Clique e assine com até 75% de desconto

Impressões ao dirigir: Peugeot 3008, beleza com brinde

Ao abraçar de vez o estilo SUV, o novo Peugeot 3008 traz um brinde: um patinete elétrico para você não precisar andar do estacionamento ao trabalho

Por Joaquim Oliveira, de Bolonha (Itália) Atualizado em 9 jun 2017, 20h52 - Publicado em 21 fev 2017, 18h16
A plataforma é nova; o motor disponível no Brasil será o mesmo 1.6 THP de 163 cv
A plataforma é nova; o motor disponível no Brasil será o mesmo 1.6 THP de 163 cv Divulgação/Peugeot

A segunda geração do Peugeot 3008 só trouxe boas surpresas na sua apresentação no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. Antes de tudo, seu novo design arrancou só elogios por quem passou pelo estande da montadora francesa.

Como se não fosse suficiente, a empresa virou notícia ao dizer que daria de brinde aos primeiros compradores do modelo (que chega no primeiro semestre deste ano) um patinete elétrico.

Fabricando pela própria Peugeot, o e-Kick tem autonomia de 12 km, atinge 25 km/h, pesa 8,5 kg e é recarregado numa tomada no porta-malas do carro. “Ele servirá para o motorista completar o trajeto final entre o estacionamento e a porta do seu trabalho”, disse na época Ana Theresa Borsari, diretora-geral da marca.

Mas quem não conseguir ganhar seu e-Kick não precisa ficar triste. Como o 3008 evoluiu consideravelmente, não faltará motivo para dar alegria a seus futuros proprietários.

As lanternas estão divididas entre a tampa e a carroceria
As lanternas estão divididas entre a tampa e a carroceria Divulgação/Peugeot

A começar pelo estilo, que abandonou o misto de minivan e perua para assumir sem medo a personalidade de SUV. O desenho ficou mais encorpado, a linha ascendente de cintura dá um toque esportivo, a altura em relação ao solo saltou de 15 para 22 cm, o que o habilita a andar em estradinhas de terra sem fazer feio, e o porte aumentou.

Com a nova plataforma EMP2, ele está 8 cm mais comprido sem praticamente mudar na largura ou altura e é também 6,5 cm mais longo no entre-eixos, trazendo benefícios diretos no espaço para pernas no interior e um porta-malas mais amplo (com fartos 520 litros, 90 a mais que antes).

Outra evolução é a estreia do conceito de painel do 208, mas aprimorado. O i-Cockpit define-se por um volante pequeno, uma instrumentação digital (tela com 12,3 polegadas diante do motorista) e um enorme monitor central, no alto do painel. Tudo voltado para o motorista, dando a impressão de que o condutor está envolvido pelo veículo, como num cockpit de carro de corrida.

No novo i-Cockpit, o topo do volante é achatado: a leitura melhorou
No novo i-Cockpit, o topo do volante é achatado: a leitura melhorou Divulgação/Peugeot

A visibilidade melhorou com a parte superior do aro do volante mais plana. Essa novidade permite uma boa leitura do visor configurável, que pode exibir a informação clássica, desenhos dinâmicos e até projetar o mapa do navegador, como a Audi faz com o seu painel virtual. Só que no 3008 ele é de série, ao contrário do concorrente alemão na Europa.

Continua após a publicidade

Comparado ao Peugeot 3008 anterior, há claramente maior qualidade geral (materiais, acabamentos, equipamentos). Assim, a nova geração se coloca a meio caminho entre a oferta das montadoras generalistas (VW, Hyundai) e as premium (Audi, BMW, Mercedes).

Outro sinal dos tempos é a inclusão dos sistemas de segurança mais modernos e de assistência à direção: aviso de cansaço do motorista, de saída da faixa de rodagem, de controle do ponto cego, aviso de colisão com frenagem automática e controle adaptativo da velocidade de cruzeiro.

Piso no banco de trás agora é plano
Piso no banco de trás agora é plano Divulgação/Peugeot

Nos itens de conforto, destacam-se a função de massagem nos bancos dianteiros, as três fragrâncias disponíveis para perfumar a cabine, a câmera de 360 graus e o teto panorâmico, que agora pode ser aberto.

Além do nome, a única coisa que não mudou no 3008 foi a linha de motores, como o 1.6 THP de 163 cv (só a gasolina) acoplado ao câmbio automático de seis marchas, que será a única opção disponível no Brasil.

Frente será adotada pelos novos Peugeot
Frente será adotada pelos novos Peugeot Divulgação

E ainda bem, porque no nosso test-drive na Itália só tivemos acesso ao 1.2 turbo de 130 cv. Mas lá foi possível notar a boa qualidade geral de acabamentos, embora uma ou outra ligação entre peças no painel pudesse ter melhor encaixe. Foi muito boa a impressão causada pelas teclas abaixo da tela central, com acabamento que simula alumínio polido, ou pela madeira natural das versões top.

O conforto de rolamento é agradável mesmo sobre asfaltos irregulares e a carroceria não inclina demais nas curvas, mostrando ótimo equilíbrio na afinação da suspensão. Os passageiros atrás também viajam mais folgados, além de não terem mais o túnel no piso atrapalhando. E ainda pode se esperar uma redução de consumo, já que ele está 100 kg mais leve.

Espaço de bagagem subiu para 520 litros
Espaço de bagagem subiu para 520 litros divulgação

Tanta melhoria só nos deixou mais ansiosos pela definição de preço, que será acima dos R$ 120.000, colocando-o no quintal de rivais como Jeep Compass e Hyundai New Tucson. Ou seja, com ou sem patinete, é um carro que merecerá um test-drive.

Patinete é recarregado no porta-malas
Patinete é recarregado no porta-malas divulgação/Peugeot

Veredicto

Agora com visual SUV, o 3008 perdeu um dos poucos pontos fracos que tinha e ainda ganhou em espaço e acabamento.

 

Ficha técnica – Peugeot 3008 1.2 Pure Tech

  • Preço: 23.450 euros
  • Motor: gas., diant., 3 cil. em linha, turbo, inj. direta, 12 V, 1.199 cm3, 130 cv a 5.500 rpm, 23,4 mkgf a 1.75 rpm
  • Câmbio: manual, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.) / sólidos (tras.)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: 215/65 R17
  • Dimensões: comp., 444,7 cm; largura, 184,1 cm; altura, 162,4 cm; entre-eixos, 267,5 cm; peso, 1.325 kg; porta-malas, 520 l; tanque, 53 l
  • Continua após a publicidade
    Publicidade