nürburgring Nordschleif em 7:38.9 minutos, estabelecendo um novo record oficial para um SUV no famoso circuito alemão.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa de QUATRO RODAS 746

Continua após a publicidade

Publicidade